El-Melloi II: Episódio 08 – O trem da conjuntivite Parte II ~a carruagem de ouro negro~

El-Melloi II: Episódio 08

Artigo enviado por Jonh Vini.

El-Melloi II: Episódio 08- O trem da conjuntivite Parte II ~a carruagem de ouro negro~

Retornando do choro da Olga do episódio passado vimos todos as pessoas importantes reunidas no local, o primeiro a se solidarizar com Olga foi logo o padre que pediu para fazer a autópsia, ela envolta pela raiva da perda logo o ataca mas o padre rapidamente a neutraliza, ou qualquer outro nome para apagá-la para não atrapalhar a investigação, todos ficam pasmos pela solidariedade do padre pois a relação da Igreja com a torre do relógio nunca foram as mais pacíficas.

Pondo a Criança para dormir.

Durante a autópsia Velvet percebe que o padre também possuía a conjuntivite mágica, ao ser questionado o padre fala do seu tipo de olho mágico e após a autópsia de Velvet que confirmou o que a autópsia do padre diz: que a vítima morreu pela decapitação, o padre fundamentou os seu poder do seu olho dizendo que a acompanhante nem sequer viu que a Velvet tinha sido decapitada, decidiu ir falar com o condutor sobre o caso, mas no segundo após dele acabar com essa afirmação o condutor junto com a leiloeira aparecem e falaram que assassinatos são normais na linha, Caules retorna ao local logo após deixa a Olga num outro quarto, o irónico é que ao retornar ao local do crime ele diz que ela recobrou a consciência.

Um gatunho silencioso.

Ao reencontrá-la Velvet logo tentar acalmá-la com palavras de Alexandre a contragosto dele, mas não consegue ser eficaz então deixa a Gray junto a ela, Olga então pergunta o porquê dela sempre andar junta a ele e ela responde a mesma resposta de sempre; ao reportar o que ocorreu no trem para sua querida irmã Velvet teve uma infeliz surpresa a saber que ela também está investindo o caso do furto do seu manto, com o fato que Shishigou e Luvia são os encarregados pela procura de pistas que não chegou a nada, mas no mesmo momento em que Rennes e Velvet conversamos os dois estavam no cofre do apartamento de Velvet e não acharam nada, mas o engraçado é que finalmente descobrimos a fonte da fortuna dos Edelfelt: roubo e revenda de magia alheia; isso deixa ele consternado, mas logo ele se recompõe ao ver a senhorita Adashino no corredor e logo a pergunta como ela triangulou a informação do trem na mansão do caso dos necromantes então descobrimos que tanto esse caso quanto o caso do episódio três estão interligados pois ambos os magos vilões do episódio compartilhavam o mesmo financiador e possivelmente esteja no trem, no fim Adashino brinca com seu adorável detetive pelo fato dele já estava tentando ligar os pontos.

Seu querido detetive de dinheiro.

No sol poente Velvet e sua escudeira estavam esperando aquele que o enviou o convite no vagão de carga, Velvet estava confiante de pegar o larápio dessa vez pois o trem não permite rotas de fuga, nem mesmo pelas linhas Touko, mas o tempo mudou rapidamente uma tempestade anormal de raios carmim, cujo seu foco ficava no teto do vagão, lá descobrimos que aquele ele é na verdade ela.

A cosplayer de Alexandre.

Ao ver a faceta do Velvet ela lhe desdém pelo fato dele ter sido mestre de Alexandre, mas ele diz que não é bem assim já que na verdade não é bem assim, rapidamente Gray a ataca, mas tal ataque não surte efeito pois a Ghost Liner, o Faker para facilitar, é uma serva por completo tanto que possui um fantasma nobre, que é quase igual a um dos fantasmas nobres de Alexandre, mas ela usa um olhar místico para forçar a Gray atacar o Velvet, entretanto a força de vontade ela se liberta do feitiço, visto que tal tática foi ineficiente então Faker usa seu fantasma nobre principal e se identifica como Heféstio, um colega de Alexandre dos tempos da escola de Aristóteles, Gray iria combater fogo com fogo mas Velvet a impediu para não ocorre mais incidentes e rapidamente ele os tirou dessa enrascada, mas quando retornaram a consciência eles quase caíram nos trilhos do trem se não fosse Caules.

Quase foram.

Ao finalmente sentar no vagão Velvet fala o que fez para fugir daquela situação ingrata cortando o cabelo para que então os raios caírem no solo, logo após de mais uma rodada de suposições ele desmaia e na cena recorrente mostra que um dos raios atingiu o Velvet, no mesmos aposentos da Olga, Caules tenta recuperá-lo com sua magia de elétrica junto com uma bobina de energia da vida, vendo todo o desespero dele e da Gray, Olga deu a Panacea para tentar recuperá-lo, tal Panacea foi dado a ela pela sua acompanhante para qualquer problema, será que Velvet irá se recuperar ou anime acaba aqui?

Me de 12.

Já a parte em terra Luvia e Shishigou debatem sobre quem seria o culpado enquanto eles estavam voltando para o departamento de magia moderna, aí temos uma informação até que importante pois como eu disse na review passada o mestre da Velvet não pertencia ao departamento da magia moderna e sim de mineiros, mas deixam um questionamento no ar: quem seria o Lord anterior deste departamento?, já a outra surpresa ficou com Rennes e Weines pois ele conseguiu um convite para entrar no trem agora fazer alguma coisa aí não sabermos se ele fazer alguma coisa.

O convite amaldiçoado.

Bem como o aspecto técnico mantém um padrão então irei comentar sobre o roteiro do episódio, se vocês perceberam esse episódio é a parte 2 de um grande arco de seis episódios até o final da série e como estou vendo apenas para ampliar meu conhecimento em Nasuverse acabou renegando o aspecto de narrativa policial que não chega a afetar pois Velvet não faz parte do departamento de polícia, bem esse episódio só serviu indexar os assuntos da franquia e o universo.

Sempre é bom variar um pouco.

Basicamente era isto que eu queria falar sobre este episódio dos casos amaldiçoados de Velvet, aqui é Jonh Vini e estou há espera dos vossos Feedbacks deste episódio e da review para melhorar, não se afobem, discutir pacificamente é saudável, enriquece a vida e até mais