Essa é Minha Escolha – SNK

Essa é Minha Escolha - SNK

Artigo enviado por Adam.

Obra: Attack on Titan (Shingeki no Kyojin)

Não estou aqui para discutir a respeito da qualidade da obra, que para muitos está em sua melhor fase e para outros está cada vez mais se perdendo em seu próprio mundo, não, vim compartilhar com vocês é a respeito de como a personalidade do Eren chegou aonde chegou e como isso deu andamento na história tanto do anime e mangá, mas como um exemplo em nossas próprias vidas.

Vamos pelo começo, Eren era uma criança normal que tinha o sonho de conhecer o mar, que como era falado no livro do Armim “Um lugar cheio de água salgada”, naquela época ele já se sentia preso dentro das muralhas, sem poder conhecer o mundo, então começa o anime e a mãe dele morre, ele vira titã anos depois e luta para tentar entender o mundo em que vive.

O que quero dizer é, é tão errada a liberdade que ele procura?

De todas as formas o anime e mangá nos mostram como ele viveu sem escolhas a vida inteira, começando pela sua mãe não o deixando entrar na tropa de exploração por achar perigoso, e assim como toda mãe deve e normalmente faz, cortou um sonho perigoso do filho tentando proteger ele. Em seguida ele escolhe salvar a mãe de morrer e o que acontece? Ele é impedido.

Alguns anos se passam e ele entra na tropa de exploração e a prisão de escolhas dele se torna maior tendo em vista que ele já não tinha escolha de entrar ou não na tropa, ele prometeu a si mesmo que faria de tudo pra exterminar titãs então aquilo se tornou uma obsessão, pior ainda é ele descobrir que para combater o que ele mais odeia é sendo a mesma coisa.

Até aqui se contarmos teremos:

1° Muralhas;

2° Mãe negando o que ele se tornaria;

3° Negaram salvar a mãe dele;

4° Obsessão;

5° Ser um titã.

Após isso os ganchos só o prendem para uma falta de liberdade tremenda, a maior delas é ser a esperança de todos se transformando naquilo que mais detesta. Ele perde amigos que o traem, pessoas importantes morrem em sua frente e ele não pode fazer nada, sempre e a todo o momento ele é levado ao extremo, às escolhas que ele tem de fazer, sabendo que se escolher a errada tudo pode acabar. No mínimo se fosse uma pessoa comum ele enlouqueceria.

Rumando para a 3° Temporada temos um Eren sem fogo nos olhos, sem o brilho de fazer o que é certo, mas simplesmente cansado de saber que a maioria de suas escolhas foram ruins, a escolha de seu pai foi ruim e carregar o símbolo de ser a esperança em algo tão grandioso quanto a vida de todos é destruidor.

Por fim e o mais desanimador para ele é ver o mar realmente, mas saber que isso não passa de uma muralha gigante dele contra o mundo inteiro, e a frase “nossos reais inimigos estão depois do mar” quebra tudo que ele considerou por liberdade até então, porque os titãs do lado de fora tinham sido eliminados e não se necessitava mais das três muralhas, porém a luta de verdade ainda iria começar.

Depois de um timeskip de anos o personagem volta totalmente diferente, destruindo o psicológico abalado do Reiner, matando civis fora de Paradis, indo contra as regras e atacando os próprios amigos.

Girando toda essa bola de neve o que temos? Que atualmente ele está preso em ser a esperança salvando a todos e não precisando receber ordens de ninguém.

Porque isso? Vamos pensar em nossa vida, quando falamos de alguém que tem uma grande responsabilidade ao nascer pensamos no famoso caso de ter um pai médico e mãe advogada, você como filho tem de ser incrível, afinal seus pais são incríveis. Outro ponto, você ser o primeiro a fazer uma faculdade em casa, acaba por ser o comparativo da família para todos “Mas ele faz faculdade” e alguns podem não gostar de você por isso.

Ou quando trabalhamos, temos prazos e metas a prestar e por conta disso nos empenhamos em fazer o melhor afim de não sermos demitidos.

O que quero dizer é que sentimos o peso da responsabilidade e queremos corresponder a ela, mas ao mesmo tempo queremos respirar, como quando estamos estudando, mas gostaríamos de ver uma série ou filme que está em alta, mas para corresponder expectativas nos fechamos e fazemos o que precisa ser feito.

Isso gera alguns sentimentos por diversas vezes negativos em nós mesmos. Não sou especialista nem nada do gênero, mas é algo que já passei e por isso dou o mínimo que conhecimento que tenho na área.

Agora eu refaço a pergunta, é tão errado ele querer a liberdade que nunca teve?

E não, não é errado, porém o anime mostra que a única escolha que ele tem é cumprir a meta de ser a esperança de Paradis, todos que não são do exército confiam nele e ele quer salvar seu lar, basicamente sua única escolha de liberdade é aprisionar ele na mesma esfera que o circunda desde o começo do anime. E mesmo ele podendo estar sendo influenciado pelo irmão não muda o fato de que no mais fundo a história sempre foi sempre sobre ser liberto do que te prende.

O mangá/anime está sendo lançado ainda então é algo como uma análise com o que temos até agora, talvez tudo mude, porém é necessário frisar que se você passa por algo que te pressiona a ser o melhor, seja o melhor, mas quando cansar respire e pense bem no que faz, no fim é sua vida e não das pessoas que colocam expectativas altíssimas em você qualquer seja o motivo.

Dúvidas, sugestões e críticas estamos a disposição.

Minha segunda vez escrevendo ao OtakuPT:

Caso queira dar uma olhada na primeira: De menino para Kaneki, de Ghoul para Homem.