Dia 13 de Agosto vai finalmente estrear na Amazon Prime Video o filme anime EVANGELION:3.0+1.01 TRÊS DE UMA VEZ, o 4º e último filme de Rebuild of Evangelion. A convite da Amazon tivemos acesso antecipado ao filme e aqui fica a minha análise com spoilers ao mínimo.

Evangelion 3.0 + 1.0 é algo que os fãs já esperam e desesperam há muito tempo, o filme teria a sua estreia algures em 2015, mas devido à saúde, envolvimento no filme Shin Godzilla, e outros problemas, o diretor Hideaki Anno, teve de adiar a aventura final de Shinji Ikari nos cinemas e com uma pandemia pelo caminho, só agora em 2021 o filme viu a luz do dia.

Na sinopse oficial podemos ler:

Na quarta e última parte da Reconstrução de Evangelion, Misato e o seu grupo anti-Nerv, Wille, chegam a Paris, uma cidade agora coberta de vermelho pela nuclearização. A tripulação da AAA Wunder aterra numa torre de contenção. Têm apenas 720 segundos para restaurar a cidade. Quando uma horda de Evas Nerv aparece, a melhorada unidade Eva 8 tem que intervir. Enquanto isso, Shinji, Asuka, e Rei vagueiam pelo Japão.

O filme começa com um breve resumo dos acontecimentos anteriores, e quando digo que é breve, é mesmo breve, recomendo assistirem aos anteriores, pois o Lore de Neon Genesis Evangelion é tão vasto e rico que facilmente alguns pormenores vão escapar aos telespectadores mais desatentos.

A história começa com mais um salto temporal, uma luta frenética numa Paris decadente e depois entra num ritmo mais lento, sendo que posteriormente o ritmo vai sempre crescendo. Foi muito agradável ver no início do filme uma espécie de arco redentor da Ayanami, uma espécie de mini arco da personagem que dá algum calor ao coração dos fãs da personagem. Aliás, ao longo de Evangelion 3.0 + 1.0 são notórios estes “mini arcos” em que Hideaki Anno decidiu focar a sua atenção em determinada personagem bem como o regresso de algumas caras familiares que fomos conhecendo ao longo da história.

EVANGELION3.0+1.01 TRÊS DE UMA VEZ poster

No entanto, Shinji Ikari continua a ser aquele personagem que muitos vão detestar e na minha opinião o filme deveria ter dedicado mais tempo a mostrar o personagem a fazer a sua resolução final. Depois de uma série, OVA e 3 filmes anteriores, a sensação que fica é que este personagem tão complexo toma uma decisão repentinamente, sim tem lógica e é explicado, mas gostaria de mais algum tempo de antena para retratar a sua psique. Tudo bem que no final temos o inevitável confronto com o seu pai que foi bem muito conseguido mas antes disso gostaria de o ver mais explorado.

Graficamente o filme está muito bem executado, com momentos que recorreram claramente à captura de movimentos de ator, com Hideaki Anno a aplicar algumas técnicas de cinema live-action neste seu Evangelion 3.0 + 1.0, aliás é conhecido o interesse do diretor em se dedicar a filmes live-action e esse seu interesse transpareceu neste último filme de Rebuild of Evangelion.

Studio Khara passa a animar com o Blender

Continuo, no entanto, a não gostar da implementação do 3DCG neste conjunto de filmes Rebuild of Evangelion e é o único fator verdadeiramente negativo que aponto não só a Evangelion 3.0 + 1.0 mas também aos anteriores filmes. É certo que o Studio Khara, o estúdio de animação dos filmes Rebuild of Evangelion criado por Hideaki Anno, faz parte da Blender Foundation, a companhia produtora do software de criação open source 3D CG “Blender“ e é do seu interesse mostrar as capacidades deste programa de animação, mas a execução tem muitos altos e baixos e não foi conseguida uma animação consistente que muitas vezes chega a quebrar a imersão.

Mari esconde um segredo que é revelado com o seu nome verdadeiro, mas será que a maior parte das pessoas se vai aperceber disso?
Mari esconde um segredo que é revelado com o seu nome verdadeiro, mas será que a maior parte das pessoas se vai aperceber disso?

Com uma duração de aproximadamente 2h30minutos, este filme anime na minha opinião poderia muito bem ser dividido em duas partes, dando assim mais tempo para explicar algumas das coisas que vão acontecendo, um problema bem notório nos últimos 30 minutos do filme em que o espectador é bombardeado com conceitos e terminologia do Lore de Neon Genesis Evangelion e muitos de certeza que ficarão sem perceber metade do que aconteceu no ecrã.

Eu gostei da história, da sua execução e como um fã de longa data de Neon Genesis Evangelion gostei da maneira como Hideaki Anno deu por terminada a franquia. Acho que foi um final adequado, que fez sentido e definitivamente o melhor final, com tudo a fazer sentido.

Uma nota para o final, já na série anime e no OVA o fim reserva sempre algo diferente e este Evangelion 3.0 + 1.0 não foi exceção com o seu final “à lá” Neon Genesis Evangelion.

Quem diria que a resposta final depois de 26 anos estava mesmo à nossa frente………………

Neon Genesis

Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.