Fate/Grand Order: Babylonia – Episódio 10: Luchadora One-chan

Artigo por Jonh Vini.

Bem serei direto: gostei desse episódio, mas eu não sei o porquê, será porque foi um episódio bem animado, ou que foi bem escrito, talvez por ser engraçado? Não sei como dizer, mas nem deu um minuto de episódio é já tivemos uma discussão que deveria ter aparecido no UBW ou em qualquer outra rota da obra-mãe pois é sempre bom ver o douradinho é a Tsundere brigando, mesmo Gilgamesh falando o novo objetivo para o nosso quinteto heroico, aqueles poucos segundos valeram ouro.

Tarde demais.
Tarde demais.

Por falar em ouro finalmente apareceu a última deusa da tríade e sinceramente não conhecia Quetzalcoatl até Maid Dragon e desde de lá possuo a imagem da Lucoa, mas desde aquele evento de verão que citei na review passada possuo uma imagem mais próxima a que foi apresentada nesse episódio, mesmo que aquele sambinha após a apresentação dela ficou estranho pois ela é uma divindade dos povos mesoamericanos, mas especificamente em áreas que fizeram parte da américa hispânica e desconsiderando a unificação das coroas, e mesmo fazendo parte da américa latina o Brasil (infelizmente) não poderia ser representado por essa deusa(infelizmente²).

Porque o samba?
Porque o samba?

Tirando essa parte chata a apresentação dela ficou bem animada e engraçada, principalmente na parte que a Mashu não entendeu bem aquela “aliança” proposta pela Quetzalcoatl, já a principal minion dela, Jaguarman teve de limpar a bagunça de uma maneira bastante gentil mas o que venho destacar é que como o diretor do episódio conseguiu resumir uma batalha em sequência numa piada de incrível gosto.

Nada de luta para vocês.
Nada de luta para vocês.

Rumo ao suposto templo da Deusa(Cabeça) do vento, me surpreendeu mais uma vez a floresta pois como disse no meu segundo post sobre a série que muitos dos cenários que encontramos no jogo é reaproveitado, com isso é fácil perder o senso de progressão durante o “gameplay”, mas quando decidiram adaptar esses cenários por anime ficaram tão vividos que parecem reais e naturais, pegando como posso exemplo o momento que o Gudao usou todo seu charme de protagonista da série é conseguiu “pegar” o Jaguarman, mesmo sendo uma piada, estava bem animada, até mesmo nos momentos prévios dela estavam bem feitos, falando do time cômico como um todo, já que não terei chance de falar nessa Review, estava maravilhoso, bem eu sou um pouco culpado para isso já que eu trouxe um Review de Carnival Phantasm, mas a comédia aqui está ligado com cenas bonitas e bem animadas que me dão ânimo para espera uma segunda temporada do Carnival.

Mashu defendendo seu posto.
Mashu defendendo seu posto.

Para aos fãs da Rin não ficarem com raiva de mim temos de falar sobre o aumento do nível de relacionamento dela com o Gudao, sim nível pois existe uma mecânica para “melhorar” os diálogos dos servos no jogo mas isso exige dinheiro mas como ele conseguiu ela com bastante recurso, provido pelo douradinho, então já era esperado ela se torna fofa a tão ponto que até o próprio Fou judie dela e aliás outro momento de referência da série original pois como disse no episódio 2 a dubladora de Fou e a mesma da saber, fazendo desse episódio  Stay Night compacto pois temos o Shirou(Gudao), a Saber(Fou), a Rin (Ishtar), a Sakura(Mashu), a Taiga(Jaguarman) e até mesmo o Shinji(Merlin) junto com sua Rider.

Alergia de protagonista.
Alergia de protagonista.

Por fim temos o gancho para o próximo episódio que foi ok, inesperado pelo fato que Quetzalcoatl não ter matado os soldados, mas provavelmente teremos algo pesado mas memorável para fechar essa primeira parte da série e o ano para a franquia.

  A espera do protagonista.
A espera do protagonista.

Bem basicamente era isso que eu queria falar sobre o gacha da babilônia, aqui é Jonh Vini e estou à espera dos vossos Feedbacks deste episódio e da review para melhorar, não se afobem, discutir pacificamente é saudável e enriquece a vida e até mais.

Enquanto isso no México.
Enquanto isso no México.