Hinamatsuri – Ep. 1: A garota telecinética e o yakuza

Hinamatsuri - Ep. 1: A garota telecinética e o yakuza

Mais uma estreia da Temporada de Primavera chegando para o publico e desta vez se trata da adaptação para anime do manga Hinamatsuri, de Masao Ōtake. O anime está sendo produzido pelo estúdio Feel (Dagashi Kashi), com direção de Kei Oikawa (Outbreak Company), roteiros de Keiichiro Ochi (My Teen Romantic Comedy SNAFU TOO!) e com design de personagens de Kenetoshi Kiminoto (Dagashi Kashi).

Neste primeiro episódio vemos o jovem yakuza Nitta recebendo de forma misteriosa a jovem Hina através de um portal aberto no meio de sua sala. Agora Nitta deve abrigar e conviver com a garota, que realiza diversos tipos de ameaças caso ele não realize suas vontades e gostos.

A série começa logo de cara demonstrando uma boa cena de luta com uma animação muito fluida e com qualidade nos movimentos da personagem em foco, porém logo descobrimos que está cena se passa no futuro e isso me faz questionar se em seus 12 episódios o anime ira realmente chegar até os acontecimentos que levaram até a esta cena inicial ou se a equipe de produção da série possui muita confiança de que Hinamatsuri ira fazer sucesso suficiente para garantir novas temporadas para que assim o anime conte todo o caminho que ira leva a esta cena.

Hinamatsuri - Ep. 1: A garota telecinética e o yakuza

Quem leu os primeiros capítulos do manga pode ver claramente as mudanças feitas para conseguir adaptar e assim apresentar de forma correta Nitta e Hina. Juntar e misturar os acontecimentos do primeiro e segundo capítulo e parte do terceiro fez o anime se tornar bastante dinâmico, explicando um pouco dos poderes da jovem garota e ainda desenvolvendo sua personalidade e sua relação com o yakuza. A parte de comédia também funciona de forma natural e muito disso se deve pelo boa atuação dos atores de voz Takako Tanaka e Yoshiki Nakajima.

Como dito acima, a animação feita pelo estúdio Feel consegue ser muito fluida no inicio do episódio e essa fluidez permanece durante todo o seu decorrer, o visual de cada um dos personagens é único e os ambientes são bastante preenchidos e em diversas cenas não são realizadas muitas mudanças de câmera. A cena de Hina indo a sede de uma organização rival a de Nitta é excelente pois podemos ver a reação no rosto do jovem yakuza aos homens sendo jogados pelas janelas.

Hinamatsuri tem tudo de para se tornar um grande anime, sua animação é fluida e fora da média para este tipo de série, possui uma história bem adaptada neste momento e que pode crescer no futuro, comédia balanceada na medida certa e personagens carismáticos a sua forma. Certamente que este anime é recomendadíssimo e espero que ele possa me surpreender no decorrer desta temporada. 

Hinamatsuri - Ep. 1: A garota telecinética e o yakuza

Um fã de animes, cinema, games, séries e com um gosto musical incomum. Membro brasileiro do OtakuPT e formado em Processos Fotográficos.
Subscreve
Notify of
guest

6 Comentários
Mais Antigo
Mais Recente Mais Votado
Inline Feedbacks
View all comments
Shiba
Shiba
11 , Julho , 2019 21:13

Foi uma boa estreia.

Ronie Peter
Ronie Peter
11 , Julho , 2019 21:13

Peço de antemão desculpas ao editor, mas preciso corrigi-lo: é estúdio Feel. Agora minha opinião, que não tem nada a ver com esse pequeno equívoco hehe: eu pondero sobre se eles acham que vai fazer sucesso. Embora seja isso que eu desejo, eu acho que isso é muito mais uma forma da Kadokawa tentar emplacar um ‘sucesso’ para que possa vender mais a obra. Desde que saiu o primeiro PV já estavam fazendo marketing do BD e do DVD. Eu pensei que fosse uma jogada de marketing comum, já que nesse nicho eles sempre tendem a procurar uma melhor estratégia. Mas depois que eu li alguns meses atrás uma entrevista com o produtor da Kadokawa, eu realmente pensei o oposto. Nessa entrevista ele falava sobre como estão sendo pouco vendidos os produtos físicos ultimamente [BD, Blu-ray e DVD], e como isso significava pouco lucro.

Então eu tenho dúvidas se isso é confiança ou ‘desespero’ [no bom sentido], pois é bem estranho a forma como foi feito marketing do BD antecipadamente. Nem DarliFra que é uma série feita por dois grandes estúdios, Clove Works [anteriormente com o nome de A-1 Pictures da região de Koenji] e Trigger, teve um marketing no produto físico de forma tão antecipada. O marketing sobre ele está sendo feito agora, que a série está indo para o segundo cour.

Outra questão é a animação: o estúdio Feel realmente nos últimos anos se tornou um estúdio muito bom. O diretor Oikawa parece ter uma boa afinidade com o estúdio. E isso é bom. Me lembra até a afinidade que tem, por exemplo, o diretor de Princess Principal, Masaki Tachibana, com o studio Wit [porque ele foi um ex-Production I.G, dai a ligação], Kinema Citrus [estúdio que ele ajudou a fundar] e 3hz [cujo presidente do estúdio também era membro do Kinema Citurs e foi membro fundador antes de fundar o 3hz separadamente].

A parte mais engraçada sobre esse diretor é que ele está dirigindo Uma Musume: Pretty no estúdio P.A Works. Eu verifiquei os antecedentes dele [rs] e não vi nenhuma ligação dele com o estúdio, nem mesmo em direção de episódio de qualquer coisa. Eu acredito que a Cygames [que é a produtora do anime, já que é baseado em uma de suas franquias de jogos] tenha visto com bons olhos ele e então o incumbiu de dirigir essa série. Bom pra ele, pois a Cygames é uma produtora excelente, e também tem seu próprio estúdio. Mas voltando ao assunto da animação: há de se dar mérito para os colaboradores regulares desse diretor, os animadores Ryo Araki e Tetsuya Takeuchi [diretor de animação e ação em SAO 1 & 2]. Ouvi dizer que eles estão praticamente solando a série inteira com o seu trabalho de animação. Então eu acho que há uma divisão no mérito ai: O estúdio Feel, que é bom indiscutivelmente, o diretor, que é exemplar, e os animadores, que se dispuseram a praticamente carregar a animação nas costas como animadores principais.

É isso. No mais a série começou realmente por cima.

Evandro Pedro
Evandro Pedro
Reply to  Ronie Peter
12 , Julho , 2019 0:21

Só há um segredo para as vendas, que é a qualidade. se eles fizerem um anime com boa qualidade sem se preocupar tanto com o marketing vão ter um bom retorno.
O melhor exemplo é yuru camp que foi um o sucesso de vendas da temporada passada.

Ronie Peter
Ronie Peter
Reply to  Evandro Pedro
12 , Julho , 2019 2:02

Sim, é verdade. Eu não vi essa série, mas eu fico feliz quando uma série assim por um estúdio tecnicamente abaixo consegue se sobrepor. C-Station é um um estúdio que até pouco tempo só fazia inbetween. Outro que se deu bem foi Houseki no Kuni. É bem legal ver animes assim ganhar não propriamente por sua qualidade técnica, mas por ser bem construído e executado.

Ambos [as séries que eu citei] entram nessa categoria.

Felipe Soares
Felipe Soares
Reply to  Ronie Peter
12 , Julho , 2019 0:21

Nome do estúdio corrigido, agradeço por ter avisado.

Ronie Peter
Ronie Peter
Reply to  Felipe Soares
12 , Julho , 2019 2:02

De nada.