Kodansha vence processo de 1,47 milhões de dólares contra três administradores de sites pirata

Os três administradores do site já receberam em janeiro sentenças de prisão por violação de direitos autorais

3 anos de prisão por links para conteúdos pirata

O Tribunal Distrital de Osaka concedeu à Kodansha a sua reivindicação de 160 milhões de ienes (cerca de 1,47 milhões) contra três administradores do site “leech” Haruka Yume no Ato na passada terça-feira.

Os três administradores do site já receberam sentenças de prisão por violação de direitos autorais em janeiro, e o Tribunal negou o recurso a 1 de novembro.

Na sentença de janeiro, os três homens receberam três períodos diferentes de prisão: três anos e seis meses, três anos e dois anos e quatro meses, todos sem sentenças suspensas.

Em outubro de 2017, nove departamentos de polícia no Japão trabalharam juntos e prenderam nove suspeitos por violar a Lei de Direitos Autorais no site “Haruka Yume no Ato”, um dos maiores sites do Japão que agregava e fornecia hiperlinks para sites piratas. Enquanto o site em si não era ilegal sob a lei atual, os operadores foram presos por distribuir os conteúdos pirata para os quais o site fornecia links. As editoras Kadokawa, Kodansha, Shueisha, Shogakukan, Square Enix e Hakusensha trabalharam juntas no caso.

A Associação de Direitos Autorais para Software de Computador estimou que o site “Haruka Yume no Ato” no momento da prisão causou 73,1 bilhões de ienes (cerca de 640 milhões de dólares) em danos por perda de vendas.