Kumo desu ga, Nani ga?: Episódio 23 – Calma que tá terminando

Artigo por Jonh Vini. Podem enviar os vossos artigos aqui.

Semana que vem acaba esse anime, por isso que nem darei tanto enfoque nesse episódio, apesar que tenho de entregar quinhentas palavras se não o Bushido não coloca no ar essa review, então vamos adicionar um pouco a essa bagunça que foi esse vigésimo terceiro episódio que quando assisti só aceitei tudo que ocorria durante o episódio já que não consumi o material especial, então todo o conhecimento que obtenho da obra é por via de spoilers da obra, então depois procurar comentários de assíduos leitores do material original descobrir que a história do anime está atropelando processos da história para casar com os 24 episódios comprados pelo comitê de produção, eu aceito isso pelo fato que o diretor geral da obra seja Itagaki Shin, mas incomoda o fato que o autor do original permitir isso, não pelo fato que Baba Okina ser apenas o autor e não poder mudar algo de sua narrativa por contrato, mas ele estava dentro da produção com estruturador da obra, então poderia ter criado narrativas baseadas na obra original que cairiam adaptação animada, mas aí fica a cargo do comitê de produção escolher isso, pois é eles que financiam a obra.

Pelo menos foi usado melhor que Yasuke.
Pelo menos foi usado melhor que Yasuke.

Começar o episódio com mechas foi o pontapé inicial para desligar a mente de qualquer um que gosta da obra, mas não quer pensar muito sobre a adaptação da obra, pois sinceramente desastre seria eufemismo para o que ocorreu no episódio, pelo fato da narrativa desse episódio era focado no lado humano, então não teríamos o mesmo esmero na parte narrativa como ocorre quando a Madoka é o enforque e foi isso que aconteceu já que basicamente tivemos a batalha do bem contra o mal, pelo menos foi o que pensávamos até a chegada do Wrath para jogar uma dúvida sobre o lado dos “mocinhos”, lembrando que clichês foram bem usados para simplificar muito a batalha, pois imagine tudo isso com muitas falas expositivas sobre motivações de ambos, já basta o Novo herói falar isso, mas isso é o único ponto bom no episódio, além da única fala da Azusa, estou dando nome da dama de branco, mas para bom entendedor(ou leitor do original) meia palavra basta, não tivemos nada da Madoka nesse episódio e criando o cliffhanger da reunião no próximo episódio.

Fala típica de herói.
Fala típica de herói.

Agora vamos bater na produção, sinceramente eu espero que esse nível de produção não se repita no episódio final já que o melhor ponto no episódio na parte técnica foi justamente os efeitos de luz nos modelos 3D, já que a animação estava estranha na luta inicial, o traço dos elementos em 2D estava estranho, a própria luta inicial pareciam um comercial de um jogo de baixo orçamento, mostrando os bons modelos em CG para camuflar todo entorno, onde todo resto é barato para ter um retorno de lucro maior para empresa que o produz, voltando ao anime tenho falar da luta final e mesmo mesclando o 3D com 2D a luta final ficou sem emoção, muito porque a produção não conseguiu criar a sensação de união entre os personagens pela baixa qualidade do traço 2D com uma movimentação bizarra em 3D que deixa tudo muito indesejado, para não usar uma outra palavra, espero que isso não ocorra no episódio final, apesar que não irei nutrir tanto essa esperança.

Eita, a Pequena demônio é bem poderosa(leia com ironia)
Eita, a Pequena demônio é bem poderosa(leia com ironia)

Basicamente era isso que eu tinha para falar desta tentativa do anime da miranha, aqui é Jonh Vini e o foi minha review desta série, estou à espera dos vossos Feedbacks do episódio e da review para melhorar minha escrita para vocês, não se afobem pois arrependimento mata, vamos discutir pacificamente, sem puxar palavras de baixo calão já que como podem ver eu não desferir nenhuma contra vocês é saudável porque enriquece a vida e até mais.

Não é engraçado quando o anime fala seu nome?
Não é engraçado quando o anime fala seu nome?
Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.