O que significa fazer parte de um comité de produção anime?

O que é um comité de produção anime?

O que significa fazer parte de um comité de produção anime?

A Funimation seguiu os passos de companhias como Netflix e Crunchyroll e começa agora a fazer parte de comités de produção de anime de forma a ter uma maior influência e controlo sobre o que é produzido.

Na temporada que terminou a Funimation fez parte do comité de produção de animes como , ID: INVADED e Plunderer. A companhia também participou nos animes Fruits Basket (2019), Fire Force e Dimension W.

Em baixo podem ler uma explicação sobre o significado de pertencer a um comité de produção anime. Não se esqueçam que recentemente publicamos um editorial de um jornal japonês onde é afirmado que este próprio sistema de comité de produção anime vai ser a causa do fim da liderança do Japão na produção de anime.

Podem reconhecer os termos: coprodução, “co-pro” ou “no comité” provenientes de um distribuidor estrangeiro de anime. Mas o que isso realmente significa? E como isso beneficia os fãs de anime?

Vamos falar sobre comités de produção de anime e os papéis que eles desempenham no processo. Porque quanto mais aprendemos sobre o anime que amamos, mais podemos apoiar aqueles que o criam.

Um equívoco que alguns têm com o anime é que o estúdio de animação é responsável por produzir tudo relacionado com uma produção anime, incluindo lançamentos de DVD/BD e merchandising. Para a grande maioria dos animes, isso não é verdade. Hoje, quase todas as produções de anime são financiadas por algo chamado comité de produção. Um comité de produção é uma empresa criada especificamente para ser uma joint venture entre um grupo de empresas com o duplo objetivo de produzir algo divertido que também recupere os seus custos e acabe por gerar lucro.

No passado, muitas séries anime eram financiadas principalmente pela estação de TV e pelo estúdio de animação principal. Como o anime foi gradualmente deixando de ser exibido durante o horário principal no Japão e passou para os blocos noturnos, o método do comité de produção tornou-se uma maneira comum de financiar a criação de uma série anime.

Por que as empresas colaboram num anime?

Há duas razões principais: risco e especialização.

Se uma empresa produz algo por si mesma, é a única em risco, se falhar. Portanto, isto é usado apenas para propriedades e franquias ou títulos “seguros” produzidos por grandes empresas que podem aguentar com uma perda. Se esse risco for distribuído por muitas empresas para títulos cuja popularidade não é conhecida com antecedência, as possíveis perdas serão distribuídas entre o grupo e poderão ser administráveis para cada empresa. Isto é feito pela mesma razão que os investidores são instruídos a diversificar os seus investimentos em vez de colocar 100% das suas economias num ativo: a diversificação reduz o risco e geralmente leva a um retorno líquido positivo do investimento em todos os ativos.

Um sucesso extraordinário significa que a empresa não ganhará tanto, mas isso será um custo de seguro para garantir que a companhia não perde muito dinheiro se a produção não gerar a receita que era aspectável. Além disso, produzir anime sozinho é muito desafiador se a companhia não estiver acostumada.

Há muitas etapas a serem seguidas para produzir um novo anime: encontrar elenco e staff, promoção, conseguir alguém para transmitir, produzir música, vender merchandise e DVD/BD e assim por diante. Uma empresa especializada em impressão de revistas, mangá e novels não saberia o primeiro passo na produção de música para um anime. Ter uma empresa de produção de música no comité permite que uma editora se concentre apenas no que pode fazer, enquanto permite que os outros atuem de acordo com a sua especialidade. A empresa de música pode dizer: “Temos este novo artista que queremos promover, então vamos usá-los como vocalista na série!” ou tê-los como personagem principal. Isso beneficia as duas empresas ao mesmo tempo.

Quais são os cargos num comité de produção anime?

Cada empresa no comité tem o seu próprio papel. Algumas trabalham para promover a série (agências de publicidade), algumas produzem o lançamento de DVD/BD, algumas vendem direitos de streaming (enquanto outros vendem direitos internacionalmente) e a lista continua.

Os estúdios de animação normalmente não têm muitos funcionários internos, portanto, eles não seriam capazes de lidar com toda e qualquer responsabilidade por um título sem a assistência de outras empresas. O método do comité de produção ajuda os estúdios de animação a concentrar-se no que fazem de melhor, permitindo que o título seja anunciado em todo o mundo para que os fãs o possam antecipar e aproveitar.

Como mencionado, parte do benefício dos comités é dividir o risco entre diferentes empresas. No entanto, esse risco não se espalha uniformemente, pois cada empresa contribui com uma quantia diferente para a produção geral. Se um título vender muitos DVD/BD, a editora de DVD/BD deverá investir mais dinheiro que outros e arriscar mais do que uma empresa de publicidade que não veria esse tipo de receita de volta.

Geralmente, cada empresa trabalha para recuperar o seu investimento e depois contribuir com os outros membros do comité, de acordo com a estrutura contratual do comité de produção. Isto permite que empresas menores, como estúdios de animação, invistam o máximo possível na produção e ganhem dinheiro com outras empresas, se for um sucesso.

Como é que isto funciona com parceiros internacionais como a Funimation?

A Funimation está listada no comité de produção por três títulos durante a temporada de inverno 2020: Hatena Illusion, ID: INVADED e Plunderer. Também esteve no comité de produção do anime de Fruits Basket (2019), Fire Force e Dimension W.

Devido ao trabalho que fizeram e aos fortes relacionamentos que a empresa construiu com os parceiros japoneses nos programas de licenciamento deles, eles foram convidados a participar nesses comités para ajudar a financiar essas produções diretamente.

Em vez de simplesmente licenciar os direitos de uma série finalizada (como as empresas costumam fazer), a Funimation pode agora diretamente possuir alguns títulos ao trazê-los ao resto do mundo. Também não há medo de perder os direitos dessas séries; eles estão aqui para ficar na biblioteca da Funimation para sempre. Por outro lado, o resto do comité confia na Funimation para que esta use os seus conhecimentos internacionais para promover melhor a série anime para os espectadores estrangeiros e fornecer informações mais detalhadas às outras empresas japonesas sobre o que os fãs no exterior gostariam de ver. É uma situação Win-Win.

Para os fãs, este tipo de acesso significa a capacidade de parceiros internacionais colaborarem com criadores de conteúdo em visuais importantes, PVs e conteúdo exclusivo dos bastidores. Por exemplo, co-produções entre Funimation e KADOKAWA levaram a novos visuais-chave para títulos como ID: INVADED e Plunderer. Às vezes, este acesso também permite uma produção mais rápida de legendagem e localização, levando a um aumento no número de simulcasts que são transmitidos dentro de 24 horas da transmissão de TV inicial no Japão.

O anime já não está focado apenas no mercado japonês. As empresas japonesas estão à procura do interesse dos fãs estrangeiros em títulos mais do que nunca para aumentar o retorno financeiro dos seus investimentos permitindo assim reinvestir esse dinheiro em novas produções.

Subscreve
Notify of
guest

17 Comentários
Mais Antigo
Mais Recente Mais Votado
Inline Feedbacks
View all comments
Pico
Pico
6 , Abril , 2020 14:53

Interessante.?

Nota: Maldita Funimation.???

Juan Duarte
Juan Duarte
6 , Abril , 2020 14:53

Excelente matéria, parcerias internacionais na produção de materiais de entretenimento é algo cada vez mais comum em diversas mídias, como em filmes tb, cada vez mais saem produções feitas entre empresas americanas e chinesas, como Venom e vários outros exemplos. Mas eu tenho a impressão que no caso de animes alguns fãs fazem muito barulho, como se uma única empresa estrangeira no meio de várias outras japonesas fosse trazer alguma grande mudança agora, sendo que ainda possuem uma partipação muito pequena e que já fazem isso há vários anos.

É claro, no futuro tudo pode mudar, talvez mesmo, mas só saberemos quando acontecer.

PS: E nada ainda sobre o anime de Pluto.

toygame lan
toygame lan
Reply to  Juan Duarte
8 , Abril , 2020 10:15

AInda existe o projeto do anime de pluto? nunca mais vi nada sobre isso

Juan Duarte
Juan Duarte
Reply to  toygame lan
12 , Abril , 2020 12:31

Em um evento francês havia havia saído um suposto preview em baixa qualidade, mas isso faz anos e nunca mais houve alguma notícia.

Marcio Hoglhammer Moreira
Marcio Hoglhammer Moreira
6 , Abril , 2020 14:53

Interessante a matéria

Ao
Ao
6 , Abril , 2020 14:53

O que significa fazer parte do comitê para essas tres?

Compartilhar conteúdo de Fansub.

Pedro Yago Barreto
6 , Abril , 2020 14:53

É no mínimo preocupante, a gente sabe o que essa empresa faz com os animes aqui no ocidente graças ao seu posicionamento político e social, se ao menos mantivessem isso longe dos animes … comment image

Juan Duarte
Juan Duarte
Reply to  Pedro Yago Barreto
8 , Abril , 2020 10:15

Acho que ainda não chegou a esse ponto, digo isso porque as empresas japonesas ainda são a grande maioria que formam esses comitês, no caso de Fire Force há cinco empresas de produção: 3 japonesas, 1 chinesa e a Funimation, mesmo que ela tenha algum poder, ainda representa uma pequena parcela. É claro, estou falando da produção do anime em si e não das liberdades que a Funimation toma na hora de dublar suas series para o mercado americano, nessa hora seguem uma agenda em muitos casos..

Victor Borges
Victor Borges
6 , Abril , 2020 14:53

meu sonho era produzir um anime , tem tanto mangá por ai que ninguem dá moral mais tem tanto potencial para um anime se for bem feito , desperdicio de materiais

toygame lan
toygame lan
Reply to  Victor Borges
8 , Abril , 2020 10:15

tu quer dar um de eizouken kkkkkkkkkkkkkk

Mas a questão é que,muita obra tem baixas vendas e não é de muito interesse das produtoras de comprarem os direitos dessas obras.F

Fora que tanto o publico japones como mundial gosta mais de shounen,outros generos como mecha são bem dificies de ter publico

Juan Duarte
Juan Duarte
Reply to  toygame lan
12 , Abril , 2020 12:31

Gundam é ainda bastante popular no Japão, mas no resto do mundo a história é bemmmm diferente. Tenho varios amigos que curtem animes, mas sou o único que gosta desse gênero entre eles. Falando nisso, acho que iria sair um live-action americano.

toygame lan
toygame lan
Reply to  Juan Duarte
13 , Abril , 2020 13:02

pois isso que falei,genero mecha não é muito asistido pelos fãs de anime.
Principalmente anime como Gundam que falam de politica e outras coisas,no geral o povo só que mesmo saber de animes shounen como DB que tem historia rasa e muita luta

toygame lan
toygame lan
8 , Abril , 2020 10:15

Não chega a ser tão importante assim,pois o que conta mesmo,é a escolha do estudio que vai escolher depois a staff em questão para para fazer o anime,que pode fazer a serie ser boa ou ruim e isso fica com a responsabilidade da produtoras japonesas que detem os direitos autorais das obras como a Bandai e outras empresas.

As plataforma de streaming ficam mais com a parte de distribuição mesmo,onde tem que fazer marketing e tudo mais para promover a serie fora do japão.O fato de estarem mais envolvidos, é para acompanhar de perto o investimento feito,já que animes estão crescendo cada vez mais nessas plataformas e tbm,tem um custo de licenciamento de fazer o conteudo ficara mais tempo no catalago,já que agora estão investindo mais diretamente na produção e com a concorrencia que cresce cada vez mais é mais vital ter obras “originais” como conteudo.

Eu ainda acredito que as empresas japonesas, vão acabar criar uma mega plataforma de streaming ,só para concorrer com as plataformas americanas como netflix,amazon e outras,já que animes estao se tornando uma grande receita nesse mercado e até manhwa estão virando animes

Juan Duarte
Juan Duarte
Reply to  toygame lan
12 , Abril , 2020 12:31

Esse seu ponto é excelente, e realmente não é grande coisa uma única empresa estrangeiro entrar no meio de várias japonesas, isso já acontece há muito tempo. Mas eu penso que muitos fãs estão com medo pq eles pensam que agora a Funimation vai controlar todo o processo da criação do anime, o que é um grande erro nessas circunstâncias, a menos é claro se um dia eles se tornarem o único produtor de um anime, o que parece bastante difícil.

Sobre a questão do streaming, eu acho que ainda vai demorar alguns anos para isso, mesmo animes que pareciam ser exclusivos para eles como Kenga Ashura e Blade Imortal, eles ainda são produzidos usando boa parte do dinheiro de emissoras de TV, Kenga Ashura terminou de passar na MBS semana passada e Blade vai começar a ser exibido dia 7 no mesmo canal, querendo ou não a tv japonesa é ainda importante na produção de animes.

LegacyZ
LegacyZ
Reply to  toygame lan
12 , Abril , 2020 12:31

seria porreiro um stream de anime mas melhor que o crunchyroll.

LeoSan
LeoSan
8 , Abril , 2020 10:15

Podem começar a esquecer animes muito agressivos, se tiverem animes agressivos vai ser tudo censurado. Em questão de violencia e ecchi.

toygame lan
toygame lan
Reply to  LeoSan
12 , Abril , 2020 12:31

Na plataforma de streaming? pelo contrario,as series de TV que estão cada vez mais tendo animes como cenas sem sangue e violencia,por que quando são vendidos a paises como EUA,os governante e pais reclamam da violencia.

No streaming que tem como bloquear parta menos que pode ter animes mais violentes. Viland saga mesmo é um anime que teve muita violencia e foi distribuido pela amazon mundialmente.

EChhi e hentai são coisa desnecssaria que deveria ter acabado faz tempo