Roteirista de Knights of the Zodiac: Saint Seiya tenta se defender, mas será que ele foi convincente?

Roteirista de Knights of the Zodiac: Saint Seiya tenta se defender, mas será que ele foi convincente?

Neste último sábado (08) foi exibido na Comic Con Experience (CCXP) e depois liberado o canal oficial na  o primeiro trailer do remake do anime clássico de Cavaleiros do Zodíaco, automaticamente uma grande parcela do publico começou a repercutir a escolha da mudança de sexo do personagem Shun de Andrômeda ao ponto do roteirista da série, Eugene Son, vir ao seu Twitter responder aos fãs da franquia e tentar se defender sobre a mudança no personagem.

Muitos veículos do meio de animes e mangas já falaram sobre o que esta mudança no personagem acaba significando em relação a uma perca em questão de representatividade, neste caso eu decide deixar neste artigo meu lado crítico e o meu lado como fã da franquia Cavaleiros do Zodíaco andarem lado a lado e comentar alguns pontos da declaração que o roteirista fez em suas redes sociais.

Eugene Son explicou que “desde o início a ideia era mudar muito pouca coisa mas havia a necessidade de atualizar a série mesmo que os conceitos fundamentais que tornam Saint Seiya amado se mantenham mesmo após 30 anos, mas era necessário ter uma protagonista mulher”. Mesmo que os conceitos originais de Cavaleiros do Zodíaco, como a luta pela justiça e pela amizade, tenham se mantido atuais, e são utilizados inclusive em animes atuais como My Hero Academia, eu não vejo a necessidade inclusão de uma personagem feminina entre os cinco Cavaleiros de Bronze, afinal um dos principais problemas da série clássica (no anime e no manga) é a falta de um desenvolvimento mais incisivo das personagens femininas já existentes na história.

Roteirista de Knights of the Zodiac: Saint Seiya tenta se defender, mas será que ele foi convincente?

Saori Kido (que deve ser considerada uma das protagonistas da série clássica) possui um desenvolvimento muito fraco e sempre é utilizada como a donzela a ser resgatada, no painel realizado na CCXP (também no sábado) com os produtores da Toei Animation sobre o anime   (Saint Seiya: Saintia Shō) foi revelado que a ideia de Masami Kurumada (criador da franquia Cavaleiros do Zodíaco) para a série spin off é justamente trazer um desenrolamento mais aprofundado para a personagem (coisa que ele não conseguiu fazer de forma concreta em 30 anos). Já Shaina e Marin são consideradas aliadas dos protagonistas e mesmo sendo utilizadas mais como personagens de apoio no decorrer de toda a série clássica, com destaque em alguns momentos, elas acabam tendo longos períodos sem qualquer participação no decorrer da história (como maior exemplo temos Marin sumida durante toda a saga de Hades e aparecendo apenas no final com a irmã de Seiya). Sem falar ainda que temos na série as personagens femininas sem poderes, como é o caso de Shunrei

O roteirista do novo anime também citou que “o mundo mudou, garotos e garotas trabalhando juntos é o padrão agora”, eu concordo totalmente com esta afirmação, mas neste caso eu não vejo a necessidade de ser realizada a alteração do sexo do Cavaleiro de Andrômeda mas sim aumentar a participação feminina dentro da história com a criação e desenvolvimento de mais personagens. Mesmo sendo impopular entre muitos fãs da franquia, Os Cavaleiros do Zodíaco: Ômega apresentou muitas personagens femininas que tiveram um desenvolvimento de destaque no decorrer da série, destaco neste caso as personagens Yuna de Águia, Aria e Sônia de Vespa/Escorpião. Agora em relação de troca de sexo de personagem clássico da série temos a personagem Milo de Escorpião no filme Os Cavaleiros do Zodiaco: A Lenda do Santuario, mas neste caso a troca de gênero funcionou devido todo o contexto da história envolvendo a Saga das 12 Casas ter se mantido mesmo com a alteração do sexo do personagem.

Por fim, é perceptível que Eugene Son já estava ciente que ao mudar o sexo de Shun (agora Shaun) de Andrômeda estaria alterando todos os acontecimentos futuros da série e forçado a criação de algo totalmente novo fugindo dos acontecimentos do manga clássico criado por Kurumada. Ele fala que “os fãs mais antigos de Saint Seiya sabem o que acontece com Andrômeda com o progresso da série” e mesmo assim ele achou ser interessante apostar apostar nessa mudança. Isso significa que o roteirista sabe que terá que criar novo algo muito mais incrível que o original (coisa que os spin offs da franquia conseguem atualmente com bastante facilidade) para apenas assim conseguir angariar novos fãs para a série e acalmar os fãs mais antigos (e inflamados neste momento). Só será possível saber o quanto essa mudança ira afetar de verdade a história e a dinâmica entre os personagens do anime apenas quando ele estreia na , mas as apostas a favor da série entre os fãs de  estão bastante baixas neste momento por causa dessa alteração polemica.

Roteirista de Knights of the Zodiac: Saint Seiya tenta se defender, mas será que ele foi convincente?

Knights of the Zodiac: Saint Seiya, que estreia mundialmente no catalogo do serviço no verão de 2019, vai ser animada pela Toei Animation, a direção foi entregue a  (D.Gray-man Hallow, Tweeny Witches, Cross Ange, First Squad), o design de personagens é de Terumi Nishi () e as armaduras são da responsabilidade de Takashi Okazaki (Afro Samurai). Já os roteiros estarão a cargo de Eugene Son (Avengers Assemble, Ben 10, Ultimate Spider-man).

Ao que tudo indica este será um remake CG de 12 episódio de 30 minutos desde o arco A Guerra Galáctica até ao arco Os Cavaleiros de Prata.

Um fã de animes, cinema, games, séries e com um gosto musical incomum. Membro brasileiro do OtakuPT e estudante de Processos Fotográficos.