The Day I Became God: Episódio 2- Operation Izanami

Artigo enviado por Jonh Vini.

Começando pela abertura e encerramento, já que a porta de entrada e saída desse episódio foram eles e sinceramente meu nível de conhecimento da Yanagi é por Berserk(2016), pois a única coisa boa do anime é sua parte sonora, tanto que tenho a soundtrack do anime no meu finado telemóvel e o encerramento das duas temporadas tiveram participação dela, por isso meu conhecimento sobre ela é sempre lembrando melancolia, imagina trabalhando com Maeda Jun, caro que a abertura é belíssima, entretanto o demônio está nos detalhes como o nome dela, Kimi to Iu Shinwa (君という神話), minha bela mitologia numa tradução livre, ou console na última cena que provavelmente terá um peso enorme da obra, já o encerramento me remeteu a cena da troca de mana da Rin com o Shirou em UBW, mas aquele peixe pode também significar muita coisa já que é o peixe o símbolo principal no protestantismo atual pois representa o batismo e a nova vida./

Pela abertura para uma história obscura.
Pela abertura para uma história obscura.

Falando do início do episódio parece que Maeda Jun leu minha review pois logo os primeiros minutos tivemos uma piada com nome de todos os membros da família do Yota, todos com nomes pomposos, menos a Hina, sim irei começar a chamá-la de Hina pois temos muitos Odins na cultura pop, mas a Tokiko falou algo profundo que logo me identifiquei já que meu nome é uma junção dos nomes dos meus avôs, mesmo sendo grande tenho orgulho do meu nome, principalmente por causa do número de letras batem com a colocação do alfabeto da primeira letra do nome.

Nosso primeiro presente.
Nosso primeiro presente.

Após a piada, Hina conhece o quarto do seu maestro para impedi-lo de jogar sua vida fora e lembra que falei que o console é importante, pois a saída para cansá-la do Yota é colocá-la a jogar um RPG, se ignoramos a piada poderemos ter alguma referência sobre essa jogatina no futuro, assim como os pais deles ao hospedar a Hina no seu quarto, a fala deles desenvolveram a minha teoria que ela é a única humana da obra é que todos os demais personagens são deuses que vivem nessa Asgard japonesa, claro que poderei está errado, mas o fato deles falarem que finalmente o tempo estava acabando com a chegada dela acende-me que tudo que veremos será a materialização do desejo da Hina quando ela era humana, ou caso ela for a primeira humana após Ragnarok.

Ih, rapaz.
Ih, rapaz.

Mas o que pesou mesmo no episódio foi a Operação conquistar a Izanami, primeiramente vemos que o Yota é bem próximo a ela, praticamente um irmão para ela, mas se lembrarmos bem múltiplas mitologias, principalmente a grega, isso é apenas um detalhe, principalmente para Hina que “lançou a braba” para Yota, já que sua irmã, que faz parte do clube de cinema, chamasse a Izanami para ser atriz do projeto dela, Yota lembrando do episódio passado logo não cai no planejamento da Hina, mas quando sua querida irmãzinha pede ele aceita sem pensar duas vezes, a partir daí foi um festival de easter eggs que nos debulhou com os talentos do Yota, do seu pai(vagabundo), do seu amigo, da Hina e até mesmo da Izanami na arte de atuar, ponham ironia na última, mas quem gostou mesmo foi a Sora que poderia lançar seu projeto e ainda poderia fazer seu querido irmão cair na desgraça total, tal ato apoiado por esse que voz escreve.

Yota Balboa.
Yota Balboa.

Mas o momento lindo do episódio, que foi a tentativa pelo som, primeiramente tenho de lembrar que Izanami está estudando para ir para universidade de psicologia, algo interessante para alguém tão fria como ela, que se aqueceu ao ouvir a música da Hina pegou da mãe dela, muito provavelmente foi isso que ocorreu já que não dá muito para confiar nela, visto os últimos atos nesse episódio e do passado, mas tal cena aqueceu meu coração por ver sorriso dela, uma joia dentro desse tesouro que vem sendo essa série, pena que esse momento de felicidade desapareceu com uma piada, aquele tempo formidável da mãe do Yota que previu a tragédia ocorrido com Sora, o que será que aconteceu com ela, teremos de esperar até a semana que vem.

Que coisa não?
Que coisa não?

Basicamente era isso que eu tinha para falar neste episódio de Angel Beats da nova geração, aqui é Jonh Vini e essa foi minha review desta série, estou à espera dos vossos Feedbacks do episódio e da temporada como um todo, também espero Feedbacks da review para melhorar minha escrita para vocês, não se afobem pois arrependimento mata, vamos discutir pacificamente é saudável e enriquece a vida e até mais.

Subscreve
Notify of
guest

2 Comentários
Mais Antigo
Mais Recente Mais Votado
Inline Feedbacks
View all comments
Samuel Silva
Samuel Silva
22 , Outubro , 2020 1:36

Estou a gostar da comédia do anime e da naturalidade com que as personagens se relacionam. Mas o drama deve chegar a qualquer momento!

wolfwolf42
wolfwolf42
22 , Outubro , 2020 1:36

Comecei a assistir sem criar muita expectativa, mas fiquei curioso após ler o review e reparar nos nomes dos personagens, eu não havia pensado em teorias pra explicar o mundo do anime, seria bem louco se os personagens também fosse deuses de alguma forma. Das obras anteriores citadas nos comentários da review anterior, eu só assisti Angel Beats, então acredito que posso esperar por drama nessa obra também, mas não sei de onde o drama vai sair pra me surpreender xD Enfim, vamos ver o que acontece no próximo episódio