Yuru Camp — Análise

A história segue duas garotas. Rin gosta de acampar sozinha pelos lagos que proporcionam uma vista panorâmica do Monte Fuji. Nadeshiko adora fazer passeios de ciclismo sozinha para lugares onde ela pode ver o Monte Fuji. Depois de se encontrarem, Rin e Nadeshiko fazem viagens de acampamento, devoram porções de Ramen juntas e aproveitam a paisagem.

Gênero: Slice of life, Comédia

Oi, Gente. Quanto tempo, hein? Eu estive tão ocupado com minha faculdade que não pude escrever nada por uns bons meses. Gostaria de pedir desculpas por isso e pra tentar compensar, irei analisar um dos que eu prometi. Quem acompanha o OtakuPT sabe o que acho desse anime – Melhor Anime da Temporada de Janeiro, eis que irei explicar o porque penso isso.

Antes de entrarmos profundamente na análise, gostaria de ressaltar pequenas curiosidades rápidas sobre esse anime, começando com o estrondoso fato de que ele ficou tão popular pelo Japão que chegou até mesmo a aumentar o turismo local. Além disso, uma boa notícia a todos nós que acompanhamos e adoramos o anime, é que ele esta se saindo muito bem nas suas vendas. Falo isso pois como franquia, ele conseguiu ficar no Top 30 da primeira metade desse ano… e vocês sabem o que isso significa? Suas chances de ter uma continuação estão bem altas, dado os resultados de sua recepção.

Vocês devem estar se perguntando: “Nossa, ele acha o Melhor Anime de Janeiro. Deve ter uma história incrível com muitos Plot Twist!”. A Resposta é… Não. E Não que as imagens já não tenham entregado, mas vale a pena cortar logo quem ainda pensa assim, pois Yuru Camp pode-se resumir em uma frase seria “O Anime de Garotas que gostam de acampar e ensinamentos de Camping”. Para aqueles que esperavam algo grande, a decepção com certeza veio. Porém, não sei se já disse isso, mas o que faz um anime bom ou ruim não é a sua proposta – por mais bizarra que seja, mas sim a maneira como ela é abordada. Temos animes como Tanaka-kun que é sobre um personagem que gosta de ser preguiçoso e dormir, só isso. Ainda sim, consegue ser um ótimo anime do gênero e o mesmo ocorre aqui em Yuru Camp. Um anime que executa com primor a sua premissa, sendo muito reconfortante de assistir e nada monótono.

A História faz questão de mostrar várias maneiras de como o acampamento pode ser feito em diferentes locais, além de ensinar sobre o acampamento e seus alimentos são usados nessas horas. A Narrativa é suave, mas está em constante mudança, sempre se movimentando e criando pontos de onde ela deseja ir e o fazendo de maneira suavemente progressiva. É incrível como eles conseguem passar a mesma premissa todo episódio, mas ao mesmo tempo, diferente a cada vez que assistimos e não chegando nem perto de ser o mesmo episódio. Como já disse em outras análises, animes assim não são para todos e sempre vou relembrar isso. É triste, mas a maioria das pessoas não conseguem ver a qualidade em animes assim, apenas o creditam como sendo algo “chato” ou que esperavam algo a mais, ocasionando no eventual drop ou dando uma avaliação injusta. Devemos ter o consentimento de que um Slice of Life que seja mais pé no chão, o seu foco é na maneira como ele irá passar a sua história, transportando você para esse mundo que é familiar, mas ao mesmo tempo, dando uma outra perspectiva de diferentes experiências. E como eu disse, Yuru Camp consegue se sobressair neste aspecto.

Esse anime, ao meu ver, deve ser assistido para relaxar e conhecer curiosidades sobre acampamento e como o executar, mas não pensem que é só isso. Afinal de contas, temos o gênero de comédia que o acompanha, no qual nesse caso, eu sinto ser bem feita. Pois através delas, temos não somente as típicas tentativas de nos gerar uma risada e um conforto por parte desses personagens, como eles em si sabem muito bem como passar a história sem ela soar forçada. Porém, me aprofundarei mais nesse ponto… logo abaixo.

Um dos pontos mais fortes que uma história do gênero Slice of Life precisa ter, são seus personagens. Temos de considerar muito esse fator mais do que animes de ação. Mas por que, você deve estar se perguntando? Como sabemos, Slice of Life em sua plenitude e falando de maneira erroneamente geral, são obras mais focadas em transmitir sentimentos realistas em um ambiente que seja do mesmo tipo. Por esse motivo, a maneira como a história é contada, justamente através dos seus personagens, faz toda diferença no entretenimento do telespectador.

Yuru Camp consegue nos entregar personagens que não somente possuem um grande carisma em torno delas, mas são muito bem trabalhadas. O Foco é bem distribuído entre elas e mesmo os secundários, possuem uma boa quantidade de aparições que enriquecem as relações interpessoais que cada um tem entre si. Nesse aspecto, não há o que se preocupar. Essa obra é “mais para cima” e, quando eu digo isso, me refiro a não chegar a ter dramas ou elementos narrativos já esperados de uma obra dentro desse gênero. Ao contrário disso, ela decide ir para o lado mais simplista que eu acredito ter o seu devido valor.

Músicas e Trilha Sonora…

Não há muito o que ser dito nesse quesito, dado que Yuru Camp não é um primor mas de longe se trata de um problema. As músicas compõem bem o seu ambiente e conseguem transportar bem um sentimento mais pacífico e honesto da obra em relação a si própria, te deixando bem confortável. Uma trilha sonora muito bem produzida e que conversa bem com a proposta para a qual elas foram feitas.

O Tema de Abertura, Shiny Days, é cantado por Asaka.

O Tema de Encerramento, Fuyu Biyori, é cantado por Eri Sasaki.

Apesar de muitos não gostarem das decisões de design em torno dos personagens e dos visuais gerais do anime, ele é um pouco diferente do habitual e talvez é o que chame a minha atenção. Sendo mais consistente do que muitos, talvez o fato dele ser diferente o suficiente me chame atenção. O Estúdio que foi encarregado de animar a obra foi o  que apesar de não ser um estúdio conhecido, conseguiu fazer uma animação acima do esperado e ótimos cenários de paisagem, muito bem utilizados.

Além de cumprir tudo que eu esperava, possuí bons personagens associados que integrados a cenários que compõem bem toda a obra, acabam gerando o resultado de algo que me gerou um ótimo entretenimento. Provando que mesmo animes com as mais simples premissas podem sim ser parte dos melhores, me fazendo crer que tudo depende da sua execução, sendo esse o elemento que mais prezei durante a analise. Posso dizer que enquanto o assistia, jamais esperava que fosse gostar tanto dele ou que acharia uma obra excelente, mas ao terminar e ter toda satisfação e recepção positiva, só posso dizer que agradeci por estar errado. E enquanto fico no aguardo para que uma segunda temporada seja produzida com a mesma qualidade, eu fico por aqui e obrigado por terem lido minha análise.

Até a Próxima!