Vingadores: Endgame – Review

ALERTA SPOILERS!!

Vingadores: Endgame - Review


O mais esperado filme da Marvel, Avengers ou Vingadores: Endgame, também conhecido por “Infinity War – Part 2” teve a sua estreia nos cinemas dia 25 de abril ou 24 dependendo do fuso horário de cada país. As grandes expectativas pelo filme sem dúvida que foram demonstradas desde o primeiro dia de sua exibição, fazendo o filme arrecadar records de abertura mundialmente e também no seu primeiro fim de semana em países como China, Portugal, Brasil e muitos mais.

A OtakuPT recebeu a oportunidade de ir ver Vingadores: Endgame ao Cinema City e trazer a review aqui para os nossos leitores. A não esquecer que de até 31 de maio podem dirigirem-se à bilheteira de um Cinema City a mencionar o código #CinemaCityEndGame para terem o desconto de 1 euro.


Género: Action & Adventure, Drama, Science Fiction & Fantasy
Direção por: Anthony Russo, Joe Russo
Enredo por: Christopher Markus, Stephen McFeely
Duração: 182 minutos (3 horas e 2 minutos)
Estúdio: Marvel Studios


Box Office
Orçamento: $400,000,000 (estimativa)
Ganhos nos EUA: $393,989,446, até 29 Abril 2019
Ganhos mundialmente: $1,342,689,446, até 29 Abril 2019


Vingadores: Endgame - Review

Resumo

Tendo em conta que estamos a falar de um filme de 3 horas de duração, nada melhor que dividi-lo em 3 fases principais, que no meu ponto de vista seriam mais ou menos, “Desespero Total”, “Esperança” e “Confronto Final”.

Na primeira parte começamos praticamente onde terminou “Infinity WarStark e Nebula estavam à “deriva” com os dias contados até acabar o oxigénio e sem esperanças, até que aparece a Capitã Marvel e os leva de volta para Terra. Apesar de seu resgate, o resto era apenas péssimas notícias, dois semanas depois metade de todos os seres-vivos continuavam “desaparecidos” e as soluções escasseavam. Após descobrirem o paradeiro de Thanos, o objetivo era ter as pedras do infinito de volta e reverter a situação, no entanto confrontado Thanos, o próprio já teria destruído as pedras e não havia volta a dar. Com Thor em raiva decapitando Thanos com o seu machado, começa aí o “Desespero Total”, que durou até 5 anos depois.

Na segunda parte, não querendo ir muito a pormenor, digamos que à exceção da Viúva Negra e do Capitão América pareciam todos “conformados” com a situação atual. Parecia que já estaria tudo decidido, a única opção seria seguir em frente. Até que o Homem Formiga que ficou preso no espaço atómico pelos últimos 5 anos, finalmente conseguiu sair e voltar à “realidade”, e que triste realidade ele teve de se defrontar.

A “Esperança” deste segundo capítulo do filme começa quando o Homem Formiga confronta a Viúva Negra e o Capitão América sobre uma “pequena” possibilidade, que na verdade era a única e última esperança para reverter o drástico efeito das pedras do infinito usadas pelo Thanos. No entanto, faltava um fator chave, que seria a mente, o grande cérebro dos Avengers, Tony Stark. Não foi fácil convence-lo nem ao Hawkeye que estava no Japão combatendo membros da Yakuza, Tony Stark desta vez tinha algo ainda mais importante para proteger, a sua filha, que poderia a perder caso a viagem no tempo corresse mal.

Mas, génio como Stark é, ele conseguiu resolver a fórmula para executar a viagem no tempo em segurança e assim começou a missão para recuperar as pedras do infinito, cada uma em um espaço de tempo diferente onde foram formadas duplas para as recuperar. Apesar de cada dupla ter uma, e apenas uma oportunidade de recuperar a pedra do infinito, tudo parecia a correr bem e as pedras foram todas recuperadas. Parecia bom demais para ser verdade, acontece que na linha de tempo onde estavam presentes James Rhodes e Nebula, Thanos acabou por descobrir o seu plano e roubar o dispositivo de viagem no tempo de Nebula.

É então aqui que tem o início do terceiro e último capítulo do filme, o “Confronto Final”. Mesmo tendo recuperado as pedras do infinito ninguém era capaz de usa-las com “segurança”, nem mesmo o poderoso Hulk. Thanos apesar de morto no presente, voltou da linha do tempo de 2014 para acabar o que começou, mesmo vindo do passado Thanos estava mais forte que nunca, nem Thor e o Capitão América conseguiram minimamente combate-lo.

A batalha parecia perdida com os poucos Avengers que resistiam contra o quase infinito exército de Thanos, até que… O famoso “Avengers Assemble” foi concretizado, apesar de mesmo por um instante, Hulk consegui reviver todos os “desaparecidos” vítimas de Thanos. Em uma cena espetacular digna dos Avengers, todos os que faltavam para a batalha compareceram, desde Black Panther e o seu exército de Wakanda, a Doutor Estranho e os seus companheiros.

A verdadeira batalha tinha começado, mesmo com os reforços a batalha via-se difícil, Thanos não dava nem um segundo para respirar enquanto que os Avengers juntos tentavam arranjar uma solução para destruir as pedras do infinito e acabar com todas as possibilidades de Thanos ter o seu plano sucedido novamente. Mesmo com a ajuda da Capitã Marvel e de todos os restantes Avengers derrotar Thanos revelava-se uma missão quase impossível, a batalha atingiu o seu ponto critico, que foi quando Thanos recuperou as pedras do infinito novamente. Em apenas uns segundos que nos separava do fim da batalha e do universo, Tony Stark retira a luva de Thanos e estala os dedos o que se deu a seguir foi o final de Thanos e de todo o seu exército. Os heróis deram a volta por cima e saíram vitoriosos desta vez, no entanto com alguns pesados sacrifícios.


Vingadores: Endgame - Review

Comentário final:

Não é muito fácil descrever “Endgame” em poucas palavras, mas se tivesse mesmo que escolher uma palavra para o descrever seria “imprevisível”. Certamente muitos de vós entendem o seu significado, desde a primeira fase do filme que eu descrevi como “Desespero Total” vimos que podíamos esperar tudo e mais alguma coisa do filme, tudo era possível de acontecer e o que nós prevíamos de ver a acontecer muito provavelmente não iria acontecer tal como nós esperávamos.

E podemos falar sobre a comédia, que eu certamente não esperava ao longo do filme. Não sei se era algo planeado ou não mas tenho de dizer que para mim a comédia acertou no “ponto” neste filme, desde a nova “forma” e personalidade de Hulk com o jeito meio louco de Thor 5 anos depois. Tenho de dizer que este filme tão facilmente deixou os seus espetadores em risos como em lágrimas de tristeza.

Antes finalizar, como é obvio dou uma nota “10” a este filme mas não posso deixar de falar sobre um ponto importante para o filme que talvez por conveniência ou necessidade foi integrado. Que foi o nível de poder de Thanos, não sigo as comics originais, mas penso que é obvio que Thanos sem as pedras do infinito e ainda para mais na sua versão de quase 10 anos atrás não deveria ser tão poderoso, especialmente quando estamos a falar dos mais poderosos Avengers como Thor, Capitão América e Capitã Marvel. Apesar disso, penso que esse fato não tira em nada o mérito que o filme teve.

Mesmo com todas as batalhas decisivas não tivemos assim tantas perdas, no entanto as que tivemos pesaram bastante. Começando com a Viúva Negra que depois da pesada derrota se tornou a “líder” dos Avengers e foi um membro essencial para a reviravolta perante a difícil situação que se encontravam, e claro, Tony Stark, que como um dos primeiros membros dos Avengers e um verdadeiro génio e revolucionário. A sua morte tem um grande significado, como se atingíssemos o final de uma era e que uma nova está para vir.

Concluindo, só tenho uma pena após ver o filme, que foi ter durado tão “pouco”. Foram quase 3 horas de puro entretenimento onde dei bastante gargalhadas e quase, mesmo quase que chorei no seu final. Tivemos a oportunidade de neste filme revisitar tantos pontos das histórias dos Avengers e seus acontecimentos, se existe altura melhor para rever todos os seus filmes agora seria a melhor. Uma era terminou, mas aposto que a próxima também será incrível.

There was an idea to bring together a group of remarkable people, to see if we could become something more

Vingadores: Endgame - Review