Análise: Microsoft Flight Simulator

Análise: Microsoft Flight Simulator

Review a Microsoft Flight Simulator por Tiago Santos.

Após uma espera de 14 anos, a Microsoft em pareceria com os estúdios da Asobo voltam a trazer um dos grandes títulos da década de 90 e 00, Falamos pois claro do Flight Simulator.

Foram 14 longos anos de espera, mas será que valeram a pena ?

O lançamento do jogo já há muito que era aguardado, durante desde o final de 2019 que os mais afincados fãs seguiam o twitter oficial e tentavam a todo o custo uma chave para o programa de Alpha build e/ou Beta build, tarefa que se provou bastante difícil até para quem se tinha inscrito há mais de uma ano.

Desde cedo se percebeu que o novo “jogo” seria uma bomba em termos gráficos, e nesse campo nem a Microsoft nem a Asobo, deixaram os créditos por mãos alheias. O jogo é simplesmente soberbo!

Mas, e como já devem estar a pensar, se os gráficos são excelentes, vai significar que este será um jogo bastante pesado para o hardware, e sim é verdade que a configuração recomendada é um um verdadeiro Boeing 747 como o nosso colega Bruno Reis o descreveu no seu artigo.

Requisitos de Microsoft Flight Simulator

Mínimos Recomendados Ideais
CPU Ryzen 3 1200 / Intel i5-4460 Ryzen 5 1500X / Intel i5-8400 Ryzen 7 Pro 2700x / Intel i7-9800X
GPU Radeon RX 570 / GTX 770 Radeon RX 590 / GTX 970 Radeon VII / NVIDIA RTX 2080
VRAM 2 GB 4 GB 8 GB
RAM 8 GB 16 GB 32 GB
Espaço livre 150 GB 150 GB 150 GB (SSD recomendável)
Internet 5 MB 20 MB 50 MB

 

Em termos de simulação este jogo não será o típico “arcade” em que qualquer um será Top Gun. A curva de aprendizagem é como em qualquer simulador bastante acentuada, no entanto bastante satisfatória. Existe um centro de aprendizagem dentro do jogo como o mais básico dos aviões (Cessna 152), onde irão aprender a descolar, manter uma altitude, velocidade, rumo e aterrar. Bem como outras skills básicas na manobra de um avião.

[REVIEW – Gráficos]

No departamento dos gráficos, este é talvez o melhor simulador até a altura, ainda existem alguns bugs que necessitam ser corrigidos e que tem sido reportados pela comunidade em termos da geografia que não estar correta, ou até mesmo o render da vegetação estar errado.

Algumas reviews na Steam dão notas negativas ao jogo por este facto, e apesar de também por aqui gostarmos de jogos sem erros ou bugs, a verdade e que algo a esta escala é impossível não ter pequenos erros de renderização que certamente serão corrigidos pela Asobo/Microsoft.

Ainda assim não se enganem, o 3D está fenomenal e apesar dos bugs falados, não deixa de ser visualmente o melhor até hoje.

Para obterem os melhores gráficos irão precisar também de uma conexão à internet de pelo menos 50mbits.

[Review – Realismo]

Nós por aqui no OtakuPT decidimos fazer um “crash course” no A320 Neo incluído no pacote básico, no entanto os procedimentos foram e muito alterados para as funcionalidades disponíveis no avião de origem, pelo que os procedimentos são praticamente 100% diferentes dos verdadeiros.

Bem como ainda um vídeo da aproximação à pista 34R de Haneda (aproximação inicial feita em piloto automatico), sendo que na parte final o piloto automatico foi desligado e a aterragem foi totalmente manual.

Em termos de realismo este jogo ainda difere um pouco da realidade, especialmente no comportamento em “stall”, mas convém salientar, que se fossemos talvez exigir uma simulação 100% real, provavelmente os requisitos seriam outros.

Ainda assim e para uma simulação “caseira” estão bastante melhores que o anterior, e espera-se que com o lançamento de futuros aviões por equipas dedicadas, que estes modelos sejam ainda mais precisos tal como aconteceu no FSX.

[Review – Longevidade]

Este será sem dúvida daqueles tópicos que mais poderá dividir os fãs, se por um lado existem os verdadeiros aficionados que fazem voos de 8 e 14 horas, existem também aqueles que apenas querem fazer um voo curto de 2 horas se tanto, bem como aqueles que simplesmente se divertem a passar com os aviões por baixo de pontes e afins. Para todos eles a Microsoft/Asobo criou uma parte onde semanalmente estão previstos desafios (o desta semana de lançamento é aterrar em Courchevel na França), mas preparem-se que nem todos os desafios serão tão acessíveis, quem explorar o menu, facilmente percebe que existem desafios na Madeira (conhecido mundialmente pelos seus imprevisíveis ventos), bem como Gibraltar entre outros.

Nós no OtakuPT fizemos o desafio da Madeira e obtivemos 1010252 pontos o que deu uma entrada direta para o lugar 219 do ranking mundial! Desafiamos a comunidade a tentar melhor ainda mais a nossa pontuação, coloquem nos comentários as vossas screenshots! 😊

Sem dúvida que vamos ter bastante horas de diversão com estes desafios, especialmente quando começarem as aterragens à noite com condições de visibilidade reduzida ou grandes tempestades!

Por último deixamos aqui uma galeria com imagens originais do OtakuPT só para os nossos leitores. Esperemos que se divirtam com este grande jogo!!

Detalhes do PC usado na review:

CPU: AMD Ryzen 2700X @ 4.3Ghz
RAM: 32Gb DDR4 @ 3600Mhz
GPU: Asus Strix 1080Ti 11GB OC
Discos: 2x Samsung 860 500Gb em Raid 0
Internet: NOS 100Mbs/20Mbs
Flight Controller: Saitek X-55 Rhino
Screen: Samsung Odyssey G7 32’’