Crash Bandicoot 4: It’s About Time receberá diversos modos multiplayer local

A meros dias de lançamento a próxima aventura de Crash Bandicoot continua a adicionar mais modos de jogo e conteúdo extra no seu já impressionante pacote.

Foi revelado que Crash Bandicoot 4: It’s About Time terá modos multijogador local, competitivos e cooperativos.


Ambos os modos poderão ser usufruídos de dois a quatro jogadores, e teremos à nossa disposição, as personagens Crash Bandicoot, Coco Bandicoot, Fake Crash e Fake Coco. Os modos serão os seguintes:

Batalha Bandicoot (competitiva)

  • Corrida de Checkpoints – Uma série competitiva de corridas de ida e volta em que até quatro jogadores competem pelo tempo mais rápido para cada checkpoint. Ganha quem reunir mais pontos de Checkpoint. Os concorrentes aparecerão no ecrã como ghosts para dar uma ideia de como estamos a jogar.
  • Crate Combo – Recebe o maior número de pontos possível destruindo o máximo de caixas. O valor em pontos de cada caixa aumenta até atingir como valor máximo os 32 pontos por caixa. Destrói as caixas o mais rápido possível para manteres o teu combo antes que o medidor se esgote e amealhe a tua pontuação. A prova termina quando atingires um checkpoint ou perdes uma vida.

Passe N. Play (Cooperativa)

Este é um modo cooperativo que permite que no máximo quatro jogadores passem o comando de jogador em jogador através dos níveis principais da história do jogo quer sejam nas versões standard ou nas variações do modo N. Verted.

Estes modos não oferecem nenhuma tabela de classificação online e serão “limpos” após uma sessão multijogador.

Crash Bandicoot 4: It’s About Time será lançado para PlayStation 4 e Xbox One (com total compatibilidade para as consolas Xbox Series) a 2 de outubro. Uma demonstração jogável está disponível agora para utilizadores que pré-encomendaram o jogo digitalmente.

Vindo de vários mundos e projetos, juntou-se à redação do Otakupt, pronto para informar todos os leitores com a sua experiência nas várias áreas da cultura alternativa. Assistiu de perto ao nascimento dos videojogos em Portugal, até à sua atualidade. Devora tudo o que seja japonês (menos a gastronomia), mas é também é adepto de grandes histórias e personagens sejam essas produzidas em qualquer parte do globo terrestre.