Desde que a Bungie, criou a série Halo em 2001 para a Xbox original, o seu nome e legado ficaram imediatamente impressos na indústria e na história dos videojogos. Pela primeira vez nas consolas assistíamos a um first person shooter, recheado de qualidade, foco no multiplayer e dotado de uma história emocionante. Contudo, desde o seu êxodo, e cedendo a sua série à 343 Industries, que a Bungie se focou noutra grande série, que recebe constantemente atualizações e expansões há 7 anos, falamos claro de Destiny.

Contudo, desde o seu começo que a mesma carecia de um fator que outrora celebrizou Halo, a sua narrativa. Não nos interpretem mal, Destiny contem um lore tremendo, mas que infelizmente ainda não foi explorado devidamente. É nesta premissa que a expansão: Beyond Light (Além da Luz) chega ao mercado, porque ao invés de Forsaken e Shadowkeep, o foco aqui é a história. A mesma resgata elementos que foram mencionados várias vezes durante a série, mas que até então não foram explorados, tais como o poder das trevas, ou a espécie dos Fallen. Em Destiny 2: Beyond Light, os jogadores terão de parar as ambições de Eramis, uma líder dos Fallen que descobriu os poderes das trevas e planeia usá-los para se vingar do viajante. Fãs de Destiny vão sentir-se imediatamente em casa, pois além destes, muitos conceitos são revelados e finalmente explicados, daí que afirmamos que esta expansão é especialmente dedicada para quem seguiu o início de Destiny ou grande parte da sua sequela.

Podem ver em cima o nosso unboxing da edição de colecionador de Destiny 2: Beyond Light (Destiny 2: Além da Luz).

A estrutura de Destiny 2: Beyond Light (Destiny 2: Além da Luz) está muito bem implementada. A narrativa é interessante quanto baste mesmo para novatos na série, e as suas missões enquadram-se bem no ritmo e no seu ambiente. Sentimos também mais genuinidade nas nossas ações, e no desenvolvimento da história, ao passo que nas anteriores controlávamos apenas um guardião aqui o jogador envolve-se com poderes proibidos e apercebe-se das consequências que este mergulho nas trevas pode causar. As superfícies geladas de Europa, também conferem um ambiente bastante interessante para o jogo transmitindo uma sensação de solidão e isolamento. Europa, apresenta assim aos Guardiões um local novo e singular, do qual exumarão relíquias da Era Dourada e onde explorarão mistérios sussurrados ao longo da narrativa de Destiny.

Em Destiny 2: Além da Luz todo se foca num “novo poder”. Misteriosas naves pirâmides chegaram e fizeram planetas inteiros desaparecer pelo caminho. No acerto de contas, cresce a desunião e alianças antes indestrutíveis são impregnadas por desconfiança. As verdades às quais nos agarramos serão questionadas e os Guardiões devem aprender a controlar o sombrio poder elementar da estase (Stasis) e deter os oponentes que o utilizam.

Em Destiny 2: Além da Luz existem algumas personagens com as quais devem estar familiarizados:

Exo: A misteriosa Exo não era vista desde a queda do Jardim Sombrio. Com um discernimento excecional sobre o futuro, ela fez de Europa o seu lar. A sua experiência guiará os Guardiões rumo à compreensão do poder da estase.

ERAMIS

Eramis: A mortífera Kell da Treva procura restaurar a glória do seu povo. Para alcançar a vingança contra o Viajante que os abandonou. Agora, imbuída no poder da estase, ela encontrou a ferramenta definitiva para chegar aos seus objetivos.

Elites da Casa Salvação: Os tenentes de Eramis – Atraks, Kridis, Phylaks, Praksis. Os súbditos mais confiáveis e de mais alta patente da Kell Decaída da Treva. Habilidosos portadores da estase, são tão letais quanto leais e são poderosos inimigos que farão de tudo pela causa de Eramis.

Variks

Variks: Um Decaído da Casa do Julgamento que é um sobrevivente astuto. Após ajudar Uldren Sov a fugir da Prisão dos Anciões, Variks só ressurgiu de seu esconderijo recentemente. Um aliado controverso na luta contra Eramis, ele é um oportunista astuto que quer fazer o bem, embora as suas escolhas sejam sempre suspeitas.

Eris Morn

Eris Morn: Sobrevivente de horrores impensáveis, Eris é uma ex-Caçadora que dedica a própria vida a compreender – e derrotar – a Treva. Agora, ela responde ao chamado da Estranha Exo… e ao apelo da estase.

O Derivant

O Derivante: Um bravateiro. Oportunista. Estrategista. Ele é tudo isso e mais. Um portador da Luz dos primórdios da Última Cidade, ele sempre se gabou da sua conexão com a Treva. Para ele, não há uma questão de certo ou errado. É uma questão de sobrevivência.

Contudo, nem tudo é perfeito e a Bungie parece ter dificuldades em equilibrar o progresso do jogador e a sua narrativa, o que certamente causará problemas aos jogadores que decidirem fazer de Beyond Light, a sua porta de entrada para este universo. Por estranho que pareça e ao contrário das expansões anteriores, os requisitos para participar de missão em missão aumentaram dramaticamente. Devido a este aumento o jogador terá de participar noutras atividades para aumentar os seus poderes e armamento ou então terá de enfrentar ameaças bem mais poderosas, e que não podem ser conquistadas de outra forma a não ser à base de grinding excessivo em modos de jogo como Crucibile para adquirir novo equipamento. Desconhecemos se esta medida foi intencional pela Bungie, para os jogadores explorarem e participarem noutros modos de jogo, mas confessamos que não deixou de ser frustrante em alguns momentos. Outra frustração que foi encontrada em Destiny 2: Beyond Light, foram as suas ligações interrompidas não só nos modos de jogo multiplayer como também na campanha. Felizmente estão bem mais sólidas, mas nos primeiros dias foram caóticas, um acontecimento que talvez também tenha sido vivido para quem jogou muito cedo as anteriores expansões.

Destiny 2: Beyond Light, não possui uma campanha muito volumosa apenas demora umas horas até chegarmos à sua conclusão. No entanto, a forma como é estruturada e apresentada certamente agradará ao seu público, enquanto que para quem se decidir aventurar pela primeira vez neste mundo será mais uma gota num oceano profundo. Também não ofereceu tanta variedade de equipamento como as suas expansões anteriores, sempre que encontrávamos um novo baú estávamos na esperança de encontrar algo novo, o que infelizmente não foi o caso. Talvez como a Bungie está a reintroduzir a história, decidiu dar à série um leve “reboot” já que também omitiu personagens importantes que estavam presentes ou referenciadas desde o primeiro Destiny.

Como Destiny 2: Beyond Light dá a mão aos novos jogadores? O Cosmódromo. Outrora um local de lançamento para missões além do sistema solar, o Cosmódromo é o espaço de treino perfeito para novos jogadores. Ele foi redesenhado para preparar os novos jogadores com tutoriais e informações sobre jornadas, o sistema de mapa e outros. Jogadores veteranos que apreciem a exploração também podem visitar este local e experimentar esta nova introdução a Destiny.

Duas datas que devem ter em mente:

  • 17 de Novembro – Início do conteúdo referente à narrativa da Temporada da Caça
  • 21 de Novembro – Lançamento da incursão, Cripta da Pedra Profunda

A história é satisfatória, mas não chega a atingir o patamar qualitativo que a empresa criou em Halo. Lembram-se da célebre canção “Ai Destino” interpretada por Tony Carreira? Pois, mesmo que não se lembrem podem ter a certeza que será essa que vão cantar quando descobrirem que quase todo o vosso anterior conteúdo foi erradicado do jogo. Ou seja, a maior parte de equipamento, planetas, até mesmo os itens pagos foram removidos. Semanas após semanas a grindar equipamento exótico, ou quaisquer compras anteriores não terão qualquer efeito em Destiny 2. Também o uso da Stasis, um novo poder que congela os nossos adversários e um elemento decisivo na narrativa, pode ser usado nos modos multiplayer, o que certamente terá de ser revisto porque o equilíbrio do jogo está a ser completamente deitado por terra devido a esta nova implementação.

Mas o que é a estase (Stasis)? A estase é um novo tipo de poder em Destiny 2. Ela é o primeiro novo poder elementar em Destiny desde o trio original: arco, solar e vácuo. A sua introdução em Além da Luz terá implicações para os jogadores em todos os aspectos do jogo. É um poder elementar mais distante da agressão direta e mais próximo do domínio meticuloso sobre oponentes e sobre o espaço.

No final sentimos que Destiny 2: Beyond Light é um apelo aos jogadores que acompanham Destiny desde o início. Contudo, os mais devotos ao universo criado pela Bungie poderão ficar desapontados pela forma com a remoção de parte do que construiu neste últimos sete anos.