Jogadora profissional de Call of Duty Mobile é assassinada

Todos sabemos que o mundo dos videojogos pode ser bastante competitivo, contudo nunca devemos perder a nossa humanidade.

O Brasil está de luto com a notícia do assassinato de Ingrid Oliveira Bueno da Silva, uma jovem de 19 anos, que pertencia à equipa FBI E-Sports e que através dos seus feitos na comunidade Call of Duty Mobile, ficou conhecida como SOL. Ingrid conheceu o jogador Guilherme Alves Costa, durante uma das suas sessões, e depressa começaram a sair juntos.

Após um hiato onde a jovem esteve ausente da sua família e amigos, foi encontrada esfaqueada já sem vida. O responsável entregou-se às autoridades após o seu ato ter sido comunicado pelos membros da sua equipa, que partilharam o registo visual deste hediondo crime.

A Jaguares Esports deixou uma mensagem de luto nas redes sociais, respeitante ao acontecimento, o que despertou a atenção da comunidade mundial dedicada ao jogo da Activision.

A equipa deixou ainda um sério aviso sobre o comportamento tóxico que assola as jogadoras em todo o mundo e partilhou um comunicado do clã Gamers Elite onde são relatados detalhes perturbantes deste assassinato. Guilherme afirmou às autoridades que partilhou o ato nas redes sociais estando em plena posse das suas capacidades facultativas e ciente que assassinou a jovem.

A redação do Otakupt, deseja a todos os amigos e familiares de Ingrid as nossas mais sinceras condolências. Que o seu sorriso continue a ser inspiração para todos nós.

Vindo de vários mundos e projetos, juntou-se à redação do Otakupt, pronto para informar todos os leitores com a sua experiência nas várias áreas da cultura alternativa. Assistiu de perto ao nascimento dos videojogos em Portugal, até à sua atualidade. Devora tudo o que seja japonês (menos a gastronomia), mas é também é adepto de grandes histórias e personagens sejam essas produzidas em qualquer parte do globo terrestre.