Polícia portuguesa compara vício das drogas e álcool com os videojogos

Polícia portuguesa compara vício das drogas e álcool com videojogos

Ontem a Polícia de Segurança Pública (PSP) iniciou uma campanha de sensibilização contra as dependências apelidada de “VIVE NA REAL! – Não na Dependência”, a campanha não caiu muito bem, no entanto, junto dos fãs de videojogos por as autoridades equipararem o vício das drogas e álcool com os videojogos.

Na campanha cujo poster podem ver em cima podem ler:

Uma franja da população estudantil inicia os consumos de substâncias psicoativas na faixa etária dos 10 aos 14 anos, existindo alguns padrões de consumo preocupantes, indicando que a emergência de padrões de consumo nocivos e abusivos, ocorre na faixa etária dos 15 aos 19 anos.

Prevenir, dissuadir, reduzir e minimizar os problemas relacionados com o consumo de substâncias psicoativas, os comportamentos aditivos e as dependências, através de uma intervenção integrada, baseada em mecanismos de prevenção, dissuasão, redução de riscos, minimização de danos, tratamento e reinserção é também um dos objetivos da Polícia Segurança Pública.

A PSP, através das EPES – Escola Segura, garante a sua missão de segurança de prevenção da criminalidade e delinquência, orientada especificamente para a prevenção do consumo de álcool e de outras drogas e da Perturbação de Adição aos videojogos, com ações de sensibilização complementadas por contactos individuais, efetuados na gestão de casos específicos identificados que careçam de acompanhamento e monitorização, ou trabalho em rede com outros parceiros da comunidade escolar, incluindo as CPCJ locais.

Nas redes sociais começaram a chover críticas por as autoridades portuguesas terem colocado no “mesmo saco” a adição por videojogos com drogas e álcool.

FONTEPolícia Segurança Pública
Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.