Ratchet & Clank: Uma Dimensão À Parte - Análise

Ratchet & Clank é uma das séries de jogos mais icónicas da história da PlayStation, surgiu pela primeira vez em 2002 pelas mãos da Insomniac Games e desde então tem marcado presença em todas as gerações da consola da Sony.

O primeiro jogo de Ratchet & Clank foi lançado em 2002

As aventuras do lombax Ratchet e do seu companheiro Clank acompanharam o crescimento de muitos de nós e têm agora o devido destaque ao serem dos primeiros a mostrar todo o potencial da novíssima Playstation 5 com Ratchet & Clank: Uma Dimensão à Parte, ou em inglês Ratchet & Clank: Rift Apart, um jogo que vai ser lançado a 11 de junho de 2021.

Relativamente à história e sem entrar em muitos spoilers, Ratchet & Clank: Uma Dimensão à Parte acontece após os eventos de Ratchet & Clank: Into the Nexus (2013 – último da Future Saga) e Ratchet & Clank (2016 – reimaginação do primeiro jogo) e tudo começa numa parada para comemorar os feitos de Ratchet e Clank com este último a querer oferecer a Ratchet o “dimensionador” dando assim a oportunidade a Ratchet de encontrar outros lombaxes. Como habitual nas aventuras destes dois, nem tudo corre da melhor maneira e o espalhafatoso e eternamente zangado Dr. Nefarious acaba por se intrometer e em última instância causar múltiplas anomalias dimensionais.

Ratchet & Clank: Uma Dimensão À Parte - visual

Rivet é uma lufada de ar fresco em Ratchet & Clank

É aqui que surge Rivet também ela uma lombax e que é basicamente o equivalente ao Ratchet na sua dimensão. A Insomniac Games poderia muito simplesmente estabelecer a personagem como uma cópia de Ratchet noutra dimensão, mas optaram e muito bem, por criar uma personagem única, com a sua própria história. Rivet é uma combatente clandestina da resistência, uma mecânica competente e secretamente um coração mole, que vive num universo onde nunca teve um parceiro robótico. As suas lutas contra o Imperador Nefarious valeram-lhe a perda do seu braço direito e podem conhece-la melhor aqui. Rivet significa a abertura de toda uma estrutura narrativa futura que certamente será explorada em futuros jogos e vai certamente tornar-se numa das personagens favoritas dos amantes de videojogos.

Rivet

Sabiam que no Japão foi lançado um mangá de Ratchet & Clank?

Em termos narrativos podem esperar uma história divertida e envolvente, marcada pela excentricidade e humor característicos dos jogos de Ratchet & Clank. A história é uma epopeia para salvar o universo com momentos bem memoráveis que vocês não vão querer passar ao lado. Apesar de um mundo muito colorido em Ratchet & Clank: Uma Dimensão à Parte existe também espaço para passar uma poderosa mensagem, e aqui falo particularmente no arco da história de Rivet, que aqui não vou dar spolier mas que convido a depois de terminarem o jogo virem aqui comentar.

Ao longo de Ratchet & Clank: Uma Dimensão à Parte vamos fazendo missões tanto com Ratchet como com Rivet, podemos selecionar a ordem com que as fazemos sendo que o jogo nos vai empurrar sempre ao longo da narrativa. Temos missões secundárias, mas na minha opinião em pouca quantidade, sim temos mini-jogos, desafios, mas nada que prolongue muito o gameplay do jogo. No total, para completar o jogo e as suas missões secundárias necessitei de aproximadamente 15 horas.

Depois de vermos os impressionantes vídeos de gameplay a curiosidade era muita para experimentar Ratchet & Clank: Uma Dimensão à Parte e posso dizer que não ficamos desiludidos, o jogo correspondeu às nossas expectativas. Temos um gameplay muito fluido e responsivo que nos dá múltiplas abordagens para enfrentar os problemas com que nos deparamos. Vamos encontrar toda uma panóplia de estranhas e divertidas armas que vocês vão querer comprar e experimentar. Possíveis de serem melhoradas, cada uma tem uma abordagem diferente, desde disparar bolas a eletricidade, passado por cogumelos assassinos, Ratchet & Clank: Uma Dimensão à Parte é daqueles jogos que convida os jogadores a experimentar e utilizar todas as armas disponíveis. Ao longo do jogo vão também poder adquirir várias peças de armadura que vos vão dar alguns benefícios, mesmo sem estar equipadas..

Por falar em armas, uma palavra sobre o Dualsense, a Insomniac Games comprometeu-se em explorar todo o potencial do comando da Playstation 5 e posso garantir que não falharam com a sua palavra. O Dualsense dá uma maior imersão a Ratchet & Clank: Uma Dimensão à Parte e com uma grande variedade de armas o feedback que nos proporciona é fantástico, conseguindo com o seu feedback háptico e gatilhos transmitir na perfeição os vários modos de disparo e ritmo de disparo.

Qualidade do Cinema de animação chegou à Playstation 5

Em termos visuais Ratchet & Clank: Uma Dimensão à Parte é belo, muito belo. Na nossa review jogamos a 4k 30fps sendo que no lançamento existirá um patch para permitir correr o jogo a 4k 60fps num modo apelidado de “Performance”.

A Insomniac Games não foi tímida ao afirmar que se inspirou nos filmes animados da Pixar, e para alem da componente narrativa posso dizer que não ficaram nada atrás de algumas das melhores obras do estúdio da Disney. O detalhe dos personagens é assombroso, com modelos extremamente bem detalhados, até o pelo dos lombax é retratado de uma forma realista, e tudo é mais impressionante quando o jogo é executado de forma bem fluida acompanhado por uma história à altura.

Tudo acontece de forma fluida utilizando o poderio da Playstation 5, aliás Ratchet & Clank: Uma Dimensão à Parte não se absteve de aproveitar todos os recursos da consola da Sony e temos um jogo onde no nosso ecrã estão a acontecer múltiplas coisas ao mesmo tempo, com múltiplas partículas e objetos a preencherem o nosso campo visual, aliás, em alguns momentos o jogo é tão rico visualmente que os mais distraídos não se vão aperceber de alguns detalhes.

A velocidade com que passamos no jogo de um ponto ou área para outro é impressionante, num momento podemos estar num deserto de tons acastanhados repleto de personagens como um segundo depois atravessamos um rift e estamos num mundo cinzento totalmente pós-apocalíptico. Sem loadings, a Insomniac Games mostra assim o que aprendeu com os seus anteriores títulos e demonstra toda a velocidade da Playstation 5.

Na componente sonora Ratchet & Clank: Uma Dimensão à Parte manteve-se fiel ao espírito da série de jogos com Mark Mothersbaugh a comandar uma banda sonora competente. Os atores de voz portugueses também estiveram à altura do desafio e souberam dar na perfeição vida aos personagens.

No melhor jogo cai um Bug e em Ratchet & Clank: Uma Dimensão à Parte vi o que aparenta ser um problema de deteção de colisão com os modelos dos personagens, algo que será corrigido no patch de lançamento. Como vocês vão poder ver quando colocarmos no dia de lançamento um vídeo com a primeira hora de gameplay, apenas e exclusivamente nesse “nível” vimos dois personagens presos a correr na mesma posição, não afetou o gameplay mas quebrou a imersão. Um bug mais sério e que me fez perder muito tempo foi num dos mundos de Rivet, numa missão onde tínhamos de eliminar todos os inimigos, depois de o fazer a missão pura e simplesmente não avançava. Visualmente já não existia nenhum inimigo, mas a missão não era dada como concluída, e isso significou que estive mais de 30 minutos a fazer ciclos de matar todos e fazer loading do último checkpoint até que finalmente o jogo detetou que todos os inimigos estavam mortos e consegui avançar na história.

Divertido, belo e impressionante

Ratchet & Clank: Uma Dimensão à Parte é um jogo obrigatório, visualmente é impressionante e é um marco na história da Playstation 5 mostrando um vislumbre de toda a qualidade que nos espera na consola da Sony. Um jogo verdadeiramente de nova geração.

Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.