Coreia do Sul acusa Attack on Titan de glorificar crimes de guerra

"Duas bombas nucleares não foram suficientes para fazê-los mudar de ideia"

Coreia do Sul acusa Attack on Titan de glorificar crimes de guerra

Quem acompanha a dinâmica política na Ásia já se apercebeu da inimizade entre Coreia do Sul e Japão que remonta aos tempos da Segunda Guerra Mundial.

Qualquer pretexto serve para os sul coreanos atacarem o Japão, já vimos isso acontecer com Kimetsu no Yaiba (Demon Slayer) com a exigência da censura dos brincos do protagonista e agora foi a estação de televisão sul-coreana JTBC que volta a acender os ânimos ao exibir um programa que destacou a opinião negativa dos coreanos sobre o mangá Attack on Titan (Shingeki no Kyojin) de .

Entre os comentários destacados pelo programa televisivo temos: “Não posso simpatizar com a obra com esse tipo de final”, “O conteúdo fez com que o herói se tornasse um vilão ao assassinar boa parte da humanidade trazendo a paz” e “Houve muitas críticas de que o conteúdo da obra glorifica crimes de guerra crimes e imperialismo“.

No capítulo final, Shingeki no Kyojin fez um pedido de desculpas pelos massacres, glorificando-os“, “Não é diferente defender o Holocausto, é mais, acho que ele elogia”, “O fim é completamente de direita, não surpreende” e “Duas bombas nucleares não foram suficientes para fazê-los mudar de ideia“.

Claro está que depois do programa exibir tais mensagens as redes sociais incendiaram-se com ataques ao Japão, Attack on Titan (Shingeki no Kyojin) e ao seu criador, Hajime Isayama.

FONTEYahoo! News Network
Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.