Novo nome de personagem de My Hero Academia também é polémico

"Kyudai" - universidade mais antigas do Japão que era conhecida como o local de Incidentes de Dissecção Viva a prisioneiros de guerra

Foto dos tripulantes do avião americano que foram feitos prisioneiros e submetidos a experiências
Foto dos tripulantes do avião americano que foram feitos prisioneiros e submetidos a experiências

Quando tudo parecia estar a voltar à normalidade depois de um pedido de desculpa e mudança de nome, eis que numa luta pelo prémio de melhor SJW, fãs online conseguiram encontrar um motivo para implicar com o novo nome do Dr. Daruma Ujiko do mangá My Hero Academia (Boku No Hero Academia) de .

Breve resumo do que aconteceu anteriormente, o nome do Dr. Daruma Ujiko foi revelado no mangá no seu capítulo 259 como “Maruta Shiga“, com “maruta” a ser o nome japonês para as vítimas de experiências humanas durante a Segunda Guerra Mundial. Este é considerado como um dos piores crimes de guerra praticado pelos japoneses. Visto que o personagem é um seguidor do vilão da série All For One e um cientista que realmente faz experiências em seres humanos, isso deixou um gosto amargo na boca de muitos fãs.

Foi então revelado esta segunda-feira que o nome do personagem foi mudado de “Maruta Shiga” para “Kyudai Garaki“, no entanto, parece que mais uma vez o nome deixa a porta aberta à interpretação de que é uma referência ao legado sombrio da ciência médica do Japão na época da Segunda Guerra Mundial.

Conforme apontado no Twitter por @lTfC8qI4PATLiaC, o nome de Kyudai é pronunciado como “Kyudai“, a abreviação comumente usada para Kyushu Daigaku, conhecida em inglês como Universidade de Kyushu. Localizada na cidade de Fukuoka, a Universidade de Kyushu é uma das universidades mais antigas do Japão e tem uma reputação de excelência no campo da medicina, mas também era conhecida no Japão como o local de Incidentes de Dissecção Viva da Universidade de Kyushu (Kyushu Daigaku Seitai Kaihou Jiken), que ocorreu em 1945.

A 5 de maio de 1945, um avião B-29 Superfortress dos EUA estava a regressar de um bombardeamento de um aeroporto perto de Fukuoka, quando foi atingido por um avião de combate japonês imperial. Dos 12 tripulantes, nove foram capturados, com oito a ser enviados como prisioneiros de guerra para o departamento médico da Universidade de Kyushu (então conhecida como Universidade Imperial de Kyushu) para serem usados como cobaias.

Nenhum dos oito aviadores presos na universidade sobreviveria às experiências que, segundo testemunhos, incluíam:

  • Injetar água do mar nos indivíduos para ver se poderia ser usada como substituto de solução salina estéril
  • Remoção de parte dos fígados dos prisioneiros para ver se eles conseguiam sobreviver
  • Remoção de um pulmão inteiro de um deles
  • Perfurar o crânio de um prisioneiro vivo para remover parte do seu cérebro e ver se isso influenciava a epilepsia

Tanto a Shueisha como Horikoshi não comentaram a conexão linguística que pode ser traçada entre o novo nome do personagem de My Hero Academia e outro caso de experiências em humanos no mundo real por cientistas japoneses. É perfeitamente possível que seja uma coincidência, mas, como acontece com “Maruta”, provavelmente não está a ajudar que “Kyudai” não seja um nome comum do mundo real para uma pessoa.