Shueisha pode não ter sido a responsável pelos avisos de direito autoral

Na última sexta-feira (08) diversas pessoas no Twitter relataram que receberam um aviso de direito autoral enviado pela editora Shueisha, entre as pessoas que receberam este aviso estão artistas (inclusive um artista que já trabalhou em artes oficiais para Dragon Ball) e criadores de conteúdo. Os avisos foram direcionados a pessoas que tinham adicionado postagens em seus perfis imagens de mangas, animes, Gifs, fotos de cosplay e até fanarts de obras publicadas pela editora.

Inicialmente foi teorizado que um bot/robô de uma empresa terceirizada pela Shueisha para a nova lei de direitos autorais no Japão, que entrou em vigor no dia 1° de janeiro, tinha algo em sua programação que acabou incluindo indevidamente pessoas que não violaram a nova lei. Porém o criador de conteúdo Artur, do portal Library of Ohara sobre One Piece e que foi uma das pessoas que recebeu este aviso no Twitter, lançou um documento de diversas páginas denunciando que estes avisos atribuídos em nome da Shueisha teriam sido feitos por uma pessoa que estaria se passando por funcionário da editora japonesa e assediando diversos criadores de conteúdo.

No relatório é informado que diversos criadores de conteúdo foram assediados com a mesma tática por esse falso funcionário da Shueisha, mas Artur relata que ele teria iniciado com os ataques se focando inicialmente no envio dos avisos em uma streamer chamada Jessix desde o final do mês de outubro de 2020. A criadora de conteúdo teria recebido diversos avisos do mesmo estilo e contatos via Discord do falso funcionário. Em uma das mensagens o falso funcionário chega inclusive a pedir a streamer em namoro. O relatório também relata que criadores de conteúdo próximos de Jessix teriam recebido o avisos de direito autoral e que em conversa no Discord no dia 25 de dezembro o falso funcionário teria admitido para ela ser o responsável pelo envio dos avisos.

Foi revelado no relatório divulgado por Arthur, que a pessoa que está se passando como funcionário da editora Shueisha já teria se passando também por funcionário de uma gravadora e até fingindo ser funcionário da CD Projekt Red. Também é revelado que todo o ocorrido no dia 08 de janeiro de 2021 seria o ápice de um ataque coordenado direcionado contra diversos criadores de conteúdo, incluindo Jessix.

Segundo as informações reveladas por Arthur (e que pode ser lida na integra aqui), os dados no aviso de direito autoral enviado para diversas pessoas e atribuídos a editora Shueisha possui o número de telefone e de fax pertencente a outra editora japonesa, a editora Kadokawa. No relatório é afirmado que não é possível localizar o número de telefone da editora Shueisha em uma busca no Google usando palavras-chave em inglês e que só é possível encontrar o número da editora fazendo uma busca usando palavras-chave em japonês. Realizando uma busca no Google seguindo as informações do relatório foi possível localizar apenas uma telefone atribuído a editora Shueisha, mas este numero não bate com o numero no aviso enviado para os criadores de conteúdo. Já na busca do numero da editora Kadokawa foi possivel localizar um número de telefone e de fax atribuído a editora e os números batem com os mesmos números utilizados nos avisos de direito autoral enviados no nome da editora Shueisha. Quando é realizada a busca com as palavras-chave em japonês é possível localizar com facilidade diversos números pertencentes a Shueisha. Outro ponto identificado por Arthur é que no aviso não existe um endereço de email para contato com a Shueisha e que parte do texto do aviso teria sido retirado diretamente do Google e do site oficial da editora japonesa.

Até o momento editora japonesa Shueisha não realizou um comunicado oficial sobre todo o ocorrido.

Um fã de animes, cinema, games, séries e com um gosto musical incomum. Membro brasileiro do OtakuPT e estudante de Processos Fotográficos.