Crunchyroll com dificuldade em lidar com as críticas a High Guardian Spice

Com o revelar de um segundo trailer de High Guardian Spice surgiu uma nova vaga de protestos que a Crunchyroll parece não estar a conseguir lidar.

Quando este “primeiro anime original” foi anunciado em 2018 choveram críticas com os subscritores a questionar a natureza da série animada, uma vez que o seu dinheiro não estava a ser canalizado para estúdios de animação japoneses nem para a compra de direitos de exibição de animes, mas sim para apoiar uma equipa de pessoas militantes da ideologia SJW a realizarem uma animação ocidental que segundo eles é “um anime sobre diversidade” destacando que o anime conta com “um núcleo de escrita exclusivamente feminino”. Uma das escritoras da série gerou mesmo alguma polémica ao afirmar que “todos os homens deviam morrer”.

Claro está que passados 3 anos os fãs não esqueceram este “primeiro anime original” da Crunchyroll e sempre que a companhia tenta fazer promoção à série chovem críticas. Recentemente no Twitter a Crunchyroll promoveu o elenco, mas as críticas foram tantas que a conta de twitter começou por banir muitas contas e quando a situação se descontrolou por completo acabou mesmo por apagar o post a promover a série.

O trailer que foi colocado online com uma elevada taxa de dislikes foi apagado e colocado hoje novamente online com os dislikes novamente a superarem por grande margem os likes. A exceção é mesmo o trailer português que parece ser do agrado da maioria.

Anime SJW leva Crunchyroll a emitir comunicado

Em High Guardian Spice, as vidas de quatro ferozes meninas, Rosemary, Sage, Thyme e Parsley, convergem na High Guardian Academy, o único lugar onde elas podem aprender a tornar-se nos heróis que elas sempre admiraram. À medida que dominam os caminhos do combate e da feitiçaria, as nossas quatro meninas formam lealdades, revelam legados e traições e descobrem as suas verdadeiras identidades enquanto se preparam para proteger o mundo de uma ameaçadora ameaça desconhecida.

Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.