Fate/Extra: Last Encore – Irusterias Ptolemaic Theory – Episodio 03: O último Bis.

ATENÇÃO: o post a seguir terá Gifs animados, para os usuários que possui uma conexão lenta, ou usa dados moveis do Celular já peço desculpas.

 Foi mal, UMU!
Foi mal, UMU!

O episódio começa com uma troca de enquadramentos do Chakravartin com uma faceta negra, fato curioso é que Chakravartin em hindu é ascender; durante a transição de cena, nos vermos que no centro de Chakravartin uma esfera e dentro da esfera a algo de brilhante; a câmera troca o foco do Chakravartin para o sujeito de preto, ao falar nos sabemos quem é: Twice Pieceman; então ele apresenta seu passado com a frase “eu nasci no inferno” sobrevivente da guerra do Vietnã, a minha afirmação é confirmada com a faceta de um soldado americano no meio de uma floresta, tal soldado atira em pessoas e Twice mostra indignação, dor e raiva com isso, dando a entender que essas pessoas são a família de Twice, sendo morta na sua frente.

A faceta da Guerra.

Esse foi o primeiro contato de Twice com a guerra, algo que marcou a vida dele por completo, depois vermos uma cidade em chamas, no meio dela está Twice, ele adulto, se tornou um cientista e trabalhava pesquisando métodos para salvar vidas enquanto servia de  médico nas linhas de frente, e durante esse serviço numa cidade no extremo oriente, em 1999, essa cidade sofreu um ataque biológico de terrorista, a mesma cidade do modelo base do nosso protagonista; nos últimos suspiros de Twice tenta ajudar uma criança caída, mas quando ver ela lutando para sobreviver, ele se faz satisfeito e desfalece, mas a Moon Cell o salva, lhe transformando em um NPC, mesmo não sendo ele por completo; ele não era uma simples IA como os alunos que só possui suas memorias, e sim um NPC com seu próprio ego então ele entrou na Guerra do santo Graal lunar, e depois de derrotar centenas e finalmente chega na Angelica Cage, o paraíso do sétimo céu da Artghaph, como o objetivo de conseguir o graal; mas quando estava próximo do seu objetivo, ao mesmo tempo estava tão longe.

Tão perto, tão longe.
Tão perto, tão longe.

Um adendo para explicar dois servos que apareceram durante esse diálogo:

Violet é uma das personalidades da BB, personagem que aparece no jogo: Fate Extra CCC, mas a Violet especificamente, aparece no manga: Fate Extra CCC Foxtail, que conta a história de um Kishiname Hakuno diferente, e a serva dele é a Tamamo no mae , é uma história diferente é recomendo caso queira expandir seu conhecimento sobre esse universo.

É Tamamo no mae, mas essa é diferente, essa é específica de Twice, tanto que possui um penteado próprio.

As caudas da Tamamo.
As caudas da Tamamo.

Essa impossibilidade é feita pelo fato que o cálice não pode ser acessado por um NPC, por causa disso ele esperou por um pupilo que possa afirmar seus ideais.

Então vermos que Twice tentou convencer a Hakuno para seu lado, e obviamente ela negou, pois diferente dele, ela acredita no futuro da humanidade, sim reduzir o discurso dele defendendo o conflito com a chave do progresso, ao invés da estagnação defendida anteriormente por Leo para apenas uma frase pois dizer apenas o que ele disse tira muito da cena que foi muito bem produzida.

‑Aceita meu ideal?

Voltando ao tempo atual, vermos a faceta de Twice ao observar a Moon Cell, e fala que tal incidente fazia 900 anos, então uma voz avisa que Chakravartin está pronto para destruir a Moon Cell nos próximos vinte minutos, no mesmo momento, nossos heróis estão chegando no local e Twice percebe que a chegada deles.

Observando o fim.

Uma passada rápida na Opening é que durante esses três episódios é que nos passa um sentimento de bem-acabado, pois estou assistindo a versão dublada pela Netflix, e quase reclamo pois a dubladora da Nero tinha esqueceu do meme de linguagem dela: UMU até o episódio 6, mas isso fica para depois, o que eu falo é que a animação da opening dos primeiros dez episódios fica difícil reconhecer que a Nero esteja lutando num coliseu, já nesses últimos três episódios, fica mais fácil identificar os gladiadores e o vermelho da roupa de Nero é mais vivido, talvez tenha haver com o emocional de Kishiname no decorrer da série.

Oh, open bonita!

Na volta da Open, vermos nossos heróis e Leo chegando na Angelica Cage visualizam de perto o Chakravartin e visualizam Twice, mas se questionam o fato de que o servo dele não esteja no andar; ao visualizar o quarteto, Twice os recepciona de maneira calorosa: atacando-os, ambos fogem desses disparos em pares, durante a fuga Leo demostrou neutralidade pelo ataque e todos ficam irritados, até nos, os telespectadores.

Sujeito salafrário

Nero fica tranquila com esse fato, pois não precisara de tanto diálogo para resolver isso, um ponto importante dessa cena é que a Rin, como Demi-servo de Cú Chulainn, pegou uma parte da  Rami, que também é um Demi-servo de Lu Boo, ataca Twice com essa parte, de fato um bom Fan-service; infelizmente todos os ataques não focam eficazes, então Twice observa todos os visitantes.

Rin, corpo; Rami, braço.

Ao perceber que Kishiname estava entre os visitantes, Twice o parabeniza por chegar no topo do fosso, mas também reduz a significância dos adversários dos andares anteriores; não gostando desse discurso Nero pergunta sobre o servo de Twice, e o mesmo fala que ele não está entre nós, mas seu fantasma nobre: Chakravartin, aquele que gira a roda; Twice referiu ao seu servo como o iluminado pois o servo dele é da classe Saver e cujo nome é Buda, exatamente, o profeta do Budismo, por isso que Chakravartin em hindu significa ascender, e que faz um bom jogo de palavras pois o seu fantasma nobre simboliza o nirvana, a roda das encanações no hinduísmo; mais isso é informação do jogo.

O Saver na Frente e Twice atrás

 Twice disse que continuou seu caminho mesmo que sem a ajuda da Hakuno, e mesmo sendo eliminado Moon Cell, então ele ô selou junto com o destino da humanidade até esse momento, Rin encontra uma incoerência nesse discurso, pois os Dead Faces não podem acessar a Moon Cell pois serão eliminados, então Kishiname questiona quem seria essa pessoa que os fala, tal pessoa fala que é o resquício de Twice, que está no mesmo ponto de igualdade de Kishiname, um Dead Face, alguém que nasceu do ódio e o deseja e com ele, ascendeu; Kishiname nega pois ele tem um objetivo, a Moon Cell, e Twice e a única pessoa que o impede, Twice pergunta o que, Kishiname quer testemunhar algo novo, restaurar o Moon Cell e nada pode mudar tão pensamento.

A descrença de Twice.

Twice ri e mostra o motivo do seu humor, a terra estava condenada, a humanidade trilhou seu próprio destino, durante mil anos fez que a terra ficasse sem recursos, então Twice nos mostrar como está a situação do planeta no momento e afirma que a humanidade não tem um futuro, caso fosse salva; Kishiname ironiza Twice pelo fato de que ele, mesmo depois de mil anos, ele não conseguiu destruir a humanidade, então percebe o plano de Twice que era destruir a Moon Cell para não deixa nada para os humanos sobreviventes da Terra.

A Terra de Amanhã.

Então Nero ô questiona o odeio dele com a humanidade pelo fato que ela não fez o que ele queria, Twice nega dizendo que a humanidade deve volta ao zero, então ela dá-lhe o posto de pior dos piores dos seres vivos por causa disso, quando percebeu que chegou ao seu objetivo secundário, Twice ataca nossos heróis, mas no mesmo momento, Leo cria uma barreira ao redor do andar e protege nossos heróis para fugissem desse ataque.

 Já no abrigo, Kishiname faz algo que, talvez, nenhum protagonista da franquia fizeste: uso rápido a cabeça numa situação de perigo: Criou clones dele para servir como alvos fáceis, sei que é pouca coisa mas imagine os outros protagonistas da franquia na mesma situação, já imaginaram? E para terminar essa parte bastante estanha da franquia Leo, sim nosso príncipe, parabeniza Kishiname por esse fato e todos ficam supressos por isso.

O original nunca será desoriginalizado.

Visto que a barreira não irá dura muito tempo, Nero questiona como parar o Chakravartin, já Rin adiciona a pergunta o fato de como eles poderão acessar a Moon Cell e como um Fantasma nobre está ativo, mesmo que o Espirito heroico que o ativou já tenha ido, então Kishiname a solução: levar um mestre da guerra para o núcleo da Moon Cell, para que ela fosse acessada e derrotar o Twice sem conflito; Leo volta a parabenizado por mais uma solução logica, mas o questiona pelo fato da falta de enfrentamento direto, então o próprio Kishiname diz que está focado no seu objetivo, pois seu odeio é diferente do objetivo traçado pela sua antecessora, tanto a Nero como a Rin, ficaram impressionadas por esse ato; visto que a barreira não iria suportar por mais tempo, foi feito um plano de ação para parar o fantasma nobre e para poder acessar a Moon Cell, então Leo diz que dará uma ajuda com seu poder, mas antes pergunta a Kishiname o porque ele disse nome de Kishiname Hakuno (o dele), já que isso deixou ele (Leo) irritado, então Kishiname disse que agradece tudo que conseguiu a uma mestra extremamente poderosa chamada de Kishiname Hakuno (a mestra da saber), nesse momento Leo se alegrou e prontificou em ajuda nossos Heróis com um último ato de bondade para a humanidade, mesmo não sendo mais Leonardo Bistario Harway a partir do momento que acreditou do pensamento de Twice.

O Despedir do messias.

Enquanto os clones iriam se desfazendo com o ataque do Chakravartin, Twice fica supresso pelo fato de Leo esteja na Angelica Cage, Leo diz que ele é igual a Twice, ao menos do antigo Twice, então esse Twice pergunta que ele achou alguém para suceder e nesse ponto Leo afirma ter achado essa pessoa, que diferente dele,  Twice, ele soube conquistar um cativo, visto que o ideal de Twice impedia de conquistar alguém para segui-lo. Com Chakravartin a pontado para si, Leo se desassocia de Twice e convocar Gaiwain, pede pela última vez, que ele se torne sua espada, e pela última vez, usa sua espada solar: Escalibur Galatine, com esse esforço, Gaiwain conseguiu, momentaneamente, para o Chakravartin, e com seu último suspiro, ficou feliz ao ver que seu mestre finalmente voltou a ser aquele nobre que decidiu proteger, e Leo agradece pelos seus serviços prestados e então Gaiwain desaparece, no mesmo estante um lastre do Chakravartin atira em Leo e nos despedimos do nosso monarca, se desfazendo pelas suas chamas.

via GIPHY

Todos ficam impressionados com o poder de Leo nos seus últimos momentos, mas mesmo usando seu poder total, o Chakravartin ainda funcionava, um pouco lento é verdade, mas funcionava; visto a dedicação de Leo nos últimos momentos, Nero pede para Kishiname ordena-la, pelo selo de comando, para parar o Chakravartin usando toda a sua força durante dois segundos para chegar ao Moon Cell, até a Rin considera que essa ação seria suicídio, mas não ver escolha a não ser tomar essa ação, Kishiname não gosta de tal ideia, Nero percebe, mas diz que mesmo não gostando da ideia, ela é um servo e seu dever é proteger seu mestre, então com muito pesar, Kishiname a ordena, pois confia nela, com a ordem recebida Nero pede a Rin para cuidar do seu maestro, ela concorda com um acenar de afirmação com a cabeça, com isso nossa imperadora das Rosas parte para cumprir sua missão.

 Ao chegar no Chakravartin, depois de desviar dos ataques de Twice, Nero conseguiu cria a tal brecha para alguém chegar a Moon Cell, visto que tal objetivo foi alcançado, ela usa toda a sua força para parar o Chakravartin, durante as tentativas, falhas, de Twice, durante a horda de ataques, Nero encontra forças ao lembrar da força do seu mestre, durante essa declaração de amor, utilizou todas as forças para parar o Chakravartin, enquanto descansa infeliz, por não poder ver seu mestre por uma última vez, vermos a face sorridente de Kishiname alegre por vê-la, tanto Nero, quanto nos, ficamos confusos com essa situação, então Kishiname fala que foi a Rin que chegou a Moon Cell, por ser a única que era digna para adentar na Moon Cell, mesmo a Rin não gostando da ideia, Kishiname consegue converse-la, pois ele não ser ver com direito de ir, mesmo vencendo todos os combates e ao lembrar da luta de todos a Rin parte, carregando tristeza de ser ela, e não ele, que entrará  na Moon Cell.

O Choro da Rin, foi mal pela iluminação.

Ao voltamos ao Chakravartin vermos Nero desesperada pelo fato, que seu mestre esteja na sua frente e ô pergunta o porquê, então Kishiname relembra da promessa que fez a Nero, não como o Kishiname, e sim da Hakuno, que não a deixaria sozinha, ao lembra dessa promessa, Nero lembra do seu passado com ela, quando lhe contou do medo de morrer só, então ela finalmente entendeu, esse Kishiname, também é a Hakuno, e visto que seu fim é certo, ela pede uma última coisa para ele, para ele provar que é o melhor dentre os mestres, então Kishiname aceita o desafio ao aceitar a espada dela e parte para desafiar Twice, com a tristeza de abandona-la.

via GIPHY

Twice ao ver Kishiname se aproximando tenta impedi-lo, pois pensa que ambos são iguais pelas suas Dead Faces, mas ao toca-lo, seu esforço foi inútil, pois percebe que Kishiname não era mais igual a ele, pois Kishiname tornou-se vivo ao dispensar o odeio dentro dele.

O Fim do nosso antagonista.

Ao aproximar da Moon Cell, Kishiname lembra de toda a sua jornada até aqui, dos confortos da amizade, da competição dos rivais, das alegrias e do odeio, da frieza do fim, ao calor do encontro, e ele mesmo define essa vida como um sonho, no mesmo instante, nos é mostrado Nero e todas as suas facetas alegres e iluminadas e com o Moon Cell a vista, ele faz mais um esforço para penetra-lo com a espada da sua amada serva.

via GIPHY

Ao adentar a Moon Cell, esse mar de probabilidade, vermos que tal local não permite vida, pois quando Kishiname adentou, ele aparentava está fraco, e quando ele visualiza Rin, ela está no mesmo estado, então Kishiname fica espantado pelo fato que ela não usou a Moon Cell, ela ô respondeu que o esperou, entendendo a situação, ele mesmo toma as rédeas dela, mas antes de adentar ele diz que a amizade da Rin é difícil de entender, então Rin acata essa reclamação.

É difícil.

 Depois disso a Rin fala como funciona o Moon Cell e então pergunta a Kishiname qual o seu desejo, então ele lembra do seu medo de desaparecer, e lembra que esse objetivo era dele, independente do corpo dele, ao ver a determinação dele, Rin tenta pará-lo, mas ele deve cumprir seu objetivo, quando chegou próximo ao núcleo da Moon Cell, ele lembrou que ele está fazendo o correto, nesse mesmo momento, com o Chakravartin a se desfazer, Nero declara esse último Encore, ao fala sobre seu fabuloso e corajoso mestre, e ao dar seu adeus ela se desmanchar em pétalas, junto com o SE.RA.PH, pondo um fim a esse espetáculo.

via GIPHY

Um adendo na Ending e que esse último End Card parece um mural estilo Da vinci retratando os serafins ao ver Deus, uma referência na parte inferior central e centro-direito são os servos que fizeram parte do anime com aparições breves, obvio tirando a Violet das personalidades de BB e a Tamamo de Twice que apareceram nesse último episódio duplo.

 No centro termos Leônidas de Fate/GO.

 Na direita termos Fergus Mac Roích, Dario III de Fate/Go ambos apareceram no episódio 2 e 3

E Suzuka Gozen que também do Fate/GO, mas que aparece primeiro no Fate/Extra CCC Foxtail.

 Pois esse enceramento, vermos o SE.RA.PH reiniciando, depois vermos a Rin, com seus cabelos a lourificar, e no fim vermos ela correr por nada, talvez para passar o bastão para o próximo anime da Franquia.

via GIPHY

Review do episódio: Um último ato grandioso desse anime, foi um banquete de emoções: Tristeza, alegria, choro, paixão, conforto, nobreza; um ótimo trabalho da Shaft que o único pecado foi a demora para entrega-lo, todas as peças foram perfeitas de um simples polígono do Chakravartin até a toda a dramatização de Kishiname e Nero, tudo nos mais perfeitos conformes, uma pena que esse foi o último bis.

Review da Serie como um todo:

 Fate/Extra: Last Encore foi uma serie produzida pela Shaft que foi lançado no dia 28 de janeiro de 2018, primeiramente na Netflix que financiou para exibir mundialmente, e depois nas tvs japonesas.

 A obra foi dívida em duas partes: apenas Last Encore, são os primeiros 10 episódios lançados na temporada de janeiro, ou inverno, e Last Encore: Irusterias Ptolemaic Theory que é o nome dos últimos 3 episódios, foi disponibilizado em formato de filme de 2 horas, mas detalhes vejam o primeiro Review aqui, cujo Review ficou ao meu encargo; esse “episódio triplo” foi lançado no final do mês de Julho ou na temporada de Verão, do mesmo ano.

 A serie como um todo, teve como base o jogo Fate/Extra, lançado em Julho de 2010 no Japão, Novembro de 2011 na América do norte e Maio de 2012 na Europa, voltou a repetir que usou o jogo como base, o anime pegou elementos do jogo e retrabalhou para uma nova narrativa, pois no tempo da exibição da primeira metade no anime, eu vi muita gente reclamando que não entendia a estória e que o anime não adaptou o jogo fielmente; obvio que o Last Encore, desde sua primeira exibição, nos mostrou que seria um ponto de vista diferente, algo diferente pode ser estranho, mas não feio, não ilógico, quando vi o primeiro episódio da série, e obvio que estanhei, mas aceitei pois estava bonito e bem trabalhado, afinal já estava acostumado como o estilo Shinbou de direção, como Monogatari series, e fiquei feliz ao saber que Nasu Kinoko trabalhou no roteiro de adaptação.

Post do jogo.

Para os leigos que não conhecem o jogo, Fate/Extra está fora do universo Canon da Franquia Fate, pois esse jogo foi projetado para ser um Rpg de turnos e masmorras, e não um visual novel, apesar que possui elementos dele; muitas pessoas pensavam que esse anime seguiria os modelos da serie Canon, em relação a guerra do cálice com foi o Apochypha; mas  o anime pegou elementos do jogo para contar a sua história. 

 O Fate/Extra, o jogo, foi o primeiro contato meu com a Franquia, e quando foi conhecer o universo Canon, usava o jogo como base para me relacionar com a serie principal; quando descobrir que era completamente diferente, minha mente se abriu por completo para absolver tudo relacionado, atualmente estou vendo o Kaleid e fico horrorizado vendo Illya em poses provocativas; mas voltando para esse título, quando o anime começou já sabia que não seguiria os preceitos da franquia principal , mas ver o Hate do pessoal ao assistir, me deixou triste.

 Tanto no anime como no jogo, nós acompanhamos Kishiname Hakuno em seu objetivo em chegar ao Angelica Cage e conseguir o cálice sagrado do paraíso dos sete mares, no jogo somos Kishiname Hakuno e Kishiname Hakuno em suas aventuras, já no anime vermos um Kishiname Hakuno diferente do habitual, vermos ele como uma pessoa consumida pela raiva, uma raiva incompreensível nos primeiros momentos, que através dos episódios nos é contado o motivo: ele é um aglomerado de mortos, dos mestres que chegaram na Angelica Cage e falharam para conseguir o Graal, para mim serviu para me relacionar a ele, pois se pensamos bem, podemos relacionar aos jogadores do jogo que levaram um Game over do jogo de PSP; e o fato da Dead Face, isso meio que existe no jogo, no episódio onde Julius apareceu na série ele é mestre de Li Shuwen quando ele é um Berserker, no jogo originalmente era o Assassin e se tornou Berserker junto com Julius no último Nível, quando eles voltam dos mortos para proteger Leo, e se eu falar mais será um spoiler do jogo.

 Kishiname, para mim, John Vini e não a opinião da página , é o melhor protagonista da franquia nos animes, para mim Kaleid não conta na franquia, mas por vontade própria do que aspectos factuais,  voltando ao assunto, considero Kishiname, o mais humano( o Kishiname começa com seus erros mas busca melhorar por aquele que ama, e a Hakuno única e simplesmente representa bem uma pessoa, tanto no emocional, como comportamental) dos protagonistas de Fate, em comparação, Kiritsugu é um Shirou de um ambiente violento, que cometeu erros, mas que se arrependeu deles no fim, Shirou nem isso, mesmo enfrentando seu futuro, ele seguirá seus ideais sem, ao menos, melhorá-los, e Sieg nem conseguiu ser o Shirou do  Apochypha e se tornou um ser de natureza chula em relação a sua construção inicial, e o Ristuka(Gudao) não possui uma série para avaliar.

 Já a sab.., digo servo da vez, temos mais uma vez, um servo que tenta ajudar seu mestre, e consegue, Nero foi fantástica, para salientar, no jogo podemos escolher três servos, a Nero, que é a nossa saber, Emiya Shirou, que é nosso Archer e Tamamo no mae, que é nossa Caster, e o servo que eu joguei até Zerar.

TAMAMO HOJE, TAMAMO A MANHÃ, TAMAMO PARA SEMPRE

Mas voltando ao anime, Nero conseguiu me passar a sensação de estar jogando com a Tamamo: alegria a cada passo, tristeza a cada lembrança, força de vontade para superar qualquer desafio, mas sem esquecer do seu amado mestre (a), ajudando-nos, a crescer juntos; esse foi o sentimento está presente em Nero até o último traço, mas óbvio que não é a Tamamo, mas dá para o gasto.

Já falando dos personagens de suporte do anime, aqueles que ajudam no desenvolvimento do protagonista, inicialmente termos Shinji e Amano, que muitos acham que era a Tamamo pela aproximação de nome e design, atendo aqui é que a personagem do universo Fate mas próxima da Tamamo, sem ser a Cat é a Chloe do Kaleid, apenas a mesma dubladora, mas não é; eles ajudaram a dá uma ambientação no colégio, dando um clima confortável e relaxante nos primeiros minutos do episódio e conflitante e asfixiante nos últimos minutos do mesmo episódio.


Maldita seja a Kuro.(estou ainda na 2Wei)

Já a Rami VIII e a Rin ajudaram, a partir do primeiro andar, nosso casal de heróis nas suas adversidades dos mestres dos andares, e das próprias personalidades dos nossos protagonistas ao decorrer dos demais episódios.

Já os mestres do andar, mostram os desafios dos nossos protagonistas em grau físico e psicológico; Shinji e Drake mostrando o medo da humanidade do desconhecido, mostrando os louros da estagnação; Dan e Robin Hood mostra o início da raiva, por não poder alcançar o alvo que deseja; Alice e Nursery Rhyme mostrando um lado infantil do medo do fim, e a luta por um final feliz; já Julius e Li Shuwen mostra o ultimo estagio da raiva, perdido na escuridão de uma guerra motivada pela raiva por não conseguir salvar o que protegia, Rin e Rami sendo Demi-servos e usando suas forças para um conflito sem sentido; Leo e Gaiwain mostra como a estagnação faz que as pessoas acreditarem de milagres, em um salvador, e também mostra que esse salvador já está morto, por causa dessa estagnação; e por fim Twice, que se fez como o ultimo inimigo da humanidade, por causa da sua ideologia, cultivou tudo que ele pensou, e colheu ódio e solidão de sua ideologia.

 Num resultado final: 09/10; mesmo gostando do anime, ele possui erros, o maior é o fato que ele se baseia do jogo, o jogo não é tão conhecido em relação a franquia como um todo, e por isso que muita gente reclamou do anime, pelo fato de não conhecer o jogo, ou jogaram sem entender nada da história pela falta de conhecimento de inglês; de fato foi um pecado perdoável, pois para as pessoas que conheciam a séries de jogos do Extra ( Extra, Extra CCC, Extrella e Extrella Link), souberam aproveitar a obra bem.

 Bem, recomendo o anime para pessoas interessadas, quase não tem haver com a franquia principal, então para pessoas que desejam conhecer a franquia, fiquem sabendo que Fate/Extra: Last Encore não tem conexão com os demais Fates, menos no Grand Order, aí tem relacionamento.

E depois dessa Bíblia, eu me dispenso, Jonh Vini terminando seu primeiro anime, e a espera dos vossos feedbacks sobre a série e do review, isso é tudo.

Até mais, UmU!!!

Curiosidade rápida, a dubladora da nossa saber: Sakura Tange, é a mesma da Sakura de Cardcaptor Sakura.
Curiosidade rápida, a dubladora da nossa saber: Sakura Tange, é a mesma da Sakura de Cardcaptor Sakura.
Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.