Komi Can’t Communicate 2: Episódio 4 (16) – Então é Natal e o que você fez, ano termina, mais um presente pra Komi também

Artigo por Jonh Vini. Podem enviar os vossos artigos aqui.

É estranho o fato que todo esse episódio foi focado especificamente no aniversário de Komi-sama, pois normalmente eles diluem um assunto para render em múltiplos episódios, tanto que o “conselho”, mesmo seguindo o mangá, foi dividido em dois episódios uma narrativa que seria facilmente “matado” em um, todavia esse episódio me deixou uma sensação de saciedade, pois esse episódio conseguiu captar o sentimento que os capítulos adaptados de uma maneira satisfatória, pois todos os elementos desde a busca dos presentes pelos irmãos, passando pela festa de aniversário/Natal e terminando com todos indo para casa e recebendo o agradecimento de sua deusa pelo presente que foi “escolhido” por todos, foi um episódio de 23 minutos que parecia dez por todos os elementos presentes na tela de maneira natural e agridoce, claro que todo esse meu sentimento vem do fato de ser o leitor do mangá e saber que praticamente todos os elementos mostrados neste episódio tem um peso, mas vamos fazer que nem Jack, o estripador: “Vamos por partes”.

  Arsot Les Primavera vos ordena: Joguem Gacha.
Arsot Les Primavera vos ordena: Joguem Gacha.

Começando com o primeiro segmento do episódio que foi a saída dos irmãos, a relação da Komi com Shousuke é bastante padrão na ficção, pelo menos numa contemporização próxima a nossa, os dois não são brigados, são até próximos se lembramos da piada da família Komi, mas por conta do conceito do Shousuke que ele é tão distante de sua irmã, todavia ela é ainda irmã dele e como “homem da casa”, resta a ele sempre ajudar sua irmã problemática com seus desafios, mesmo que pareçam bobos, Shouseke é diferente de sua irmã, o próprio episódio mostra isso, mas isso não o afasta de sua família e saídas com membros dela afirma isso, pois mesmo parecendo um protagonista de uma obra para maiores, ou de um anime de Idol, ele é gente boa que fica na dele.

Até mesmo para emprestar dinheiro.
Até mesmo para emprestar dinheiro.

O aniversário de Komi se tornou um evento da obra, tanto que o próprio volume que o episódio adaptou foi lançado próximo ao natal, esse evento é importante para a narrativa como um todo, afinal de contas os elementos apresentados nesse evento é lembrado praticamente em toda obra, como foi o presente da Komi, para terem noção, aquele gato sempre aparece no quarto da nossa heroína, tanto que numa capa da obra ele aparece.

Até a Mamãe joga, somente quando vale algo.
Até a Mamãe joga, somente quando vale algo.

Bem eu pensava que o evento da festa desse ano seria o Smash Bros, mas isso ficou para o próximo ano, mas o jogo do rei foi um ótimo aperitivo para o próximo ano, para falar a verdade todos os momentos de tensão que existia no início foram potencializados, talvez ao gosto de Kazuki Kawagoe para passar uma sensação de um Battle Shounen nos momentos de tensão, isso é mais vivenciado justamente na escolha do local onde o pessoal sentaria e isso foi passado no jogo do rei.

Que os jogos comecem.
Que os jogos comecem.

Antes de falar das escolhas dos colegas, tenho de falar do momento do “flashback”, aquilo foi uma sacada genial da produção da obra em “tridimensionalizar” um quadro do original na tela da TV, foi um gag bem pensado para passar o pensamento que o Tadano estava tendo para nós, enfim o Deadly Game que Najimi era o mais esperado, junto com as piadas dos personagens, mas o sentimento que eles tiveram no final do episódio é o que conta, principalmente pela mensagem que mostra a união de todos os personagens de maneira condizente com os personagens, pois vermos a Yamai encabeçando o grupo que não pensou em nada tão condizente e a magnitude da deusa sendo agraciados por uma série finita de caracteres, esses momentos é que fazem Komi-san ser algo especial, pois cada detalhe é o que conta, pois no final o acumulado de detalhes que dar o resultado da narrativa, pois não vemos uma mudança busca dos personagens, mas sim um desenvolvimento mais moderado, para não falar lento, deles e seu relacionamento entre eles, pois a vida não é um anime de ação, mas sim algo mais próximo a um Slice-of-life com pitadas de comédia e nisso Komi-san acerta bem, não é pelo romance, mas sim a vida cotidiana dos personagens da obra, por isso acontecimentos “fillers” são tão importantes, pois são tijolos que pavimentam lembranças.

Isso foi genial.
Isso foi genial.

Basicamente era isso que eu tinha para falar do episódio do anime da Nossa Imaculada Senhorita/Rapariga, pois irei tentar fazer algo mais complexo no próximo review, aqui é Jonh Vini essa foi a minha review desta série, estou à espera dos vossos Feedbacks do episódio e da review para melhorar minha escrita para vocês, não se afobem pois arrependimento mata, vamos discutir pacificamente, sem puxar palavras de baixo calão já que como podem ver eu não desferir nenhuma contra vocês, fora que é saudável porque enriquece a vida de todos, dúvidas ou questionamentos da obra serão sanadas nos seus comentários e até mais.

Esse Gato já virou uma personagem.
Esse Gato já virou uma personagem.
Subscreve
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments