Tear Studio foi à falência, deve 70 mil dólares a 50 animadores

Tear Studio deve no total mais de 393 mil dólares

Tear Studio foi à falência, deve 70 mil dólares a 50 animadores

Num desfecho que já se estava a adivinhar, depois de desaparecer e ficar incontactável a empresa de crédito Tokyo Shoko Research vem agora revelar que a Next-Batter’s Circle, o nome oficial da companhia do Tear Studio, iniciou um processo judicial para declarar falência e planeia declarar formalmente falência ainda mês.

Segundo o Tokyo Shoko Research o estúdio na ala Suginami de Tóquio interrompeu as operações a 13 de dezembro. O estúdio tem cerca de 43 milhões de ienes (393 mil dólares) em dívidas, incluindo cerca de 8 milhões de ienes (73 mil dólares) a cerca de 50 animadores.

Tal como noticiámos anteriormente o staff do anime Fragtime tinha revelado online que não conseguiam contactar o estúdio e está agora explicada a razão para tal.

O Tear Studio foi fundado a 15 de março de 2013 e opera sob o nome oficial da empresa Next-Batter’s Circle. Jun Katou é o diretor representante da empresa.

Quanto à história de Fragtime:

O que faziam se pudessem parar o tempo? Moritani, por exemplo, está a usar a sua habilidade incomum de parar o tempo por três minutos por dia para observar as pessoas ao seu redor. Um dia, ela escolhe “observar” a roupa interior da idol da turma Murakami – apenas para se colocar numa situação muito comprometedora quando a sua colega de classe acaba por ser imune ao seu poder.

Recentemente o Tear Studio animou a adaptação para OVA do mangá yuri Fragtime de Sato. O estúdio trabalhou também em Lord of Vermilion: The Crimson King, The Royal Tutor e Why the Hell are You Here, Teacher!?.