Assassino de Shinzo Abe vai ser avaliado mentalmente

Discurso do Primeiro Ministro do Japão sobre o levantamento do Estado de Emergência

O homem que assassinou Shinzo Abe, o famoso ex-primeiro-ministro do Japão, foi transferido de Nara para Osaka esta segunda-feira para iniciar uma avaliação psiquiátrica até 29 de novembro.

Tetsuya Yamagami é acusado de atirar em Abe à queima-roupa enquanto ele fazia um discurso de campanha na cidade de Nara, no oeste do Japão, a 8 de julho. Ele foi preso no local.

O Código Penal do Japão estabelece que os indivíduos com capacidade mental diminuída estão sujeitos a penas reduzidas, enquanto aqueles cujas ações são atribuídas à insanidade não podem ser punidos.

Yamagami disse aos investigadores que guardava rancor contra a Igreja da Unificação, um grupo religioso conhecido pelos seus casamentos em massa, e atacou Abe porque achava que o ex-primeiro-ministro tinha ligações com ela.

O seu tio disse aos repórteres que a sua mãe doou grandes somas de dinheiro para a igreja – formalmente conhecida como Federação das Famílias para a Paz e Unificação Mundial – e posteriormente faliu em 2002, arruinando a família.

Subscreve
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments