Deve o Japão anular a cláusula anti-guerra?

Deve o Japão anular a cláusula anti-guerra?

Deve o Japão anular a cláusula anti-guerra? Esta pergunta está a ser amplamente discutida em terras nipónicas após o primeiro ministro japonês Shinzō Abe ter proposto a remoção do artigo 9 da constituição japonesa.

A constituição foi escrita durante a ocupação dos Aliados, depois do fim da Segunda Guerra Mundial e o artigo 9 proíbe o Japão de manter forças militares e de se envolver em guerras para resolver disputas internacionais. Foi criada em 1950 a Polícia Nacional de Reserva sendo mais tarde transformada em Forças de Autodefesa do Japão pelo governo japonês em 1954. As Forças de Autodefesa do Japão foram divididas em três ramos militares: Força Terrestre de Autodefesa (Exército), Força Marítima de Autodefesa (Marinha) e Força Aérea de Autodefesa (Aeronáutica).

Um dos críticos desta proposta é Toshio Suzuki produtor no Studio Ghibli que afirmou “Nós devíamos estar a proclamar o artigo 9, que trouxe paz ao Japão, ao resto do mundo” acrescentando “Eu duvido que a maioria das pessoas fora do Japão saiba que temos o artigo 9. Afinal de contas, temos uma força de autodefesa. Eles provavelmente sabem sobre isso. É por isso que temos que espalhar a palavra sobre a cláusula ao mundo. Esta paz que o Japão tem não teria sido possível sem ela”.

O que acham, deve ou não o Japão ter um exército como todos os outros países?

Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.