Atriz de Abby de The Last of Us Part II recebe ameaças de morte

The Last of Us Part II, é sem dúvida o jogo mais controverso deste ano. Depois dos fãs manifestarem o seu desagrado destruindo os jogos em formato físico e próprias consolas, decidem dirigir a sua atenção furiosa aos atores do jogo.

A atriz Laura Bailey, que emprestou a sua voz e movimentos à personagem Abby de The Last of Us Parte II, relatou através do seu Twitter que está a sofrer de ataques verbais de várias pessoas furiosas com os desenvolvimentos do jogo.

A jovem partilhou diversas publicações contendo, não só ataques verbais à sua integridade, como a membros da sua família.

Laura, pensando nos seus fãs, omitiu algumas palavras que possam induzir a spoilers, para quem ainda não jogou o jogo. Também admite que tenta apenas publicar positividade no seu Twitter, mas por vezes estes assuntos também têm de ser revelados, um fator que demonstra que estes desenvolvimentos já estão a afetar a sua saúde a nível psicológico.

Devido à natureza absolutamente animalesca destas publicações, algumas, serão censuradas:

Eu vou matar-te pelo que fizeste a [censurado por spoilers] em The Last of Us Parte 2”, ameaça um utilizador.

Outro, pública: “Só queria dizer que devias morrer, ****. Vai-te ****, arruinaste o jogo”. 

Um terceiro ainda vai mais longe, atacando a família da atriz: “Eu espero que os teus pais morram de um cancro incurável porque tu [censurado por spoilers]. Eu vou encontrar-te e vou matar o teu filho por isso. Aguarda”.

Finalmente o quarto e quinto, relatam: “vai-te ****, Abby estúpida, **** vai-te ****”, “Vou dar-te uma facada.”

É certo que os produtores da aventura da Naughty Dog, não agradaram à maioria dos seus fãs. Contudo, temos de saber separar a realidade da ficção, ainda mais quando uma atriz, apenas foi contratada para interpretar uma personagem de um jogo. Tenham atenção que muitas das vezes, nesta era do imediato e de vazio social, poderemos estar a causar danos irreparáveis a quem está do outro lado de um monitor.

Vindo de vários mundos e projetos, juntou-se à redação do Otakupt, pronto para informar todos os leitores com a sua experiência nas várias áreas da cultura alternativa. Assistiu de perto ao nascimento dos videojogos em Portugal, até à sua atualidade. Devora tudo o que seja japonês (menos a gastronomia), mas é também é adepto de grandes histórias e personagens sejam essas produzidas, em qualquer parte do globo terrestre.