Sony confirma através do seu site oficial que Final Fantasy XVI é um exclusivo temporário

Desde os momentos iniciais de Final Fantasy XVI, que a sua exclusividade na PlayStation 5 foi um assunto polémico. Isto porque no primeiro ecrã da sua estreia indicava que este seria um exclusivo PlayStation 5 nas consolas, mas também receberia uma versão para PC. Meras horas depois nessa mesma imagem inicial apenas foi referido que estava em desenvolvimento uma versão para a PlayStation 5. Estes acontecimentos, possivelmente devem-se à inicial exclusividade temporária na consola da Sony, um elemento que a Square Enix desconhecia quando revelou a décima sexta entrada numerada de Final Fantasy.

Final Fantasy XVI é anunciado para PlayStation 5 e PC

Meses mais tarde, através de um vídeo publicitário da PlayStation Brasil, noticiamos que Final Fantasy XVI se tratava mesmo de um exclusivo temporário, e se existiam dúvidas o próprio site oficial da PlayStation revela que Final Fantasy XVI poderá chegar as consolas Xbox, ou até quem sabe à sucessora de Nintendo Switch.

Final Fantasy XVI é exclusivo temporário Playstation 5

Na secção de jogos exclusivos dos parceiros PlayStation, verificamos que Final Fantasy XVI, “não estará disponível noutras consolas por tempo limitado“. Ou seja, foi confirmado pela própria Sony que o jogo vai efetivamente receber lançamento noutras plataformas, não sabemos é quanto tempo vigorará este contrato.

De salientar que a exclusividade de Final Fantasy VII Remake nas consolas PlayStation 4 está a horas de expirar. Se não foi renovada com o anúncio de Final Fantasy VII Remake Intergrade, talvez estejamos a dias, ou quem sabe horas, de Cloud Strife e a restante AVALANCHE se espalharem por mais mercados e plataformas, especialmente neste período onde grandes clássicos e futuros sucessos da empresa encontraram uma nova casa na PC Epic Games Store.

Vindo de vários mundos e projetos, juntou-se à redação do Otakupt, pronto para informar todos os leitores com a sua experiência nas várias áreas da cultura alternativa. Assistiu de perto ao nascimento dos videojogos em Portugal, até à sua atualidade. Devora tudo o que seja japonês (menos a gastronomia), mas é também é adepto de grandes histórias e personagens sejam essas produzidas em qualquer parte do globo terrestre.