Mangaká de Yaoi pede para pararem de piratear os seus mangás

A mangaká Hatoko Machiya publicou no seu twitter uma mensagem a pedir aos seus fãs para não comprar versões não oficiais em inglês do seu trabalho. Machiya referiu-se às digitalizações do seu trabalho on-line como “traduzidas ilegalmente” e lembrou os leitores que ela não está numa posição financeira para oferecer gratuitamente o seu trabalho.

Entre os mangás de Machiya encontramos Orokamono Wangel Night, Chotto Matte yo Hanaya-san e Koi to wa Yobenai.

No tweet podemos ler:

Para a minha audiência que fala inglês

Eu recentemente confirmei com a minha editora que todas as traduções em inglês do meu trabalho na Internet NÃO são oficiais mais sim uploads ilegalmente traduzidos.

Por favor não paguem para os ler.

Eu gasto muito tempo e esforço para criar cada trabalho. Não estou numa posição financeira para oferecer gratuitamente o meu trabalho, e o dinheiro que é gasto em cópias ilegais não me é benéfico. É um problema sério para mim como artista.

Com está agora, apesar de ter esperança de ver o meu trabalho traduzido oficialmente no futuro, a editora não tem planos para lançar uma versão em inglês e não pode comentar sobre isso.

Esta mensagem foi traduzida em meu interesse. Eu não falo inglês, e não posso responder se me enviarem uma mensagem.

Ela não é a primeira mangaká a pedir aos fãs para não piratear as suas obras, em 2018 a , a autora de , revelou que as Scanslators (grupos que traduzem e partilham ilegalmente mangá) estão a roubar-lhe o rendimento e acrescentou que se não conseguir ganhar dinheiro com o seu mangá vai ter de desistir. Recentemente noticiámos que ela está a lidar com um grave problema de saúde.