Review de GANTZ por Hyake

Aqui fica a review de GANTZ que o Hyake colocou no nosso fórum. Se tal como ele gostavam de exibir a vossa opinião aos milhares de visitantes do OtakuPT não hesitem em participar no fórum.

Episódios : 26 (Duas Temporadas dividas com 13 episódios cada)

Género : Ação, Terror, Drama, Ficção Científica, Sobrenatural.

GANTZ é originalmente um manga criado por Hiroya Oku, lançado desde 2000 pela Shueisha no Japão e conta com 32 volumes (350 capítulos), em Abril de 2004 recebeu uma adaptação para anime com 13 episódios sendo finalizada a primeira parte dele em Junho e que logo em seguida teriam uma continuação em Agosto do mesmo ano e encerrando em Novembro o Anime. O manga segue até hoje na revista Young Jump.

Kurono Kei é um adolescente de 16 anos estranhamente ranzinza, pervertido e individualista que foi atropelado pelo metro e morto junto de seu amigo Masaro Katou enquanto ajudavam um mendigo que havia caído nos trilhos, em consequência de sua morte ele e Katou vão parar em um estranho quarto no centro de Tókio que reúne outras pessoas que também faleceram por motivos pessoais sendo todos forçados a participarem de um estranho jogo de sobrevivência proposto por uma esfera negra nomeada de GANTZ onde os participantes devem aniquilar alíens em troca do direito de continuar vivendo. Além disso o jogo possui regras que se não cumpridas podem resultar na morte do membro, ao se juntar 100 pontos, GANTZ oferece três escolhas aos participantes que são :

Se libertar (literalmente) do jogo insano de GANTZ, habilitar uma arma poderosa ou ressuscitar alguém morto dentro do jogo (no entanto é suposto que somente a primeira opção está válida no anime já que nada é dito a respeito das demais, apenas no manga as outras duas opções estão realmente válidas).

O cheiro de morte presente no ar, a sobrevivência do mais forte, dilacerações quase que espontâneas, violência altamente explicita, a competitividade insana, as mais variadas maneiras de se matar e ser morto, as histórias mais doentias e psicóticas sobre o passado e a vida atual de cada participante e sangue…sangue mas muito sangue são as características chaves do manga/anime GANTZ, uma das poucas obras primas de seu género que sabe representar um real show de brutalidade sem censura alguma.

O desenrolar do anime traz surpresas alucinantes à aqueles que o assistem pela primeira vez e mesmo os que já viram sempre se surpreendem ao relembrar cenas épicas e marcantes como as mortes mais fantásticas dos personagens um a um, mas ainda mais impressionante do que isso é o desenvolvimento e o amadurecimento da personalidade dos presentes no jogo principalmente no protagonista, a forma como eles são engrandecidos, o entendimento e a compreensão dos mesmos com a vida que cada um segue é simplesmente maravilhoso, o drama vivido individualmente por cada personagem é envolvente por que muitas vezes os leitores se identificam com suas histórias supostamente fictícias que ligam pensamentos e ideias por assemelhar a vida de si mesmos e a de muitas outras pessoas que sofrem todos os dias com a realidade trágica e a verdade nua e crua. Não seria exagero pensar que por de trás de cada história existe um ensinamento de vida.

Tanto o manga como o anime possui uma característica que os diferenciam dos demais, que é o cenário .Todo o fundo das duas animações é feito computorizado o que basicamente quebra a regra original do manga/anime ser completamente 2D, essa técnica meio que ativa a atenção dos espetadores para o próprio cenário também dividindo ela nos personagens que possuem bons detalhes e traços bem trabalhados.

Hoje, GANTZ recebeu uma adaptação para também Light Novel, 2 Filmes Live-Action e um Jogo para Playstation 2 exclusivo para o Japão.

Bem ai está a review com um tema não exatamente pós-apocalíptico mas ainda valendo por ser de um ótimo anime com fortes cenas do tipo Gore, pessoalmente recomendo que só pessoas com mais de 16 anos assistam mas se você tiver um fígado forte, pode tentar a sorte e acabar gostando do anime assim como eu e claro que caso se interessem em se aprofundarem no assunto podem adquirir o manga por um preço relativamente pequeno.

Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.