Japão reforça regras de venda de gasolina após ataque à Kyoto Animation

postos de gasolina e outros vendedores vão realizar verificações de identidade

Foto do edificio nº 1 da Kyoto Animation após o ataque
Foto do edifício nº 1 da Kyoto Animation após o ataque

Este sábado representantes do governo japonês revelaram que serão apertadas as regras de venda de gasolina no Japão em consequência do ataque criminoso com gasolina ao estúdio Kyoto Animation que resultou em 36 mortos e 33 feridos.

A Agência de Gestão de Incêndios e Desastres vai rever lei e obrigará os postos de gasolina e outros vendedores a realizar verificações de identidade e perguntar aos clientes o motivo da compra, possivelmente a partir de fevereiro de 2020.

Em julho, a agência solicitou a todos os vendedores de gasolina que verificassem as identificações dos compradores voluntariamente. Mas como os clientes diminuíram em alguns casos, as empresas exigiram que a agência a tornasse obrigatória.

A agência espera que com uma regra mais rígida os vendedores de gasolina fiquem incentivados também a denunciar rapidamente clientes suspeitos à polícia.

O homem que atacou o estúdio Kyoto Animation comprou 40 litros de gasolina que armazenou em dois recipientes que levou num carro para o estúdio. Ao pegar fogo à gasolina ocorreu uma explosão e o próprio atacante ficou ferido estando neste momento ainda hospitalizado.

27 dos 33 feridos já voltaram ao trabalho e o presidente do estúdio afirmou que a prioridade em termos de animação vai para o filme de com o objetivo de o lançar depois de abril de 2020.

Subscreve
Notify of
guest
1 Comentário
Mais Antigo
Mais Recente Mais Votado
Inline Feedbacks
View all comments
Danilo Arcoverde
Danilo Arcoverde
29 , Outubro , 2019 4:14

“perguntar o motivo da compra”

Hmmm não sei, pra que eu usaria essa gasolina, hmmm