Studio Ghibli quase foi processado por Harvey Weinstein

A Princesa Mononoke na Netflix

O ex-chefe da divisão internacional do estúdio , Steve Alpert, está lançando uma biografia intitulada Sharing a House with the Never-Ending Man: 15 Years at Studio Ghibli e em uma das passagens do livro Steve revelou que o famoso estúdio quase foi processado pelo produtor Harvey Weinstein por causa do lançamento nos EUA de Princesa Mononoke.

Segundo a biografia, Harvey Weinstein (chefão da Miramax na época) havia exigido que Princesa Mononoke fosse editado para que sua duração fosse alterada de 135 minutos para 90. Como o diretor se recusou a realizar a alteração no longa Harvey entrou em um estado de fúria e afirmou para o diretor que:

“Se você não cortar a p**** do filme você nunca vai trabalhar nessa p****de indústria de novo! Você tá me entendendo, c******? Nunca”.

Como o e mantiveram sua recusa em alterar a duração do longa, Princesa Mononoke foi lançado em sua versão completa e sem cortes. Porém isso gerou a lenda de que Hayao Miyazaki havia mandado para o produtor americano uma espada samurai com uma mensagem escrito “Sem Cortes“.

 sempre teve muito cuidado em não deixar as distribuidores alterarem os seus filmes como podem ler neste nosso artigo “9 Animes que foram erros terríveis“, onde em 1985 tiveram uma má experiência com Nausicaä do Vale do Vento.