TOP 3 Jogos de 2020 – Ricardo M

O ano de 2020 foi um verdadeiro campo de batalha para as produtoras e editoras de videojogos. Apesar de todos os contratempos, ficou marcado para os jogadores como o ano do lançamento de vários títulos incríveis ao qual pudemos vivenciar aventuras inspiradoras e inesquecíveis.

Em baixo podem ver o meu TOP 3 de jogos de 2020, voto de um Feliz 2021 a todos.

3Persona 5 Royal

Reviver novamente o capítulo do grupo Phantom Thieves numa versão digna do nome Royal, conquistou mais uma vez o seu lugar na minha lista de melhores JRPGs. A Atlus, de uma forma notória, representa os temas mais sensíveis da sociedade que tomam lugar no interior da cidade de Tóquio, usando mais uma vez um fantástico universo emotivo e credível. Tendo em conta as melhorias implementadas, a entrada de uma nova protagonista e de novos Personas, garanto-lhes que Persona 5 Royal irá ocupar-vos um lugar no coração.

Positivos – Abordagem de temas sensíveis da atualidade, estilo artístico muito próprio e uma inigualável banda sonora.

Negativos – O ponto chave da história da nova protagonista pode demorar a ser alcançado.

Análise: Persona 5 Royal

2Assassin’s Creed Valhalla

Assassin’s Creed: Valhalla foi sem dúvida uma das maiores surpresas do fim de 2020 trazida pela equipa da Ubisoft Montreal. Um mundo incrível e imersivo que podemos contemplar aos olhos do guerreiro viking Eivor junto a outros companheiros, que está mais concentrado e cheio de momentos impetuosos. Ao contrário do seu antecessor, os elementos implementados no jogo são essenciais para o nosso progresso e conquistas, deixando de parte alguns dos pontos negativos de Assassin ‘s Creed Odyssey. Contudo os longos loadings sentidos na geração anterior e os famosos bugs continuam.

Positivos – Abordagem histórica das conquistas Vikings, as missões secundárias e o frenético combate.

Negativos – Centenas de bugs e demora no render das texturas.

1The Last of Us Part 2


Sendo uma das sequelas que mais aguardava para a PlayStation 4, foi difícil para mim não me deixar apaixonar por esta obra prima onde tive oportunidade de encontrar novamente o elenco que me fora apreciado no passado (em 2013, no primeiro capítulo). Em plena pandemia, ainda assim a Naughty Dog conseguiu superar as expectativas ao trazer de volta a extraordinária representação do mundo pós-apocalíptico de The Last of Us, desta vez, incentivado por uma natureza mais densa e de certa forma, mais desumana. Ainda que tenha desejado ficar a conhecer melhor a história das jovens do culto Serafitas, a atenção que a produtora teve em The Last of Us Part II com a construção de elementos, desde a ambiência ao detalhe visual, fez desta viagem um feito surpreendente e bastante emotivo que, na minha opinião, vai muito mais para além de um jogo apenas para entretenimento.

Positivos – Construção da personalidade do elenco, o mundo imersivo, a ambiência, a banda sonora e o foco emocional.

Negativos – A falta de um DLC sobre as Serafitas

The Last of Us Part II – Análise

Menção Honrosa

The Legend of Heroes: Trails of Cold Steel IV

Desenvolvido pela japonesa Nihon Falcom, a saga Trails of Cold Steel é um RPG constituído por turnos com uma aparência clássica que teve a capacidade de originar quatro títulos de grande dimensão sem perder a sua originalidade diante a narrativa. Por essa razão, o quarto jogo de Trails of Cold encerra os dramas que atormentam o Império de Erebonia de forma sublime, nutrindo de diferentes aspetos positivos que têm espaço para manter-se lado a lado dos gigantes da indústria atual.

Análise: The Legend of Heroes: Trails of Cold Steel IV

Interessado em videojogos com o gosto acentuado para JRPG, está presente na equipa do OtakuPT desde 2013 com o propósito de acompanhar e informar sobre o que de melhor se faz na área do entretenimento gamer.