B gata H kei – Hoje sim, hoje sim, hoje não

B gata H kei—Hoje sim, hoje sim, hoje não.

Kiss me, baby Sim, sou eu: Jonh Vini, e venho aqui para falar de um anime, quase, atemporal: B Gata H Kei; primeiramente sei que tem um resumo bem culto, basicamente só soltando a sinopse da série, mas nessa review darei mais detalhes para a obra.

 

Sinopse

 Nesse anime acompanhamos a vida de Yamada sem nome (ela omite), 15 anos, um metro e 64 cm de altura, 87 cm quando estar sentada, 43 quilos, geminiana de 21 de maio, se formos seguir pela primeira publicação do manga: 1989, que diferente das jovens da sua idade que desejam: pegar todos os pokemons, salvar o mundo das forças do mal, formar um clube de música, ir para antártica e até mesmo querer vingar do seu pai, morto pela sua mãe que, por si só, foi tomada por fibras alienígenas carnívoras; ela decide que terá relações sexuais com mais de 100 homens, só que sua maior inimiga, além das garotas da série,  explicarei melhor depois, é ela mesma, pois ela é virgem, algo para ela inconcebível; então ela decide pegar o primeiro homem virgem, e colegial como ela, que aparecer na frente dela, aí entra o Kosuda e após isso é história.

Em busca ao tesouro.

Mas antes de ir para os detalhes técnicos irei falar uma curiosidade sobre o nome do anime, B gata H kei(B型H系) significa, grossamente,  uma série adulta de uma garota  de sutiã B-cup, Gata (型) significa molde ou tipo e como o sistema japonês para definir um sutiã, sendo o A da menor circunferência, com H o maior; já Kei (系) seria mais ou menos como série, e como H é pronunciado em japonês: ecchi, que vocês já relacionaria a To Love Ru ou DxD, por tanto H kei se traduziria como série adulta, ou pervertida.

O mangá ao lado é o primeiro volume encadernado.

 

A Staff

B Gata H Kei, ou Yamada first Time no estados unidos, é um manga 4-Koma publicado desde abril de 2004 até fevereiro de 2011, quase um ano depois do anime, na Young Jump, sim é da Shueisha, o autor da obra é Youko Sanri sendo B Gata H kei sua única obra que conseguiu um anime em abril de 2010  foi produzido pela Hal Film Maker, que sua obra mais difundida, além de B Gata H Kei, é Bokusatsu Tenshi Dokuru-chan; B gata H Kei foi o último sucesso do estúdio, e o penúltimo anime do estúdio antes de falir.

Uma obra de qualidade

 O diretor dessa delicia de anime é nada mais, nada menos que Yamamoto Yuusuke, o mesmo diretor de Nhk ni Youkoso!, que já tem um post aqui na página, e mais recentemente trabalhou em Yama no Susume, as três temporadas para ser preciso.

Já o compositor de serie(Nishizono Satoru), já trabalhou com ele em Nhk, mas que recentemente fez Gaist Crusher da Pierrot, que é basicamente uma adaptação de um jogo de 3DS da Capcom.

De novo ele²

Enquanto o compositor de serie era experiente, a design de personagens não, Yahiro Yuuko já fez Kore wa zombie desu ka?, Diabolik Lovers, Haikyuu!!, e recentemente Toji no Miko—Katana Maidens, fora que está trabalhando em Kagura-sama wa Kokurasetai da A-1; mas B gata H Kei foi seu primeiro trabalho, e não foi tão ruim, ficou bem próximo ao manga, obvio que não ficou igual, pois imagine desenhar o traço bem detalhado do manga 24 vezes por hora (suposição), não é nada fácil; mas fica bem próximo ao manga já uma grande vitória.

Traço limpo.

Já na parte de música ficou na conta de dois Fuji: Fujima Hiroshi, que trabalhou em Grisaia no Kajitsu, e Fujita Jumpei, que também trabalhou em Grisaia mas recentemente em Bang Dream!; eles fizeram até um trabalho ok, não é nada de extraordinário, mas casa bem com a proposta do anime, como eles já trabalharam junto antes com em White Album de 2009 provavelmente eles possuem um certo entrosamento nos seus trabalhos posteriores.

A dupla Fuji

 

Os Personagens

Se vamos começar dos personagens devemos dá um enforque especial para Yamada, que como disse antes, é a estrela da obra, tanto que o título em inglês tem o nome dela, mas mesmo sendo o diferencial dela ser à vontade de ter tantos amigos de sexo, quando ela consegue relacionar romanticamente com seu primeiro homem, ela reage como uma Tsundere clássica desse gênero de obra, por isso estranhei no início dessa obra não tivesse uma Tsundere nos personagens; além das ações da Yamada apaixonada serem genericas, sua dubladora é genérica, pois ela é simplesmente Tamura Yukari: Takamachi Nanoha de Mahou Shoujo Lyrical Nanoha, Tenten de Naruto, Jonh Titor de Steins;Gate, Tooyama Saku de Tantei Opera Milky Holmes, a famosa HIMeko Kotori de Yowamushi Pedal e mais recentemente Ohara Rinne de Island, e incrivelmente bem em todas elas, a voz dela é um mix de maturidade e doçura em monotom, e com Yamada não foi diferente, mesmo com um tom próximo a ficar enjoativo não ficou, pelo contrário ficou viciante, a cada episódio queria ouvir mais dela, de fato é uma habilidade natural dessa cantora, sim cantora.

Ela tem muita história na indústria

Mas indo para o par romântico dela carrega o estereótipo de protagonista genérico de comedias românticas em geral: Takahashi Kosuda é um simples colegial jovem que nunca descobriu o amor, pelo menos relacionamento romântico já que ele é apaixonado pela arte da fotografia, mas quando conheceu Yamada seu sentimento mudou; poderia dizer que mesmo com suas ações genéricas há uma evolução em Kosuda, mesmo com o medo de errar dele seja grande, ele enfrentou esse medo pela garota dos seus sonhos, bem com Shiro de FATE/stay night, afinal Atsushi Abe dublou Kishiname Hakuno em FATE/extra, mas esse fato não é relacionado a escolha do personagem já que ele também dublou Kamijou Touma em To Aru no Majutsu no Index, fora eles dublou Moritaka Mashiro de Bakumam. , Touichirou Izumida de Yowamushi Pedal e nessa temporada, além de Touma do Index, ele dubla Ushio Hinomaru do anime homônimo Hinomaru Zumou, e até agora nenhum erro, nem mesmo com o Kosuda e seu Ero-gami, daqui a pouco explicou isso, sua interpretação é perfeita para seus personagens. 

Multiuso.

Já o freio de mão da Yamada é sua melhor amiga, Takeshita Miharu aparece com conselheira amorosa de Yamada, sempre sanando a duvidas dela e ensinando como ela prosseguir em suas incursões sobre Kosuda, não é por menos já que ela possui um namorado universitário e a Yamada aproveita isso; a Dubladora da Takeshita é Horie Yui que simplesmente dublou Narusegawa Naru de Love Hina, Hanekawa Tsubasa de Monogatari series, Charle de Fairy Tail e Wiz de Konosuba, e apesar de tom de voz diferente, todas tem um que de feminino com Takeshita não foi diferente, afinal ela seria a Yamada “certinha”  da obra.

Mesmo sendo fofa ela tem muita experiência.

Mas falando do namorado dela, como disse antes é um simples universitário que gosta de literatura Russa como Tolstói e Dostoiévski, Daisuke Matsuo sempre dá suporte de sua amada; o fato não é o personagem em si e sim seu dublador: Koizume Yukata, que dublou Tatsuhiro Sato de Nhk ni Youkoso, ele (Koizume) foi também foi usado para dublar outros personagens menores dentro da Série, como um dos colegas do Kosuda, para mim ficou estranho já que gosto de Nhk, tanto que já fiz uma review aqui na página, e ouvi Satou dublando todos esses personagens menores foi estranho, mas o dublador trabalhou bem.

O cara está sumido.

Kanejou Kyouka é a Ojou-Sama da trama, no primeiro momento só era a personagem que veio do exterior, com um inglês incrível, mas ela tinha um interesse: o título de ser a Garota mais bonita da sala, titulo pela qual Yamada possui, então Kyouka faz de tudo para desmoralizar Yamada sem sucesso, mas mesmo com sua fachada certinha Kyouka tem um defeito que é ser Brocon, tanto que ela possui um quarto próprio com imagens do seu irmão, que só possui um ponto importante da obra que falarei daqui a pouco; mas falando da dubladora dela é a fabulosa Kobayashi Yuu, se você não sabe ela fez a Sacchan de Gintama, Sasha “Menina da batata” Blouse de Attack on titan e Urushibara Ruka de Steins;Gate e não posso esquece da própria Ero-Gami da Kyouka, mas ainda não explicarei sobre isso.

Uma voz, bem, marcante.

Como já falei da irmã irei fala sobre o irmão dela: Kanejo Keiichi se encaixa no estereótipo de Bishonen, exato esse estereótipo num anime ecchi, mas ele funcionou bem, afinal um homem sedutor com o poder de ter todas as suas mulheres aos seus pês, todas menos a Yamada, forçando nosso protagonista a fazer algo, mesmo com esse “spoiler” só assim para explicar o peso desse personagem, tirando isso não ele não é um personagem diferencial para obra; o dublador dele é Tomoaki Maemo que dublou Juichi Fukutomi de Yowamushi Pedal, Tachibana Junichi de Amagami SS, Charles Phips de Kuroshitsuji e mais recentemente o Glóbulo  branco (neutrófilo) U-1146 de Hataraku Saibou, com um mixer de maturidade com uma aura de bishonen, o autor consegue bem ser genérico com personalidade.

Uma boa escolha para qualquer anime harem reverso.

Falamos da amiga da protagonista agora vamos falar da amiga do protagonista, com um agravante de carregar todas as habilidades de uma esposa japonesa deveria ser: um bom corpo, tem habilidades na cozinha, retacada e ainda por cima usa óculos, essa é Miyano Mayu cujo o coração é do Kosuda, mesmo que ele não saiba e eu não culpo ele já que ele vivi com ela desde do maternal então é meio obvio que ela não provoque o desejo sexual dele, ela e a própria ero-gami dela praticamente não possui malicia algo que torna ela fofa; uma personagem tão fofa merecia uma dubladora fofa e Hanazawa Hana é mais que suficiente para tal papel, ela simplesmente dublou Kawamoto Hinata de 3-Gatsu no lion, Yuuki Mikan de To love ru, Segoku Nadeko de Monogatari series, Shina Mayushii de Steins;Gates e recentemente o glóbulo vermelho AE3803 de Hataraku Saibou, todas com sua fofura e delicadeza dela.

Fofura até no nome.

Já falei da protagonista, do protagonista, das amigas dos protagonistas, do bonitão, da oujou e até de um universitário mas faltou algo importante para um anime ecchi: o amigo pervertido, nesse caso amiga, Misato Mami é o alivio cômico dessa série cômica, tirando Yamada, ela é a personagem das piadas sujas do anime, todas as ações da Misato são cômicas, e tudo fica mais engraçado graças a dubladora: Iwasaki Megumi consegue passar um ar comico e feminino, pena que ela nunca mais pegou um papel de longa duração, visto que só trabalhou com aparições rápidas em outros animes.

Uma voz cômica é marcante² ao mesmo tempo.

Agora vamos matar vossa dúvida sobre os Ero-Gamis, que são nada mais, nada menos os deuses do sexo, ou o lado “pervertido” de uma pessoa, no caso dos outros personagens os seus erro-gamis são dublados pelos próprios dubladores, menos a Yamada, cuja dubladora é Shishido Rumi que entre seus trabalhos em animes fofos como Jewelpet, também cedeu sua voz para alguns outros trabalhos como Nhk ni Youkoso (Pururin) e Air Gear

♪Purin-Purin-Purin♪

 

Opening e Ending

 B gata H kei é uma serie que possui 12 episódios lançados em abril de 2010, e como uma serie do gênero Ecchi dessa década possui uma abertura bem clichê e chiclete, e ela é Oshiete A to Z(おしえて A to Z) por Tamura Yukari, exato a dubladora da protagonista cantou praticamente em todos os animes que ela trabalhou, tanto que seu trabalho mais recente, Island, ela que ficou responsável pela open; mas essa música também serviu como ending genérica de final de temporada no último episódio.  

 Mas falando na open por si só, como falei antes é chiclete e clichê, e a letra alimenta bem esse sentimento, afinal é como fosse uma página de diário de uma garota apaixonada com melodia no fundo.

https://youtu.be/h-seSvPZgMc

Já a ending também foi cantada pela Tamura Yukari se chama

Hadashi no Princess (裸足のプリンセス), que é igual a open, mas diferente dele, não é algo chiclete, mas com o mesmo clichê e a mesma ideia: uma página de diário com música no fundo, tão conceito casa bem com o anime.

 

Considerações pessoais.

Sinceramente demorei em torno de 4 a 5 anos para assistir B Gata H kei, sim procrastinei todo esse tempo e me arrependo nisso, pois nesse tempo que eu estava no ensino médio, seria mais legal se eu conseguisse compartilha-lo com os meus colegas, mas compartilharei com vocês.

B Gata H kei é uma serie para lá de engraçada, que mesmo com seus estereótipos que eram, na verdade são, comuns para seus gêneros, seus personagens são o pilar central da obra, não só por que sem eles o anime não funcionaria, mas é graças a eles, ou pela Yamada, que o anime é tão diferencial.

Não é todo dia que o protagonista se declara na sala.

Foram os mais engraçados 12 episódios de uma comedia romântica que eu já assistir, e olha que assistir muitas; a obra em si possui muitos momentos de Fanservice mas não é nada tão desproporcional com um To love Ru ou até mesmo um Maken-ki da vida, a maioria é baseada na “Lingua Suja” da nossa protagonista.

Eae!

Mesmo a obra sendo engraçada não quer dizer que ela é perfeita, pois mesmo pegando a versão Blu-ray, que foi lançada quase dois anos depois do anime, ainda encontrei inconsistência no character design; as song tracks do anime são bem genéricas, mas isso não chega a prejudicar o anime em si, afinal de contas é uma serie genérica precisa ter uma produção genérica.

Se eu fosse dá uma nota para B Gata H kei seria 07/10, não é uma nota ruim para obra, mas poderia ser melhor; mesmo com essa nota ainda indico esse anime, mas pela comedia do que pelo resto.

Você ver isso em algum anime de romance?

Bem é isso, Jonh Vini se despedindo pedindo para quem assistiu comentar sua experiência com o anime, pode ter assistido antes ou depois dessa review mas apenas comente, pois estou à espera de vossos feedbacks e até mais.

Uma super referência.
Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.