Grupo de pais russos quer banir manga de Death Note

Grupo de pais russos quer banir manga de Death Note

Uma organização de pais na Rússia escreveu uma carta aberta ao presidente Putin a pedir para que o manga seja banido naquele pais pois tem uma influência prejudicial junto das crianças. A carta pede também uma regulação de todos os mangas bem como das adaptações para série e filme de .

Tudo começou quando os média russos noticiaram a 20 de Fevereiro o suicídio de uma jovem de 15 anos que se atirou do 13º andar de um prédio. A polícia encontrou no quarto dela uma nota que dizia “Não consigo viver mais” e 4 volumes do manga . Na altura a polícia revelou que estava a investigar se existia alguma relação entre o suicídio e o manga.

Segundo a UNICEF a Rússia tem a terceira maior taxa de suicídios de jovens, 22 em cada 100000 jovens comete suicídio apenas sendo ultrapassados pela Bielorrússia e Cazaquistão

A Rússia já tem um certo historial em associar crimes a mangas e animes, no final do ano passado um adolescente Russo de 14 anos cometeu suicídio após ver uma personagem da série anime Naruto Shippuuden morrer, um artigo que publicamos gerou ainda mais polémica quando Olga Mahovskaya, uma especialista em psicologia afirma que “o anime por si só não causa suicídios” mas que contribui para a decisão dos jovens em terminar a sua vida pois “romantiza a morte“, podem ler o artigo aqui. Foram também alvo de protesto naquele pais Great Teacher Onizuka que foi investigado pelo governo e a Igreja protestante quis banir Ikki Tousen na Russia.

Esta não é a primeira vez que  é alvo deste tipo de especulações, em 2007 Beijing baniu todas as historias de horror baseadas no popular manga, no mesmo ano  foi ligado a uma crime violento na Bélgica envolvendo um esquartejamento, no entanto o caso ficou por resolver. Na América um jovem foi suspenso da escola por ter escrito num livro intitulado  o nome de alguns dos seus colegas de turma, mais tarde suspensões similares foram aplicadas noutras escolas.

Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.