Será já amanhã, dia 24 de setembro, que vai ser lançada a edição Director’s Cut de Death Stranding para a Playstation 5. Nas últimas semanas regressei a este mundo criado pelo génio de Hideo Kojima e em baixo encontram a minha opinião sobre esta versão definitiva de um jogo que em 2019 classifiquei de “Absolutamente Recomendado”.

O mundo, e todo o aspecto filosófico de Death Stranding é muito vasto e complexo, pelo que tal como fizemos em Ghost of Tsushima Director’s Cut, também esta análise deve ser encarada como um complemento à nossa review original. Devem por isso antes de avançar ler a nossa longa review aqui.

Death Stranding – Análise

Sinopse de Death Stranding

No futuro, um evento misterioso conhecido como Death Stranding abriu uma porta entre os vivos e os mortos, levando ao surgimento de criaturas grotescas que vagam pelo mundo arruinado por uma sociedade desolada.

Como Sam Bridges, a vossa missão é entregar esperança à humanidade conectando os últimos sobreviventes de uma América dizimada.

Parece uma sinopse simples, certo? Bem, a realidade não poderia estar mais distante, e sem me querer repetir na análise para PS4, a grande força de Death Stranding está no seu enredo, a história e o mundo criados por Hideo Kojima são cativantes, merecedores de ser explorados e o aspecto cinematográfico com que a ação acontece é único. Este é um daqueles jogos que como fãs de videojogos é obrigatório jogarem e é também daqueles jogos que quanto mais se dedicarem a ele mais gratificante este se torna.

Quanto a conceitos, filosofia de jogo (mistura de Bird Box com A Quiet Place) e mecânicas de gameplay para não tornar este artigo muito longo remeto-vos para a nossa análise da versão PS4.

Death Stranding DIRECTOR’S CUT poster

Transição para a Playstation 5

Em Death Stranding DIRECTOR’S CUT podem importar o vosso savegame da versão Playstation 4 e continuar a vossa aventura, no entanto, o processo embora fácil é ligeiramente diferente do de Ghost of Tsushima Director’s Cut.

Em Death Stranding na Playstation 4 devem aceder ao menu e em sistema proceder à exportação dos dados, notem, no entanto, que para terem acesso a essa opção devem estar no jogo num “Terminal de Encomendas”, se estiverem num outro local do mapa não é permitida a exportação de dados.

Depois basta na Playstation 5 no menu principal de Death Stranding DIRECTOR’S CUT selecionarem a opção “Carregar jogo (da Playstation 4 para a Playstation 5)” e estão prontos a aventurarem-se com Sam Bridges.

Menu Principal de Death Stranding DIRECTOR’S CUT
Menu Principal de Death Stranding DIRECTOR’S CUT

As melhorias em Death Stranding DIRECTOR’S CUT

Em Death Stranding DIRECTOR’S CUT vamos ter acesso a dois modos gráficos, temos a opção de dar prioridade ao “Desempenho” ou à “Qualidade”. Basicamente isto significa que em modo “Desempenho” o jogo vai correr a 60fps com ppscaling das texturas para 4K e em “Qualidade” o jogo corre a 4K nativamente, ambos os modos têm suporte para HDR.

Death Stranding DIRECTOR’S CUT oferece também um Modo Widescreen para uma experiência de jogo ultrapanorâmica, usando a proporção 16:9 (o padrão da consola) para apresentar o jogo com barras pretas de lado, mas com uma qualidade equivalente à da proporção 21:9.

Uma menção também para o áudio 3D da Playstation 5 para um gameplay mais imersivo e claro não poderiam faltar os tempos de loading significativamente mais rápidos quando comparados com a versão PS4 de Death Stranding.

DualSense + Death Stranding = Imersão Total

Se existe algo que verdadeiramente me impressionou neste Death Stranding DIRECTOR’S CUT foi o DualSense, o comando da Playstation 5 consegue elevar o gameplay a outro patamar, é mesmo um “game-changer”.

Num jogo que prima pelo feedback que dá ao jogador e a sensação de perigo eminente e tensão que consegue transmitir, o DualSense é o complemento ideal para enriquecer e de que maneira o gameplay. O feedback háptico do DualSense consegue transmitir a urgência da ação, o perigo e até as pequenas imperfeições do ambiente, é mesmo a “ferramenta” ideal para este tipo de jogo.

Os seus gatilhos adaptáveis foram também utilizados de forma muito inteligente, num jogo em que o jogador tem de literalmente “equilibrar” o que transporta às costas, os vários níveis de resistência dos gatilhos conseguem envolver ainda mais o jogador e proporcionar uma experiência única.

Gameplay de Death Stranding DIRECTOR’S CUT

Em Death Stranding DIRECTOR’S CUT temos a adição de novas missões que expandem a área de jogo, vemos a introdução de novas armas, novos tipos de inimigos e até de uma pista de corridas.

Vão encontrar também um “Campo de tiro” onde podem experimentar as vossas armas e novos veículos e estruturas como a “catapulta de encomendas”. Estas últimas adições são melhorias de “qualidade de vida” ao jogador, uma resposta aos jogadores que se queixam da demora em completar missões devido aos longos percursos.

Inicialmente o jogo começa a um ritmo lento, mas conforme vão progredindo vão tendo acesso a mecanismos para acelerar as deslocações e entregas, facilitando assim a progressão no jogo.

Death Stranding DIRECTOR’S CUT apresenta também melhorias no seu Social Strand System, basicamente uma maneira de os jogadores interagirem entre si online de forma assíncrona e de se ajudarem mutuamente (ex. deixar objetos e construções para os outros jogadores utilizarem) com um sistema de recompensa que vai buscar muita inspiração às redes sociais. Este é um sistema que resulta apenas com muitos jogadores online e dado que no período de review o número de jogadores em simultâneo era muito reduzido em justiça não posso ainda tecer uma avaliação formal.

Pontes de ligação Death Stranding DIRECTOR’S CUT


Veredito Final – Death Stranding DIRECTOR’S CUT

Se nunca jogaram Death Stranding mantenho a minha opinião que este é um jogo “Absolutamente Recomendado”, é algo que devem experimentar, diferente de tudo o que já jogaram e que tem o seu próprio lugar na história dos videojogos. É sem dúvida nenhuma um jogo de culto de Hideo Kojima e esta DIRECTOR’S CUT a apoteose da visão do diretor para este jogo.

Se já jogaram Death Stranding na PS4 e tal como eu chegaram ao seu fim e exploraram em pleno o seu ambiente, Death Stranding DIRECTOR’S CUT vai proporcionar a experiência Playstation 5 com gráficos 4K, loadings super rápidos e a integração do soberbo Dualsense, que neste jogo faz toda a diferença.

Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.