Kumo desu ga, Nani ga?: Episódio 24 – Pensava que demoraria mais

Kumo desu ga, Nani ga?: Episódio 24 - Pensava que demoraria mais

Artigo por Jonh Vini. Podem enviar os vossos artigos aqui.

Sinceramente eu achava que esse último episódio de Kumo desu ga? sair-se tão rápido, pois a qualidade apresentada nos últimos episódios era diferente o que nos era mostrado nos primeiros episódios, num primeiro momento atribuir isso ao fato da pandemia, já que a Millepensee não é um grande estúdio, então ele seria bastante afetado por causa disso, mas nos últimos dias, com reportagens onde um animador da obra falou sobre o inferno da produção, rapidamente me lembro de Shirobako, para aqueles que não assistiram(assistam que é uma obra muito boa) é um anime que nos mostra os males da indústria de animes, a história mostra como um anime é produzido e os vícios que ocorrem numa produção como romper um planejamento, isso quando não ocorre um planejamento, geralmente ocorre num estúdio desorganizado que trabalha com a barriga e esse estúdio no anime é chamado Taitanic, então Kumo desu ga? está num Taitanic da vida.

A Ufotable até chora após ao ver esse episódio.
A Ufotable até chora após ao ver esse episódio.

Já o episódio em si me passou uma sensação estranha e gerou-me um questionamento: Se tudo fosse feito em 3D? Calma eu assistir Berserk(2016), eu sei o qual horroroso ele é, mas aqui em Kumo desu ga? o CG é o melhor aspecto apresentado da obra e como todos os designs humanos são extremamente complexos, algo que mata qualquer animação elaborada, Velvet-Velvet o que diga, então seria melhor e correspondentemente mais barata, em relação a vidas humanas já que um animador de CG é mais caro que um animador tradicional, entretanto estamos falando do Itagaki Shin, talvez por isso que o comitê de produção não queria arriscar mais colocando tanto dinheiro na mão dele.

A vampirinha está bonitinha.
A vampirinha está bonitinha.

Já falando do roteiro, ok finalmente explicaram a ponte entre a Madoka, que como evoluiu irei chamar de Tiamat(aqueles que assistiram Fate/Go-Babylonia saberão), com o resto da turma, mas o jeito que isso foi contado me deixou chateado, talvez por deixar um cliffhanger para uma segunda temporada, algo que também ocorreu em Wonder Egg, mas aqui foi bem pior pela animação apresentada nela, ou talvez porque foi um episódio que teve uma enxurrada de spoilers, algo que meio que corta algum desenvolvimento que surgiria numa segunda tempora, por isso que usarei os conteúdos que sei para contar para vocês o que rolou, lembrando que não sei de tudo, pois eu não li nem a Light Novel e Mangá então tudo que sei é por leitores assíduos do mangá.

Sim, a humanidade “provavelmente” ferrou esse mundo também.
Sim, a humanidade “provavelmente” ferrou esse mundo também.

Pulando a parte dos humanos, pois possivelmente o Novo herói sabe que os elfos são os verdadeiros vilões da história, senão ele, no mínimo, desconfia deles, vemos que a Tiamat viu que o bicho estava pegando na cidade da Aucreido, depois que a vampirinha perder os pais, dar Guts no seu Lancer e ser salva pela Tiamat, tivemos a bombástica revelação, além do rei dos elfos terminator, que esse mundo era bastante tecnológico, só que ocorreu algo, que já vos digo que deu ruim neste mundo, então aqueles que são os atuais GMs, criaram um sistema que usa magia para que o mundo se mantenha, só que tem pessoas(leia-se o Rei dos Elfos) que burlam o sistema para seu bel-prazer e isso arrisca o mundo atual, então só resta a trupe da pequena Demônio, ou a garota mágica Ariel-chan, para salvar do “mal” e assim a história acaba do mesmo jeito que começou, ou seja: vai acontecer algo, não sabemos o que, mas vai ter algo.

Vocês já sentem a magia?
Vocês já sentem a magia?

Review da Série como um todo

Você já imaginou escrever uma história? Uma história que para você é fantástica, que mundo precisa saber sobre ela, então você decide publicar ela em algum lugar e acha um site(sítio) que é o conglomerado de obras famosas como Mahouka, Re:Zero, Konosuba, Log Horizon, Tate No Yuusha e Overlord, então Baba Okina já esperava o sucesso de Kumo desu ga? lá em 2015, muito por causa de sua ideia “original” em antropomorfizar um inimigo de uma dungeon, claro que o próprio autor afirmou que sua maior inspiração foi Slime, mas é legal pensar que a Madoka é uma personagem tão singular a tal ponto de ter inúmeras obras baseadas no seu universo como a publicação em uma editora oficial, um mangá e um anime, que atrasou sua produção produção a graças a um probleminha chamado COVID-19, pois o anime iria ser lançado no ano passado já visto que seu anúncio foi em Julho de 2018, mas a Millepensee não embarcou sozinha nesse projeto já que inúmeros estúdios especializados em CGI foram utilizados na adaptação, um trupe que o estúdio de 2D está acostumado a fazer.

É por falar da Millepensee, praticamente remete a Itagaki Shin, ele é o único diretor do estúdio, pois todos as obras que o estúdio animou possui dedo dele, principalmente na direção, que vai desde a quarta temporada de Teekyuu, muito porque ele era o diretor da obra desde a primeira temporada, até esta obra, passando justamente do ponto mais alto da carreira dele e o mais baixo da obra que foi justamente o Berserk(2016), entretanto o mais engraçado é que seu primeiro trabalho de direção é Black Cat, fora o anime de Devil May Cry e Ben-tou, mas já dentro da Millepensee ele dirigiu Cop Craft e Ulysses: Jeanne d’Arc, mas sinceramente só assisti três animes que saiu da mão dele e entre eles o Black Cat é o melhor, talvez por ser quase que exclusivamente em 2D, ou que sá pelo design que remete a To Love-Ru, que no fim existe relação por conta compartilhar personagens que é confirmada pelos criadores, ou que sá o fato que assisti essa obra dublada, na época do boom das dublagens de animes no Brasil; mas é certeza que é bastante superior a Kumo desu ga? e está há anos-luz de distância do Berserk(2016), o que é engraçado pois a diferença desse dois últimos é o ótimo CG do primeiro, mas esse não tem a mão do diretor; todas as críticas a ele já estão diluídas através das reviews semanais, então direi apenas que ele é extremamente limitado, ele tenta criar um fato novo e acaba falhando vergonhosamente, muito por causa do CG de Kumo desu ga? possui uma direção melhor que a dele, mas ainda fraca, em relação ao 2D e piora pelo fato que o diretor de CG(Yamaguchi Kazuo) está no seu primeiro trabalho como diretor de animação e entrega algo melhor que o Itagaki Shin.

Um maluco na direção.
Um maluco na direção.

Já a parte da estruturação da série é dividida pelo próprio autor da obra, o que me gera uma dúvida pelo fato o quanto ele mudou da obra original por vontade própria e o quanto Momose Yuuichirou(Hajimete no Gal, Ore ga Suki nano wa Imouto Dake ja nai, Africa no Salaryman e Infinite Dendrogram) trabalhou, pois esse estruturador não mostra muito uma personalidade em seu texto, pelo menos foi assim nas duas obras que ele trabalhou e eu assisti(Hajimete no Gal e Africa no Salaryman) então como eu não consumir a obra original, o que sã o mangá, não sei o quanto o autor manteve sua ideia original na adaptação do texto para a animação e o quanto o Momose conseguiu desenvolver algo na narrativa geral, mas posso dizer que a dinâmica da história é bastante interessante pois brinca bem com o clichê clássico do subgênero Isekai mesclando com uma narrativa de um protagonista incomum como é a Madoka e a história se manter na dualidade até que ocorra um evento para interligar as duas narrativas para lembramos que ambos trechos estão na mesma história, não foi perfeito, por isso minha dúvida se foi o próprio autor que errou ou foi um erro do Momose.

Um roteirista pouco experiente.
Um roteirista pouco experiente.

Entretanto um ponto que é difícil puxar uma crítica é os designs da obra, tanto o design de personagem quanto no design de criaturas, que mesmo em 3D, estavam bons, mas não é à toa já que os designers que trabalharam na obra possui muita experiência, começando com a Tanaka Kii que trabalhou em Hitoribocchi no MaruMaru Seikatsu, Hundred, Donten ni Warau Gaiden, Absolute Duo e Hinomaru Zumou, ou seja ela sabe muito bem adaptar um traço tão suave como é da Kiryuu Tsukasa, mas ela(Tsukasa) também fez os designs de monstros, apesar que não foi tanto utilizado por Hirata Ryou(design de propriedade de Kakushigoto, Honzoki no Gekokujou, Kemono Jihen, World Trigger, Bungou Stray Dogs e Hitsugi no Chaika), Kimura Hiromi(Character Design de Cop Craft) e Suzuki Masahiko(Designs das duas últimas temporadas de Overlord, Juuni Taisen, Tower of God e Full Dive RPG) que transformaram os monstros em apenas modelos aleatórios em CG, mesmo eles nunca terem trabalhado, eu acho, com computação gráfica, mas os monstros remetem bastante a ideia original da Tsukasa, mas simplificado para economizar polígonos na animação em CG já que basicamente é assim que vemos os monstros da obra.

Bons artistas.
Bons artistas.

Chegando na direção de animação e o chefe de direção de animação é um novato, claro que Yoshida Tomohiro possui trabalhos anteriores em animes bons sendo in-between de Kizumonogatari e Magia Record(pelo menos a animação é boa), mas quando chega ao seu cargo atual ele não possui tantos trabalhos, mas em outros animes o negócio fica estranho já que ele esteve na temporada Shin Shou de Wake up!Girls e Cop Craft, então ele é praticamente uma cria de Itagaki Shin pois a animação estava estranha quando era em 2D, 3D tinha uma “licença poética” de ser ruim e surpreende por ser mediana para boa, mas a animação é estranha justamente pela escolha do Itagaki Shin, já que se vermos corretamente, ou seja geralmente naquelas câmaras de voo livre, a animação é até bem feita, claro que não é constante durante os episódios, mas quando era necessário um momento Sakuga, os animadores entregaram um bom trabalho, pena que é atrapalhado pelo diretor geral.

Tem currículo, mas faltou alguma experiência.
Tem currículo, mas faltou alguma experiência.

Chegando ao som, vamos dar nome aos bois já que Katayama Shuuji(Overlord, Youjo Senki, Super Lovers e Runway in Waratte)entregou um trabalho mediano, algo esperado numa obra como é Kumo desu ga?, mas a parte dos efeitos sonoros, já começa pelo fato que Itagaki Shin está nesse meio mostra como os efeitos sonoros eram bastante dissonantes, mas aí chegamos a Imaizumi Yuuichi(Rikekoi, Jashin-chan Dropkick, Final Fantasy XV:Brotherhood, Honda-san e Jouran)e sinceramente como não assisti tantas obras que ele trabalhou, no máximo Rikekoi, dou o crédito para não criticá-lo já não sei o quanto ele “trabalhou” para que os efeitos sonoros sejam tão genéricos e altos.

Eles foram ok.
Eles foram ok.

 

Abertura e encerramento.

Kumo desu ga? é um caso bizarro para mim, já que Keep weaving your spider way da Azuna Riko não é a minha abertura favorita na obra, ela possui muita informação, principalmente na parte da animação, a letra se entrelaça com a narrativa da abertura, mas a voz da Azuna Riko é muito suave em relação ao ritmo animado da música que meio que quebra a animação, pois parece que ela está atuando, ironicamente o videoclipe original da música ela atua de acordo com a ela, durante a chuva de informações que temos na abertura da obra.

E ironicamente a empolgação de Konomi Suzuki é o contraponto da animação presente em Bursty Greedy Spider, a música é marcante por si só, tanto que tenho no meu celular, mas a animação parece não bater com a melodia e letra da música, tirando o fato que eu seja um grande fã da cantora, a abertura consegue cativar pela empolgação da Konomi Suzuki com a luta da Madoka contra em Ariel num 3D bem feito, algo raro na série.

Enfim chegamos a grande estreia da nossa Idol arachnida,  Madoka e as outras estreiaram em Ganbare! Kumoko-san’s Theme (がんばれ!蜘蛛子さんのテーマ/Força! Tema da aranhinha-san) e sinceramente depois de uma reportagem falando que Aoi Yuuki passou mal a interpretar a Madoka e como tanto o primeiro encerramento quanto o segundo encerramento Genjitsu Totsugeki Hierarchy (現実凸撃ヒエラルキー, Contragolpe a Hieraquia da Realidade numa tradução extremamente livre) são músicas efêmeras que acaba forçando a voz do intérprete, afinal de contas estamos falando do babymetal, claro puxando mais para o metal do que o moe, acabou achando que elas foram as principais culpadas pelo mau estar a nossa Sakura Saber original, mas só de ouvir e ver os encerramentos que sabemos o desejo do diretor da obra para exemplificar a raiva da protagonista por se tornar uma aranha num mundo de Isekai.

Genjitsu Totsugeki Hierarchy

Dubladores e dublados

Chegamos ao ponto que onde vende a obra: seus dubladores, antes de tudo vamos aos disclains como eu só irei falar da dublagem japonesa já que a crunch anunciou a dublagem em 7 línguas, inclusive em portugues-brasileiro, então irei focar apenas na versão internacional pois afinal de contas temos nomes como Aoi Yuuki, Saori Hayami, Uesaka Sumire, Kitamura Eri, Namikawa Daisuke, Inoue Kikuno e Horie Shun no elenco deixa um peso enorme para o anime como um todo já que muito deles, principalmente Aoi Yuuki, vendem a obra para aqueles que estão receosos em acompanhá-la.

Só voz boa.
Só voz boa.

Sem mais delongas vamos começar com a estrela do show, afinal de contas a Aoi Yuuki conseguiu vender o anime para mim, sim a interpretação dela da Madoka foi fabulosa, sinceramente dentre seus outros trabalhos(Kaname Madoka de Madoka Magica, Tanya Degurechaff de Youjo Senki, Diane de Nanatsu no Taizai, Tatsumaki de One Punch-man, Tsuyu de Boku no Hero, Tamaki de Fire Force, Real Tiamat de Fate/Go-Babylonia, Azusa Aizawa de I`ve Been Killing Slimes for 300 Years and Maxed Out My Level, Soshizaki Midori de Farewell, My Dear Cramer, Nanami Mani de Kanojo,Okarishimasu e  Hanabatake Yoshiko de Aho Girl) dar para dizer que esse é um papel de destaque na sua carreira, pois dublar quarto personagens no mesmo episódio é algo bastante difícil para qualquer um, mas interpretar quatro personagens bastante distintos e por personalidades distintas como são a Madoka, Diane, Tanya e Yoshiko, sim peguei as personagens famosas da Yuuki, é extremamente complicação, fora ainda cantam com entonação individual, como é mostrado nos dois encerramentos, não há muito para falar sobre essa dubladora fantástica como é a Aoi Yuuki.

A tarangaela.
A tarangaela.

Aí chegamos ao lado humano e sinceramente, enquanto a Madoka é uma protagonista muito boa para a narrativa, o Schlain Zagan Analeit, para simplificar o irmão do herói e no decorrer da narrativa ele se tornou o Novo herói, é extremamente genérico, sinceramente se não fosse o intuito do autor querer mostrar uma dualidade na narrativa, facilmente seria mais um protagonista genérico de mais um Isekai onde ele é superpoderoso, apesar que em Kumo desu ga? ele nem é tão poderoso, extremamente desejado por todas, aqui destaco Karnatia Seri Anabald, ou para simplificar o Rukia já que ela era o amigo do protagonista na terra 1 e quando chegou na terra 2 se tornou mulher, o que deixa estranho pois teoricamente ele era homossexual, mas não assumido na terra 1 e desde pequeno ele era amigo do noso protagonista, até ai ok, mas ao chegar nesse mundo ele se tornou uma garota e ainda proximo ao nosso protagonista, acabando sendo mais uma no harém dele, isso ofusca um possivel conflito dele aceitando-se como mulher contra a vontade dele para focar apenas o tão heroico é o Novo herói para a humanidade e isso é contado de maneira tão esteriotipada que particamente resalta as desventuras da Madoka, isso é particamente um sentimento de todos que assistem, até mesmo aqueles que destestam CGI, indo para os dubladores Horie Shun(Nezumi de Juuni Taisen, Galahad de Fate/GO, Suzuki Ichirou de Death March, Pierre de IDOLM@STER SideM, Hiyama Kazuma de 12-sai, Letty de Dragon Goes House-Hunting e Kinoshita Kazuya de Kanojo,Okarishimasu) trabalhou resoavelmente numa atuação simples para um papel simples, diferente de Touyama Nao(Shima Rin de Yuru Camp,Elfa de Goblin Slayer, Lieselotte Sherlock de Trinity Seven, Koga Tomoe de Bunny Girl, Kirisaki Chitoge de Nisekoi, Yuigahama Yui de Oregairu e Kujou Karen(Aya aya girl) de Kiniro Mosaic) que mesmo sem grandes papeis memoraveis, ela consegue atuar bem nos seus papeis, sem um grande destaque pessoal, apenas adiciona a um staff fonte como é no Kumo desu ga?

O casal principal.
O casal principal.

Continuando no lado humano chegamos ao personagens conflitos, pois tanto o Hugo Baint Renxandt e Yurin Ullen carregam os conflitos presentes na narrativa, enquanto o Hugo possui o conflito da adaptação a esse mundo é o cúmulo de super poderes incomuns para adolescentes normais, fora justamente o conflito cômico dele, que renasceu como um nobre, sendo um prodígio no campo mágico e militar, toda sua vida ele era o centro das atenções até encontrar seu colega de classe, que nem é tão popular na terra 1, ao chegar nessa nova terra ele se torna mais um protagonista de Isekai que por tabela transformando o Hugo no amigo do protagonista e mesmo ele se tornando um vilão de uma maneira extremamente maniqueísta, o conflito em si é entendível, algo que muda quando vemos a Waifu religiosa que mesmo apresentando o ponto de vista da igreja, ela abraça o estereótipo de fiel fanatico, o que acaba impedindo um desenvolvimento inicial da igreja, ainda adicionando a péssima direção nessa parte acabou todo um possível desenvolvimento desse lado logo nos primeiros episódios, algo que só tivemos na metade para final da obra; indo para os dubladores temos surpresas pois Ishikawa Kaito(Genos de One Punch-man, Iida Tenya de Boku no Hero, Azusagawa Sakuta de Bunny Girl, Iwatani Naofumi de Tate no Yuusha, Kageyama Tobio de Haikyuu, Machio Naruzou de Dumbbell, Rokudou Rinne de Kyoukai no Rinne e o Clérigo Demoníaco de Maoujou no Oyasumi) para o Hugo e Tanaka Aimi(Doma Umaru de seu anime homônimo, Tanaka de Ueno-san, Ryuuzu de Re:Zero e Liu Yuyan de Lance n’Masques) para Yurin possui inúmeros trabalhos grandes, mas aqui posso dizer suas atuações aqui foram medianas, para não dizer simplórias já que os personagens são superficiais, entretanto a culpa disso são os personagens e não pelos dubladores.

A santa e o Demônio.
A santa e o Demônio.

Continuando com os alunos vamos falar logo da waifu-Pet pois afinal de contas Feirune ser um dragãozinho fofo dublada pela Kitamura Eri(Kamiki Izumo de Ao no Exorcist, Cana Alberona de Fairy Tail, Yui de Angel Beats, Miki Sayaka de Madoka, Kawashima Yui  de Toradora!, Mina Ashido de Boku no hero, Araragi Karen de Monogatari series, Yuzuriha Chika de Yesterday e Takagi Saya de HOTD) já era esperado que ela se tornaria uma waifu, afinal de contas ela era uma beldade na terra 1 e já era esperado ela retornar a ser uma beldade do futuro, a própria Madoka intrigou isso e tirando a questão da deformidade dela, apesar que de novo é melhor trabalhado com a Madoka, ela só é mais uma personagem que adicionada para o harém do Novo  herói.   

A Waifu adestrada.
A Waifu adestrada.

Depois de falar de todos os alunos relevantes, vamos falar da professora e sinceramente Filimøs Harrifenas, Oka-chan pôr se a professora  Kanami Okazaki (岡崎 香奈美), mas também pode ser pelo fato que Oka se referisse a uma pessoa mais velha em japonês, ou seja todos os personagens a chamam de tia; não é uma personagem do meu feitio, mesmo mostrando ser uma personagem importante para narrativa, tanto que o episódio 20 possui um segmento só dela, ela é sem sal, assim como Suelecia Zagan Analeit, ou seja a irmã do herói, elas são simplórias até mesmo para história sendo os trunfos para desenvolvimento narrativo da obra, o mais bisonho fica no fato que Okuno Kaya(Kikuna Kaya de Wake up! Girls, Kisaragi Karen de Hundred e Satome Azusa de Saekano) para a professora e Ogura Yui(Rinne Berlinetta de ViVid Strike!, Wang Teria de Kishuku Gakkou no Juliet, Sacerdotisa de Goblin Slayer, Tsutsukakushi Tsukiko de Hentai Ouji, Fushiguro Yaya de Yuragi-sou, Hayase Kinue de Masamune-kun no Revenge, Hoshifumi Sosogu de Pop Team Epic, Myuu de Arifureta e Nasse de Platinum End) para Sue parecem não terem atuado com todo seu fervor, talvez por serem personagens genéricas e ambas não possuem muito tempo de tela, mas não deu para sentir o profissionalismo nas duas.

As insossas.
As insossas.

Terminando a parte do colégio com a Aucreido, até aí ok já que Negishi Shouko conseguiu tirar a sorte grande de reencarnar sendo uma bela vampira que vem de uma família rica, para ser o contraponto da Madoka e ironicamente por causa da Madoka que ela existe na narrativa, mas tirando isso e ser uma das generais da pequena demônio ela não parece ser tão relevante, além de vender figure, na narrativa que contrapõem a grandíssima dubladora como é a Taketatsu Ayana(Azu-nyan de K-on!!, Kirigaya Suruga de SAO, Koneko de High School DxD, Suminoe Ako de KissxSis, Narusaku Alice de HOTD, Kousaka Kirino de Oregairu, Itsuka Kotori de Date a Live, Nakano Nino de Gotobun, Reona de Full Dive RPG e Shidare Hotaru de Dagashi Kashi) que ironicamente também não trabalhou tanto para interpretar a Aucreido.

Vampirinha.
Vampirinha.

Agora vamos falar dos líderes desse mundo, já que como estamos falando de um Isekai, então em algum momento teríamos alguma pessoa influente dentro da staff, só pegar o próprio Slime com a rei demônio e por falar de rei demônio, devemos falar do detergente aracnídeo, da nossa pequena demônio e foi engraçado descobrir o nome da Ariel, pois ela foi apresentada com toda pompa, apesar que achava, apesar de saber como é o design humana da Madoka, que ela seria a pré-evolução dessa versão da nossa protagonista já que o design dela é bastante fofa e não gera medo, junta isso a fato que a pseudo-russa Uesaka Sumire(Shalltear de Overlord, Nagatoro Hayase, Kojima Kana de Nande Koko ni Sensei ga?, Dekomori Sanae de Chuunibyou, A presidente de Aho Girl, Sora Mituka de Twintail, Anastasia de The IdolM@ster e Arisugawa Aru de TONIKAWA) está dublando ela, justamente ela a loli-vampírica profissional, só ver os trabalhos dela para sabermos isso, sabe perde um pouco de credibilidade para uma classe que bastante mal representada como são os reis demônios, entretanto rei demônio que se preza possui seus subordinados para mostrar seu poder e influência, começo com os quatro-olhos já que Balto Phthalo não possui nada relevante além de usar óculos e ser dublado por Umehara Yuuichirou(Goblin Slayer, Yamanaka Koyomi de SSSS.Dynazenon, Souma Kureno de Fruits Basket(2019), Ryuuguuin Seiya de Kono Yuusha, Jail Murdoch de Plunderer, Siegfried Kircheis de The Legend of Galaxy Heroes(2016), Gorou de Darling in the Franxx, Mitsuhide Luen de Akagami no Shirayuki-Hime, Kamiki Seiryuu de Mashiro no Oto e Sniper Mascarado de Tenkuu Shinpan) e como podemos ver dubladores extremamente reconhecidos fazendo papéis simplórios como eles.

A bullinadora e o bullinado.
A bullinadora e o bullinado.

Continuando nas servidão aranhinha rei demônio, também não há muito para se falar sobre do Velvet-Velvet tirando o nome dele, sinceramente Güliedistodiez só serve para ser um nome aleatório que remete a língua dos Teutos, o engraçado é que a Madoka se referência com Guilty-Guilty, ou como a Madoka falou remete a onomatopéia de espadas batendo, combina bem com seu design extremamente detalhado, tanto que ele mal é animado andando, só falando e como no episódio 11 ele tem relação com a voz do céu, o que deu para entender naqueles flashes que apareceram durante o episódio, partindo para os dubladores só dois nomes: Namikawa Daisuke (Velvet Waver de Fate/Zero e El-melloi II, Jellal de Fairy Tail, Hisoka de Hunter x Hunter, Hitotsubashi Nobunobu de Gintama, Kazehaya Shouta de Kimi no Todoke e Rotondex de Pokémon Sun & Moon) e Inoue Kikuko(Tendou Kasumi de Ranma ½, Belldandy de Aa Megami-Sama, Minerva Orlando de Fairy Tail, Cecile Croomy de Code Geass, Macrofago de Hataraku Saibou, Tsukumo Nanase de Chuunibyou, Mirelia Q. Melromarc de Tate no Yuusha, Lulutia de Kami-Tachi, Luxúria de FMA, Fukukawa Sanae de Clannad e Uraha de Air) e não há muito para falar deles já que eles não trabalharam durante grande parte da obra.

O casal Spoiler.
O casal Spoiler.

Continuando com personagens inúteis, já que não vemos o Velvet-Velvet, ou a voz do céu e até mesmo a administradora D, ela apareceu pouco, mas nesses momentos escassos ela exclamou que todos os eventos que terminaram com o início da obra, mas o que esperar de uma colegial que criou um mundo rico de magia, uma magia que pode superar as regras já abstratas desse mundo, mas parece que ela possui uma idade bastante avançada já que Saori Hayami (Shirayuki de Akagami no Shirayuki-Hime, Shiba Miyuki de Mahouka, Jabami Yumeko de Kakegurui, Fubuki de One Punch-Man, Aragaki Ayase de Oreimo, Ononoki Yotsugi de Monogatari, Kochou Shinobu de Kimetsu no Yaiba, Viktoriya Ivanovna Serebryakova de Youjo Senki, Ushiwakamaru de Fate/Go-Babylonia, Uzaki Tsuki de Uzaki-chan, Anju Ema de 86, Rachel de Tower of God, Amiele Azazel de Iruma-kun, Nishimiya Shouko de Koe no Katachi e Sachi de SAO) dubla a personagem e apenas isso para eu colocar esse personagem na lista.

Imagine o gasto da linha?
Imagine o gasto da linha?

Agora vamos indo direto ao elfos e Potimas Harrifenas é velho, tão velho que ele possui braços em coisas de antes do início da obra e não estou falando do evento de quinze anos antes, mas o fato engraçado fica no seu dublador já que Morikawa Toshiyuki(Eneru de One Piece, Kurosaki Isshin de Bleach, Tyki Mikk de D-Gray Man, Minato de Naruto, Naraku de Inuyasha, Kikuoka Seijou de SAO, Boros de One Punch-Man, Sasaki Isaburou de Gintama, Kira Yoshiaki de Jojo parte 4, Julius Novachrono de Black Clover, Bondrewd de Made in Abyss, Ubuyashiki Kagaya de Kimetsu no Yaiba, Souma Kazuma de Fruits Basket(2019) e Paul Greyrat de Mushoku Tensei) possui um currículo recheado de pais, uma das poucas características que dar para destacar nesse personagem, o que deixa monótono e remete bastante nos estereótipos típicos nesse tipo de obra, mas graças a sua aparição diminuta na obra faz que isso não fique ruim.

Arnaldão
Arnaldão

Para não deixar passar sobre o Herói e seu escudeiro, mas eles são genéricos, então não há muito por se falar sobre eles já que servem bem como a idealização de como agir para o Novo Herói e mesmo sendo estereotipados, eles funcionam bem na narrativa pois nosso preconceito sobre obras de fantasia é utilizado para simplificar o caminho para entendemos o peso deles na obra e ainda casa pelo pela atuação de Enoki Junya(Itadori Yuuji de Jujutsu Kaisen, Yazaki Nasa de TONIKAWA, Asanaka Yomogi de SSSS.Dynazenon, Globulo vermelho AA2151 de Hataraku Saibou Black, Honjou Rika de Tenkuu Shinpan, Jack de Beastars, Kurata Takezou de Kono Oto Tomare, Fugo Pannacota de Jojo Parte 5, Tsuji Keisuke de Tsurezure Children e Tatewaki Shoutarou de Sakurako-san) para Julius e Okita Kazuyuki(Yoshida de Higehiro, Masa de Gokushufudou, Nikaidou Ren de Ben-tou, Jonathan Joestar de Jojo, Andou Renji de Prison School, Hagita Saku de Orange, Izumi Hayato de Okusama ga Seitoukaichou, Serpico de Berserk(2016), Ougami Banri de Idolish Seven, Cait Sith de Kishuku Gakkou no Juliet, Inumine Seishirou de Starmyu, Karin Flam de Fire Force, Fatgum de Boku no Hero e Miyao Koutarou de Hi-Score Girl) para Hyrince Quatro, pois parecem genéricos assim com os personagens.

O verdadeiro herói, do escudo.
O verdadeiro herói, do escudo.

Para não esquecer de falar do Wrath, não há muito para falar sobre ele justamente sua apresentação dele na obra foi muito recente, então também não darei uma crítica sobre a atuação de Ousaka Ryouta(Marco de SNK, Amy Kiriwo de Iruma-kun, Akaashi Keiji de Haikyuu, Vali Lucifer de High School DxD, Laughing Coffin de SAO, Maou Sadao de Hataraku Maou-sama, Yaze Motoki de Strike the Blood, Sekke Bronzazza, menino do Buhah, de Black Clover, Tachibana Naoto de Tokyo Revengers, Nejima Yukari de Koi to Uso, Yamada Ryuu de Yamada-kun to 7-nin no Majo, Narituki Yuiga de Bokuben e Blood Charlie Staz de Blood Lad), pois só estou colocando aqui para não esquecer nenhum personagem interessante.

o Orgoroso.
o Orgoroso.

 

Considerações Pessoais.

Sinceramente eu fiquei duas semanas pensando em como falar de Kumo desu ga?, isso antes do adiamento, pois primeiramente eu começava a escrever mentamente sempre pensava em comparar a obra com Re:Zero ou Overlord, destacando os pontos bons de Kumo desu ga? em relação a demais obras de Isekai, mas nesses últimos episódios foi complicado achar pontos bons para tentar defender a obra, então decidi copiar as típicas resenhas do MAL, mas não farei aquelas excessivas análises presentes neste site, já que não é do meu feitio isso, fora que decidi reler minha primeira review da obra para me desmentir sobre as insinuações sobre o futuro da obra apresentadas lá.

Praticamente é assim que se ganha a segunda temporada.
Praticamente é assim que se ganha a segunda temporada.

Começando mantendo meu pensamento sobre a produção, primeiramente voltando a bater em Itagaki Shin, sei que estou praticando pleonasmo ao culpá-lo pela direção da obra, apesar que vou passar um paninho pelo fato que desde do anúncio da obra até sua exibição a produção passou por uma pandemia que prejudicou a inúmeras obras, Kumo desu ga? não seria aquela fragulha de luz do meio dessa tempestade, mas a qualidade começou mesmo a piorar, claro considerando o segmento 2D e 3D, no início da segunda parte e foi intensificado, ou seja as duas partes da produção ficaram estranhas juntas, no final da obra, claro se lembrarmos que Millepensee ficou atarefada nesses últimos dois anos e nem estou falando em obras próprias, pois estou contando trabalhos em outras obras que prejudicaria um estúdio pequeno como é, entretanto isso não tira o fanatismo do diretor em closes bizarros como focar nas faces dos protagonistas para economizar traço, sim eu fiquei pensando nisso quando comecei a imaginar a escrever esta review o porque ele faz isso aqui, então lembrei o nível de detalhamento dos personagens e o quanto causaria animar isso, então veio a mim esse hipótese, aí o último episódio é adiado para surpresa de ninguém e acaba com minha defesa sobre essa produção precária e os gostos bizarros do diretor, abertura e encerramento já tinha falado antes então vamos ao próximo ponto.

Sim.
Sim.

A história é já adiantando os personagens, pois sinceramente: a história é Madoka e o resto, pois todo o desenvolvimento posto na Madoka e nas suas quatro facetas tivesse presente no lado humano talvez Kumo desu ga? estaria na lista dos melhores do ano, pois foi um lauto o como a aventura dela foi interessasse, até mesmo aquela parte, ou temporada já que demorou doze episódios para ela sair da caverna, que parecia monótona mostrou ser superior a toda trama do lado humano que mesmo sendo clichê, não ficou reforçando os estereótipos  torto e a direito, nessa parte o autor quis adiantar a história para um ponto que até mesmo os mais ávidos leitores da obra tenham interesse a acompanham a obra, pelo menos algo a mais que Aoi Yuuki dublando a Madoka e sim Baba Okina fez parte do comitê de produção e aceitou as mudanças da narrativa propostas pela mesma.

Você não é culpada.
Você não é culpada.

Agora falando após o episódio final já posso da uma nota final e 6,5/10 representa bem as duas partes, a parte da Madoka no labirinto teve as melhores animações da série como um todo, enquanto na parte da exploração dela tivemos todos os problemas presentes em produção da Millepensee, a história não é aquela coisas, o que fazia-me pensar que esse anime serve apenas para consumir sem pensar muito, a animação era ok, a Madoka carregava a obra nas costa, independente da dublagem que você consuma, mas a segunda parte do anime decaiu bastante pela série de fatores que vai desde a animação que decaiu sua qualidade, o ritmo da obra pareceu querer acelerar alguns pontos e diminuir em outros e fecha tudo isso com o grande protagonismo do lado humano, que mesmo eles trabalhando bem com os clichês de obras de Isekai, mas não foi algo perfeito por existir previsibilidade durante grande parte do seguimento deles; Kumo desu ga? é um anime ok, não é um novo Re:Zero, mas também não é um Isekai wa Smartphone, recomendo se você quer algo para rir, mas não espere ser um anime lembrável.

Não, apenas um 6.5.
Não, apenas um 6.5.

Enfim chegamos ao último episódio do anime da miranha, aqui é Jonh Vini e o foi minha review desta série, estou à espera dos vossos Feedbacks da mesma e da review para melhorar minha escrita para vocês, não se afobem pois arrependimento mata, vamos discutir pacificamente, sem puxar palavras de baixo calão já que como podem ver eu não desferir nenhuma contra vocês é saudável porque enriquece a vida e até mais.

O OtakuPT é um site internacional composto por elementos de várias nacionalidades dedicado a anime, mangá, videojogos e cultura POP.