Kumo desu ga, Nani ga?: Episódio 4 – As desventuras da miranha

Artigo enviado por Jonh Vini. Podem enviar os vossos artigos aqui.

Bem aparentemente eu não consegui expressar direito um ponto de vista na review passada é ironicamente este episódio mostrou este ponto de vista, o como este anime possui sua própria identidade e fica justamente na sua heroína, sinceramente esse episódio passou muito rápido e mesmo com a direção típica de Itagaki Shin foi um episódio legal já que como não assisti Slime, não consegui sentir engajamento com o Rimuru, mesmo sabendo do passado dele que virou meme, mas é um Slime, nem forma ele tinha direito, era bem melhor acompanhar as desventuras de uma aranha fraca num mundo de Isekai do que um todo poderoso slime; mas ainda me lembro quando Kumo desu ga,Nani ga? teve sua novel anunciada e desde aquele momento sabia que deveria acompanhar a animação dessa história para ver como a Madoka poderia superar as adversidades impostas nela como seria trabalhado como foi neste episódio.

Resolvendo com estilo.
Resolvendo com estilo.

Existe um conceito que podem aplicar em histórias literárias de fantasia para ter sucesso que trata em três pontos:Roteiro, Personagem e Cenário, eles são auto-explicativos, pois para uma obra fazer o sucesso normalmente é necessário dois pontos interessantes dos três, se os três pontos fosse interessante aí temos um novo marco para obras de ficção, mas para uma obra animada entra o ponto da Produção e falando de animes normalmente a Produção é um novo alicerce para uma obra ganhe sucesso(Kimetsu no Yaiba), mas pode ocorrer que a Produção seja o obstáculo para um trabalho ver a luz do sol, mas o material original consegue garantir que o anime consiga sucesso(Honzuki no Gekokujou); aqui em Kumo desu ga há um grande problema já que o Cenário é interessante e Personagens são cativantes, pelo menos na parte da Madoka, então não ligo tanto para parte do Roteiro pois como falei eu não ligo se for genérico, todavia a parte dos humanos já não é interessante, pelo menos no segundo episódio já que gostei da apresentação deles no primeiro episódio pois foram rapidamente introduzidos a obra, fora a piada dupla do Okabe e da professora e o episódio 3 mostrou que teremos alguma coisa nova entre os heróis humanos e o resto, mas ainda sim vejo que a parte deles só ira se tornar interessante quando encontrarem a Madoka já com um corpo humanoide, ou já encontram como a abertura dar para entender.

Teremos um casal já “teiado”?
Teremos um casal já “teiado”?

Aí caímos o problema da Produção que começa com o próprio diretor, mas não falei mais dele já que seria pleonasmo, entretanto a parte 2D e 3D mantém uma constância ok, mesmo com este episódio o 3D escorregou, mas os erros ficaram aparentes graças ao diretor que mal consegue passar uma sensação de ação numa cena 3D, algo que também ocorreu em Berserk(2016), mas há uma cena que o diretor conseguiu isso meio que aleatoriamente, mas a sensação de aventura e até mesmo de mistério foi passada bem, mesmo que apenas a Yuuki Aoi e a voz do céu {Sim, o anime cita a narradora como a voz do céu e dublada por Inoue Kikuko(Tendou Kasumi de Ranma ½, Belldandy de Aa Megami-Sama, Minerva Orlando de Fairy Tail, Cecile Croomy de Code Geass, Macrofago de Hataraku Saibou, Tsukumo Nanase de Chuunibyou, Mirelia Q. Melromarc de Tate no Yuusha, Lulutia de Kami-Tachi, Luxúria de FMA, Fukukawa Sanae de Clannad e Uraha de Air)} tenham falado nesse episódio todo, a piada ficou ok já que o diretor não tem time cômico e o flashback ficou bem encaixado na narrativa, apesar que isso é crédito dos compositores de série, pois um deles é o autor da obra.

Chá de Aranha.
Chá de Aranha.

Depois deste episódio dou mais um crédito para Kumo desu ga,Nani ga? já que a grande qualidade da obra(Madoka) possui esmero pela produção e dubladora, sou meio culpado por não ter detestado o CG dela, mas o design em si é convidativo, não cai no vale da estranheza durante as bruscas mudanças do 3D para o 2D, a Yuuki Aoi interpreta bem a personagem e as piadas com ela ficam divinas, mesmo sendo genérico o anime consegue divertir, claro se você estiver acostumado pelo estilo de direção de Itagaki Shin e não tenha visto coisa melhor.

A perigosa.  
A perigosa.

Basicamente era isso que eu tinha para falar desta tentativa do anime da miranha, aqui é Jonh Vini e essa foi minha review desta série, estou à espera dos vossos Feedbacks do episódio e da review para melhorar minha escrita para vocês, não se afobem pois arrependimento mata, vamos discutir pacificamente, sem puxar palavras de baixo calão já que como podem ver eu não desferir nenhuma contra vocês é saudável porque enriquece a vida e até mais.