Entrevista Exclusiva ao tradutor do mangá Jujutsu Kaisen

Entrevista Exclusiva ao tradutor do mangá Jujutsu Kaisen

Recentemente o OtakuPT teve a oportunidade de entrevistar o tradutor oficial do mangá da shonen jump, Jujutsu Kaisen na Viz Media. Nesta entrevista falamos com Stefan Koza (Steady), que também traduziu o spin-off de Dragon Ball: “Dragon Ball: That Time I Got Reincarnated As Yamcha!”, sobre o seu inicio nas traduções, a crescente popularidade de Jujutsu, o mercado ilegal de mangás, a possibilidade de uma adaptação para anime, entre outros temas.

Entrevista Exclusiva ao tradutor do mangá Jujutsu Kaisen

Jujutsu Kaisen é um mangá de Gege Akutami serializado na shonen jump desde 2018, que já conta com 6 volumes publicados e 3 milhões de cópias em circulação, tal como, uma novel já publicada e 3 teasers animados.


Primeiramente, fala-nos um pouco sobre ti. Como começou essa tua paixão pela tradução/localização e o teu contacto com animes/mangás?

– Eu fui criado num lar que utiliza tanto o japonês como o inglês. Eu era obcecado pela televisão japonesa, anime, programas de variedade, entre outros. Traduzir mangás foi uma oportunidade que surgiu recentemente. No entanto, eu cresci a interpretar para amigos e familiares.

 

Como começaste a tua carreira como tradutor?

– Eu fui afortunado o suficiente para ser convidado para os escritórios da VIZ junto com o tradutor de My Hero Academia e Dr. Stone, Caleb Cook. Nós podemos conversar e no final tudo correu pelo melhor. (risos)

 

Quais tu achas que são as maiores dificuldades em localizar japonês de mangá para inglês?

– O japonês e o inglês são normalmente línguas que refletem a sua própria cultura. Frases que se aplicam em japonês podem não fazer qualquer sentido quando traduzidas para inglês. Eu tento que as minhas traduções não se tornem estranhas ou forçadas. Em relação a Jujutsu, os nomes dos ataques são muito “cool” em japonês, mas também podem ser muito abstratos. Esses podem ser complicados.

 

Scanlations são um grande problema para o mercado de mangás, com serviços online como o Manga Plus (gratuito), Viz Media (gratuito/subscrição), Crunchyroll Manga (subscrição), entre outros, o que achas que falta aos leitores para “abraçarem” totalmente o mercado legal de mangás?

– Se o material está disponível oficialmente, não existe mais desculpas para apoiar conteúdo ilegal. Tanto os animes e mangás são disponibilizados mais rapidamente, barato, e em maior qualidade do que nunca. As aplicações da VIZ e da Shonen Jump realmente me surpreenderam quando soube do seu novo serviço. A infinidade de mangás disponíveis ao preço de meros “trocos”. Incrível.

 

Esperavas que Jujutsu Kaisen tivesse um sucesso desta dimensão?

– Eu penso que Jujutsu foi extremamente sobrevalorizado a quando do seu lançamento (através da iniciativa “JUMP START” da weekly shonen jump). Já existia claramente uma fanbase que queria mais, mas eu fiquei surpreendido com a reação inicial, quer seja de valorização quer de desagrado. Eu consigo perceber se o tema não agradar toda a gente, mas a este ponto Jujutsu tem provado ser uma serie fantástica.

 

Tens alguma personagem favorita em Jujutsu? Eu pessoalmente penso que o Gojo-sensei será provavelmente o mais popular aqui no ocidente, ele é tão badass!

– Será que posso escolher mais do que um? (risos) Yuji é obviamente fantástico. Nanami, Todo e a Nobara seriam as minhas outras escolhas. Se formos olhar para um nicho, eu escolheria a mulher da pastelaria! Aquela do flashback do Nanami! Gojo é bacano, mas eu argumentaria que tem personagens mais profundas do que ele. Embora, eu esteja entusiasmado para saber mais sobre ele no mais recente arco de flashback.

 

E arco favorito, tens algum em particular? Eu acho o arco “Cursed Womb” (Ventre Amaldiçoado) espetacular, eu recomendo sempre aos novos leitores que leiam pelo menos até ao capítulo 6, porque a partir dai só fica cada vez melhor.

– O arco de introdução do Mahito foi muito bom. Principalmente pela relação e desenvolvimento entre o Yuji e o Nanami.

 

Jujutsu Kaisen junta termos como jujutsu (magia) mas também juryoku (energia/força espiritual) como interpretas isso? Foi difícil para ti entenderes a sua integração na obra?

– A ideia de “energia amaldiçoada” até que é fácil perceber se fores já um fã de shonen. É como o “ki”, “chakra”, entre outros termos similares que já estamos habituados. JJK é bom porque tem uma base que segue o padrão shonen mas à sua maneira o que é interessante. O capítulo 12 faz um excelente trabalho em explicar a “energia amaldiçoada” e as “técnicas amaldiçoadas”.

 

JJK tem espíritos amaldiçoados e xamãs; achas que podemos olhar para eles como sendo o mal contra o bem; ou a resposta não é assim tão simples?

– Esse é um tema de destaque em JJK. A personagem de Yuji é baseada nessa noção. A “morte apropriada” falando assim, ele rapidamente tem a consciência ao se relacionar com Nanami que não é assim tão preto no branco. No entanto, há personagens que podem pertencer a ambas classificações. Eu tenho pensado, talvez seja uma opinião menos comum, que o Mahito é do mal. Afinal a sua personagem é construída em volta de sentimentos negativos pelos seres humanos. Inveja, ódio, raiva, e dai em diante. Uma personagem interessante sem dúvida, mas sem muita expressão até a este ponto da história. Eu penso que Geto irá ser um vilão mais convincente à medida que a história vai se desenvolvendo.

 

A enquete de popularidade foi divulgada recentemente, alguma surpresa? Eu fiquei surpreso por ver Nanami classificado tão a cima, na verdade eu fiquei contente porque ele é uma personagem fantástica.

– Ver o Nanami tão alto na lista não foi surpreendente de todo se me perguntares. Incrível personagem. Eu sou fã do Okkotsu mas vê-lo tão a cima na lista foi surpreendente. Parece que muitas pessoal leram o volume 0!

 

Jujutsu Kaisen atingiu este mês os 2 milhões de copias em circulação com o lançamento do seu 6º volume no Japão. Também já teve direito a uma novel, apesar do seu ainda curto período de serialização, e a 3 de dezembro irá ter o seu primeiro volume pela Viz Media. Em adição, Jujutsu teve 3 teasers animados, parece que será apenas um caso de tempo até receber a sua adaptação para anime. Qual é o teu nível de entusiasmo neste momento?

– Tem muita “juju” positiva a flutuar neste momento. (risos) Com a popularidade do mangá, eu não ficaria surpreendido se já estivesse em planeamento a série de anime. A minha aposta é que “eles” sabem que têm algo especial em mãos, então devem estar a trabalhar com toda a atenção e qualidade que a série merece. O meu cenário de sonho seria o estúdio MAPPA ou a Production I.G. no comando e o tema musical pela banda Maximum The Hormone!

 

Podemos fechar a “tobari” por agora, obrigado pelo teu tempo!

– Emerge da escuridão, mais negro que a escuridão. Purifique aquilo que é impuro. Muito Obrigado! (Nota: O Stefan teve o cuidado de agradecer com um “Muito Obrigado” em português)

 

Podem encontrar o Stefan (Steady) nas seguintes plataformas:

Podem ler Jujutsu Kaisen legalmente em todo lado gratuitamente em: