[Entrevista] Ikumi Hasegawa revela como foi interpretar Lena em 86: Eighty-Six

86 Eighty-Six visual

O japonês Anime!Anime! partilhou online parte de uma entrevista a Ikumi Hasegawa, a seiyuu que emprestou a sua voz a Vladilena Milizé, a bela jovem conhecida como Lena pelos seus amigos e como Handler One pelos seus subordinados, na adaptação para série anime da novel 86: Eighty-Six escrita por Asato Asato e ilustrada por Shirabi.

Qual foi a sua primeira impressão de 86: Eighty-Six?

Até começar a ler a história original, pensei que seria uma história sobre emocionantes batalhas entre mechas. Mas quando finalmente li a novel, fiquei surpresa com o quão denso é e como é incrível o lado humano das batalhas.

Qual foi a sua impressão da Lena na altura?

Na audição, tive a impressão de que seria escolhida como Theoto ou Anju do Spearhead Squadron. Não tinha lido a novel a pensar que queria interpretar Lena, pois tinha a impressão de que ela era muito rígida e um pouco infantil. Quando me foi atribuído o papel de Lena e comecei a ler a história, achei muito bem ela ter recebido os choques emocionais da batalha, um após o outro. Além das falas em que ela comanda o Spearhead Squadron como um soldado de elite, as falas que apresentei no teste também eram quando ela comia alguns cupcakes, então a gama de emoções era bastante ampla.

O que pensa quando interpreta Lena?

Lena pensa que é a menina mais pura do mundo. Ela tem um ideal e sempre o persegue, então tento sempre mostrar a sua inocência. Já que ela está na posição de comandar o Spearhead Squadron, eu também tenho um tom de comando monótono, mas como ela é do tipo honesto que sempre fala o que pensa, não importa a cena, nunca deixo a minhas emoções saírem.

Que tipo de orientação o diretor lhe deu para a atuação?

Para as cenas do dia-a-dia eles disseram: “Tudo bem em ser um pouco fofa”. Em algumas outras cenas, ouvi: “Tente ser mais rígida”.

No terceiro episódio, Kaie Tanya do Spearhead Squadron foi morta em combate. Como foram as suas emoções e como você as transmitiu através da personagem?

A cena foi muito difícil. Apesar da tristeza da sua morte, os membros do Spearhead Squadron e Lena não se conhecem cara a cara, mas apenas pelas suas vozes, então eles realmente não acreditam que ela está triste com a morte. Em parte, por causa disso, interpretei a cena com um leve sentimento de tristeza, mas era muito difícil definir o nível correto.

Existem dificuldades em interpretar relacionamentos entre personagens que nunca se viram?

Não tenho que pensar numa sensação de distância, então pensei que seria agir com uma voz normal, mas quando fizemos as gravações, eu estava completamente sozinha enquanto os outros estavam noutra cabine, então senti-me mais perto das emoções reais de Lena. Estou muito grata por eles nos fornecerem esse tipo de ambiente.

O que você acha atraente em Lena?

Em primeiro lugar, a sua força de ser. Todos os anteriores comandantes do Spearhead Squadron foram emocionalmente feridos para não voltarem, mas Lena não é como eles. Ela tenta desesperadamente progredir, embora o seu esquadrão a deteste e o resto dos militares façam pouco dela por tratar os Eighty-Six como humanos. Acredito que a força para avançar nessas condições é o seu maior atrativo.

Qual foi a experiência mais marcante após as gravações?

Há um limite para o número de pessoas que podem estar nas instalações do estúdio de gravação, assim não se vê quem realmente não está lá. À medida que fazemos isso, é muito triste que, cada vez que um personagem morre, as cabines ficam cada vez mais solitárias.

O que os fãs podem esperar no futuro?

No futuro, haverá algumas cenas em que Lena terá uma atitude mais feminina em relação a Shin. Acho que será algo que valerá muito a pena ver, então, por favor, aguardem.

A animação é da responsabilidade do estúdio  (Sword Art Online, Magi), a direção é de Toshimasa Ishii (direção de episódios de Space Brothers, ERASED, Occultic;Nine), o argumento é de Toshiya Ono (The Promised Neverland, Land of the Lustrous, Blue Exorcist: Kyoto Saga) e o design de personagens é de Tetsuya Kawakami (Interviews with Monster Girls, Robot Girls Z, The Asterisk War: The Academy City on the Water).

A Yen Press está a publicar a novel em inglês e no seu site podemos ler:

A República de San Magnolia foi atacada pelos seus vizinhos, o Império. Fora dos 85 distritos da República, existe o “86º distrito inexistente”, onde homens e mulheres jovens continuam a lutar. Sheen dirige as ações de jovens, enquanto Lena é uma “Handler” que comanda um destacamento a partir de uma retaguarda remota. A história da trágica luta destes dois começa!

86 começou a ser publicada pela Dengeki Bunko em abril de 2017 com ilustrações por Shirabi (The Ryuo’s Work is Never Done!, Myriad Colors Phantom World) e design mecânico de I-IV (Aldnoah.Zero, Re:CREATORS).

A novel já tem uma adaptação para mangá por Motoki Yoshihara na revista Young Gangan da Square Enix e ganhou um novo mangá chamado Gakuen 86 (Academy 86) na Monthly Comic Alive da Kadokawa por Suzume Somemiya.

Capa do volume 1 de 86
Capa do volume 1 de 86

86 ganhou o grande prémio nos 23rd Dengeki Novel Prize em 2016 e ficou em 2º lugar na edição de 2018 dos Kono Light Novel ga Sugoi! (This Light Novel Is Amazing!). Em 2019 ficou em 5º lugar.

FONTEAnime!Anime!
Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.