Fate/Grand Order: Babylonia – Episódio 14: A beleza Helénica

Artigo por Jonh Vini.

Fate/Grand Order: Babylonia – Episódio 14: A beleza Helênica.

Pleonasmo pode ser o adjetivo que mais representa essa série pois esses últimos episódios tiveram o mesmo objetivo: Mostrar os desenvolvimentos pessoais dos servos, no episódio passado foi a Ereshkigal e sua falta de confiança pela tarefa atribuída, já nesse tivemos o foco dos primeiros servos que nos receberam nessa singularidade, mais a Roli já que finalmente mostrou sua verdadeira fase e o Merlin que simplesmente disse seu objetivo sem nenhum rodeio.

El bruxo.
El bruxo.

Bem focando na Roli já tinha falado que ela é a Rider lily, que é a forma “baby” dos servos dos Stay Night, principalmente as femininas, com isso fico imaginando como a sedutora Medusa, pois quem seria o ser lendário cujo sua lenda envolve uma maldição com o olhar, se tornar algo tão fofo, ou desejado por lolicons, como a Ana foi durante seu tempo da série, pois eu acho que ela não voltará mais após dessa batalha contra sua contraparte adulta dela, provavelmente no próximo episódio vão explicar sobre isso.

Olha essa fofura.
Olha essa fofura.

Merlin por si só nunca gerou-me tanta empatia quanto agora, pois graças principalmente pelos casos dele com a Saber, desde do desafio da espada na pedra até o caso Modred, mas nesse episódio ele estava bastante diferente do habitual “boçal” que sempre mostra prepotência com sua sabedoria e raciocínio rápido para resolver os problemas, ele parecia avoado em relação ao mundo, tanto que se não fosse o douradinho nós não veríamos o plano fantástico de é atacar uma deusa com (a força) uma outra deusa.

Segura isso!
Segura isso!

Vamos falar de aspectos técnicos pois nem tudo são flores, ignorando as cenas de slice-of-life que estavam bonitas, os efeitos sonoros de batalha ainda incomoda e pensar que teremos mais sete episódios de batalhas, num chute baixo no mínimo cinco pois poderemos ter uma transição para o Lostbelt para encaixar com o OVA MoonLight que saiu no início do ano na Crunchyroll, mas focando nos três minutos de luta e juntando a trocação de soco da Lucoa com Kingu é muito horrível ouvir o som de metal se batendo durante o ataque os minions que junto com a luta divina ficaram incrivelmente(pleonasmo on) animados.

A Luta do Século.
A Luta do Século.

Bem espero que no próximo episódio conte mais sobre o surgimento da aliança da Tríade divina, mais sobre como a Górgona chegou a esse período histórico, como ela se tornou a Górgona mais conhecida, apesar que no episódio sete já tivemos essa explicação mas espero que ela fale o que ela sentiu e sente raiva do mundo por causa do evento “fatídico” nos mares gregos, que Asakawa Yuu continue a fazer esse trabalho fantástico, que rivaliza com Ueda Kana pois ambas dublagem dois personagens da série é por fim espero uma direção fantástica da produção para conseguir tirar lágrimas dos calejados olhos com cenas fantásticas.

A Víbora da vingança.
A Víbora da vingança.

Basicamente era isso que eu queria falar sobre esse episódio do gacha da babilônia, aqui é Jonh Vini e estou à espera dos vossos Feedbacks deste episódio e da review para melhorar, não se afobem pois as pessoas apenas morrem quando são mortas, discutir pacificamente é saudável e enriquece a vida e até mais.

Esse sorriso vale ouro, pena que o mestre dela (Stay Night) não valoriza.
Esse sorriso vale ouro, pena que o mestre dela (Stay Night) não valoriza.