Análise — Kiss x Sis

Existe sempre aquele receio por minha parte de quando estou analisando animes e procurando defeitos visuais, técnicos ou narrativos de eu acabar cada vez mais, tirando um pouco o meu prazer como telespectador daquela obra para somente ter uma visão bem específica e profissional sobre aquele determinado produto que estou consumindo. O que para algumas pessoas, talvez sejam fatores interessantes a se obter em mente quando se está preocupado com o que você está consumindo, mas que para algumas outras pessoas são fatores irrelevantes pois o que elas mais buscam é, unicamente e separadamente de qualquer coisa: se divertir com aquela obra. E eu sinto que existe muito desse fator nas minhas opiniões sobre esse anime em específico que realmente eu não me preocupei muito em vê-lo com uma visão de telespectador, somente, na minha primeira vez o assistindo mas que em uma segunda vista, eu acabei vendo – até mesmo quando a idade cresceu o meu senso crítico e também personalidade, os pontos positivos de uma tentativa de comédia sobre aqueles conceitos trabalhados durante a série.

Hoje nós conversaremos sobre um dos poucos animes com temática Ecchi que se preocupou em entregar uma experiência voltada a comédia, não tratando a mentalidade do seu telespectador como algo fútil e superficial, se preocupando no desenvolvimento em cima de uma trama pré-adolescente com um pouco de conotação erótica em vários momentos, alguns até mesmo explícitos, mas que em momento nenhum isso é um fator que possa ser descartado daquela obra.

 

Ficha Técnica e Curiosidades

Kiss x Sis diferente de inúmeras obras focadas majoritariamente em sua função narrativa dentro do gênero Ecchi e todos os seus elementos abertos que são liberados quando estão sob esse nome, ele não possuem nenhum tipo de desavenças ou polêmicas em torno de uma produção mudando suas funções características da obra e até mesmo as propostas iniciais em torno dessa obra. Incrivelmente é um mangá que desde o seu início, ele é algo despretensioso até mesmo dentro da sua premissa que já conota-se uma característica muito forte de histórias como Mahoromatic, outra obra do criador chamado Bow Ditama, um artista mangaka japonês mais conhecido por essas séries e alguns poucos filmes peculiares do gênero Hentai, lançados entre 1995 e 2005, sua obra mais recente até o momento vem sendo Kiss x Sis.

Ele é um homem que esteve presente na indústria desde 1990 com o seu início de carreira desenvolvendo doujinshis do gênero Hentai, não é atoa que uma das suas primeiras propagandas comerciais têm sido sobre a série “I Like, Because i Like” – Eu gosto, porque eu gosto – na Dolphin Comics em 1994. Ele tem sido autor de seis mangas Hentais que até mesmo ganharam, ao longo do tempo, adaptações para anime e quatro mangás gerais. Um dos seus gêneros preferidos são as mangas Shoujos, voltados para temáticas mais românticas ou comédias românticas, elementos que podemos notar em todas as suas obras, muitas de suas séries inclusive possuem elementos fortes de romance e preocupações em desenvolver esses romances de forma que as suas histórias superficiais não sejam simplesmente um plano segundo para comédia ou desenvolvimento erótico. Mas uma peculiaridade sobre esse autor – além dessa preferência narrativa, é que muitas de suas séries possuem elementos de “Omorashi” como um elemento principal e, para quem não sabe o que é “Omorashi” eu sinto muito mas prefiro não falar sobre isso.

 

Kiss x Sis, como alguns devem saber, iniciou sua carreira nos mangás pelas mãos do já citado homem peculiar, Bow Ditama, originalmente sendo um mero One Shot lançado em Janeiro de 2004 na Kodansha, Revista Young Magazine, mas que pouco tempo após o lançamento da sua publicação em 2005 na mesma revista, surgiu uma série de OVAs baseadas na obra, junto do seu terceiro volume em 2008. Em 2009, tivemos o anúncio de uma série de TV e a série se tornou o que nós conhecemos hoje em dia. Uma coisa engraçada é como a fama dessa série de Mangás e OVAs que futuramente se tornará uma série de para a televisão, conseguiu ganhar uma grande força na comunidade de fãs do gênero “Ecchi” pois a sua premissa ela consegue ir contra alguns conceitos que eram utilizados nos Ecchis de sua época e apenas tratados como uma coisa subjetiva.

Uma premissa sobre Keita Suminoe, um adolescente comum que aparentemente nos é apresentado como um estudante que está tentado viver uma vida comum, porém é constantemente perturbado por suas irmãs não-sanguíneas, devido os pais desse trio de personagens terem se casado após se encontrarem constantemente. Porém não é simples perturbações e intrigas que irmãos costumam ter enquanto convivem, mas sim tentativas de uma relação amorosa e excessivos abusos com teor sexual das irmãs em relação ao personagem do Keita. Por eles terem um relacionamento estabelecido desde o início da série de irmãos, é uma figura muito familiar que acabamos tendo da personagem em relação ao protagonista e que acaba nos causando uma devida estranheza por decorrer da série mas que, como todos sabemos, os desfechos de desenvolvimento serão previsíveis e a história ela é honesta com o telespectador em relação a isso.

 

Narrativa e Personagens

Kiss x Sis ele possui uma carência de desenvolvimento de personagens, mas da maneira como a história se propõe inicialmente a ser contada e até mesmo pela progressão de como funciona as apresentações, tanto de personagens, quanto cenários e até mesmo dinâmica de interação social desses personagens entre si e como eles estão dentro de estereótipos de um gênero que é carregado por anos dentro desse esquema de narrativa, eles funcionam de uma maneira genérica mas que não deixa de ser uma perspectiva que ainda trará uma espécie de conforto para quem já está confortável com o gênero, pois tudo funciona de uma maneira com que o telespectador consegue se satisfazer com aquilo que lhe é vendido. O romance é desenvolvido e bem balanceado com o seu maior foco que é a comédia, sabendo distribuir seus pontos adequadamente em devidos plots fechados e arcos de personagens que, se você parar para realizar uma análise fria são desenvolvimentos que não necessariamente movimentam a história em geral, mas no seu grande geral nada está devidamente acontecendo pois estamos, literalmente, acompanhando a vida de pessoas comuns.

Existem personagens secundários ao longo da trama que gradativamente vão fazendo parte do cotidiano do nosso protagonista e acompanharemos a sua dinâmica de interação social entre si acontecendo ao longo da série, porém ainda se mantendo na dinâmica da própria série de criar conflitos voltados para a comédia, insinuações sexuais entre os personagens e interesses românticos entre si. Apesar de não ser uma obra que buscará dizer-lhe alguma coisa através da sua narrativa vazia de significados e propostas atenciosas de desenvolver relações, ele possui um grande foco em comédia que pode ser do agrado de muitos que já estão habituados com o gênero.

 

Músicas e Trilha Sonora

A Trilha Sonora produzida para esse anime não possuí um toque de originalidade suficiente para atrair pessoas que estejam procurando um trato melhor nesse quesito do anime, mas ela cumpre a sua função e é devidamente bem distribuída ao longo dos episódios, complementando corretamente nas construções de climas com eventuais momentos onde a sua utilização corrobora para enaltecer ainda mais o grande clima de comédia que é gradativamente construído e bem estabelecido na série.

Sua música de abertura se chama: “Balance Kiss” e foi produzida pela Ayana Taketatsu e Yuiko Tatsumi, coincidentemente ou não, as dubladoras das personagens principais e irmãs do protagonista da série.

 

https://www.youtube.com/watch?v=Wova_GhvFl0

Sua música de encerramento se chama: “Our Steady Boy” e foi produzida por Yui Ogura e Kaori Ishihara, dupla também conhecida pelo codenome “YuiKaori”.

https://www.youtube.com/watch?v=bPRC44RCDXo

 

Considerações Finais

KissxSis é um anime do gênero Ecchi e comédia romântica que não se preocupa muito em desenvolver personagens ao longo de sua trama seguindo uma fórmula que você possa se conectar com eles ao longo da série, porém ao invés disso ele utiliza do artifício contínuo da comédia para te apresentar um clichê e trabalhar situações engraçadas em torno dela, buscando fazer essa conexão através da comédia do telespectador com a sua obra. Personagens relativamente interessantes ao longo da trama vão surgindo, mas que o grande foco da série é realmente distribuir o seu carisma através de cenas engraçadas em um possível romance meio incestuoso do protagonista com as suas irmãs.

 

Espero que vocês tenham gostado da análise e se tiveram interesse no anime, podem dar uma chance a ele sabendo do que ele se trata e como ele trabalha essa série ao longo dos seus episódios. Não deixem de ler as próximas análises e se ainda não checaram as anteriores, não esqueça de ler – principalmente agora que temos um novo integrante na Staff da OtakuPT, Bruno, trazendo quadros novos e animes interessantes para serem debatidos na OtakuPT cada vez mais.

Obrigado pela sua presença e a sua leitura. Tchau!

Subscreve
Notify of
guest

6 Comentários
Mais Antigo
Mais Recente Mais Votado
Inline Feedbacks
View all comments
Yhan
13 , Julho , 2019 4:27

Primeiro ecchi que vi… só não opino muito porque não lembro de nada a não ser as cenas que repetia várias vezes… vergonha.

Lucio
13 , Julho , 2019 4:28

Um dos primeiros ecchis que eu vi
Posso dizer que gosto e as vezes revejo mas hoje em dia eu penso se ele merecia isso tudo mesmo.

Shiba
Shiba
13 , Julho , 2019 4:28

Adoro a cena do batom de chocolate…comment image

Will
Will
13 , Julho , 2019 4:28

gostei

Ero Sensei
Ero Sensei
13 , Julho , 2019 4:28

Muito bom! KissXsis sempre será um dos meus ecchis preferidos junto de prison school, dxd e No game no life.

VINYX
VINYX
25 , Março , 2022 6:37

eu so ñ entendi uma coisa a unica diferença do ova para o anime da tv foi só o fato de em um o keita querer ir para a escola de suas irmãs e no ova ñ? tipo eu achei q no ova ele iria focar em fzr o ensino medio para fzr a faculdade com suas irmãs n achei q seria a msm historia