Venda de mangá nas livrarias japonesas aumentou 31,5% em 2020

Campanha o Melhor do Japão
Capa do volume 1 do mangá mangá Kimetsu no Yaiba (Demon Slayer) de Koyoharu Gotouge
Capa do volume 1 do mangá mangá Kimetsu no Yaiba (Demon Slayer) de Koyoharu Gotouge

A Nihon Shuppan Hanbai (Nippan), uma importante agência de publicação no Japão, anunciou que as vendas nas lojas em 2020 aumentaram 4,3% em relação ao ano anterior, de acordo com uma pesquisa que cobriu cerca de 1.700 lojas. É a primeira vez, desde o início da pesquisa, em 2000, que o número de vendas supera o do ano anterior. As vendas globais foram positivas em todos os meses, exceto abril, devido à declaração do estado de emergência.

Entre as vendas de livros, as vendas de mangá aumentaram significativamente em 31,5%, muito devido ao enorme sucesso do mangá Kimetsu no Yaiba (Demon Slayer) de Koyoharu Gotouge que tal como noticiámos anteriormente já ultrapassou a marca das 150 milhões de cópias em circulação.

Mangá de Kimetsu no Yaiba com mais de 150 milhões de cópias

Por outro lado, as vendas de livros caíram 1,0 por cento, as revistas também tiveram dificuldades registando uma queda de 8,7 por cento.

O Publishing Science Institute, que realiza pesquisas e levantamentos sobre a indústria editorial, anunciou que a estimativa de vendas combinadas de livros em papel e edições digitais no Japão em 2020 foi de 1.616,8 bilhões de ienes (15,59 bilhões de dólares), o que representa uma subida até 5% comparativamente ao ano de 2019, também graças a Demon Slayer: Kimetsu no Yaiba.

Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.