Kaguya-sama: Love is War (live-action) – Análise

A adaptação para anime do manga Kaguya-sama: Love is War é um grande sucesso atualmente com o público, com sua segunda temporada sendo exibida atualmente na TV japonesa o publico tem a oportunidade de acompanhar os embates de Miyuki Shirogane e Kaguya Shinomiya semanalmente em suas versões animadas. Em setembro de 2019 o publico japonês teve a oportunidade de ver a versão live action da dupla, em um filme que teve bons numero de bilheteria nas primeiras semanas de sua estreia nos cinemas.

A adaptação live action da série possui direção de Hayato Kawai (live-action de My Love Story!!, Nisekoi) e roteiros de Yūichi Tokunaga (live-action de Tonde Saitama, Princess Jellyfish). O elenco é composto por Sho Hirano (membro do grupo idol King & Prince) como Miyuki Shirogane, Kanna Hashimoto (Kagura nos live action de Gintama) como Kaguya Shinomiya, Natsumi Ikema como Nagisa Kashiwagi, Hayato Sano como Yū Ishigami, Nana Asakawa como Chika Fujiwara, Yūtarō como Tsubasa, Mayu Hotta como Ai Hayasaka, Masahiro Takashima como Pai do Miyuki, Jiro Sato como Shōzō Tanuma / narrador e Aoi Koga (a voz de Kaguya Shinomiya na série anime) fazendo uma participação especial como uma atendente de cinema.

A obra mostra a história dos estudantes Miyuki Shirogane e Kaguya Shinomiya, os dois são considerados como o casal perfeito pelos outros alunos da escola Shuchiin mesmo não sendo namorados. Mas, após passarem tanto tempo juntos, Miyuki e Kaguya acabam por se apaixonar e como eles consideram este sentimento uma fraqueza os dois iniciam uma guerra onde o perdedor irá confessar os seus sentimentos primeiro.

Novo trailer do filme live-action de Kaguya-sama: Love is War

Adaptação para filme live action é um dos muitos tabus dentro do meio otaku, existem muitos filmes medianos, existem alguns realmente bons, mas a maior parte chega a ser extremamente ruim. Trazer para uma versão em carne e osso de uma obra de comédia talvez seja o ponto mais complicado, na versão desenhada/animada de uma obra de comédia os exageros faciais são coisas que conseguem ser engraçadas junto com uma boa atuação de voz, mas replicar uma mesma cena em uma versão live action pode se tornar algo extremamente caricato e causar vergonha alheia no público. Mas este não é o caso da adaptação live action de Kaguya-sama: Love is War.

O longa se utiliza de diversas situações para desenvolver exclusivamente o relacionamento de Miyuki e Kaguya no melhor estilo comédia romântica adolescente. Mesmo que a maioria dessas situações sejam coisas tiradas do anime/manga, elas ganham uma leve adaptada que as fazem ser diferentes, isso acaba fazendo com que o longa ganhe uma originalidade. Diferente do que estava esperando, os embates entre os dois consegue ser bem natural mesmo com certos exageros. Por outro lado o roteiro do longa tenta emular um pouco o estilo de roteiro da série anime e isso acaba fazendo com que o filme fique parecendo mais um longa com colagens das melhores partes de uma série dorama. Quem conhece a série anime talvez não se incomode com esta forma que o longa conta sua história, mas se tratando de roteiro para cinema esta forma é bastante ruim quando não é trabalhada para parecer que as cenas estão conectadas.

A ambientação e o visual dos personagem são bastante contidos e naturais em seu todo e com pequenas mudanças, a atuação de Sho Hirano é boa e ele consegue passar aquela vibe que Miyuki possui, mas a atriz Kanna Hashimoto consegue roubar a atenção para si interpretando Kaguya. É claro que existem coisas dentro do longa que possuem um exagero anormal, como é o caso dos personagem Yū Ishigami e Chika Fujiwara, mas infelizmente existem momentos com atuação em exagero que são completamente desnecessários, como é o caso do Pai do Miyuki e de Shōzō Tanuma.

No geral, a adaptação live action de Kaguya-sama: Love is War funciona como um filme de comédia romântica adolescente. O longa desenvolvem bem o relacionamento de Miyuki e Kaguya através de diversas situações tiradas de sua versão anime/manga, mas adaptando de uma forma que longa ganhe uma originalidade própria. Infelizmente o roteiro do filme possui um formato que lembra uma grande colagem de cenas tiradas de um dorama e isso acaba sendo um ponto que pode ser ruim para quem não conhece a obra. Os protagonistas possuem uma atuação sem muitos exageros, mas personagem mais secundários podem acabar agindo de formas que vão do exagerado ao completamente desnecessários.

Trailer do filme live-action de Kaguya-sama: Love is War