Kumo desu ga, Nani ga?: Episódio 17 – Aventura Interessante

Kumo desu ga, Nani ga?: Episódio 17 - Aventura Interessante

Artigo por Jonh Vini. Podem enviar os vossos artigos aqui.

Sinceramente, foi um episódio interessante, mesmo que o foco do episódio tenha sido no lado humano, mesmo com uma animação bastante estática nessa parte e mesmo com a mesma direção péssima dos episódios anteriores, o roteiro desse episódio foi ok, mesmo que a direção queira entregar o jogo logo nos primeiros minutos do episódio.

Joga na cara mesmo.
Joga na cara mesmo.

Vamos logo falar da parte diminuta que foi a Madoka e estranhamente foi quase que exclusivamente em animação 2D, muito porque não teve tanta cena que exigia ação, até porque o próximo episódio terá bastante ação no lado dela, pelo menos temos o indicativo da Rei demônio irá atacar nossa arranha favorita, pena que o resultado já nos foi posto logo no início e se consideramos a abertura da série, tivemos até mesmo a luta tão esperada, espero que esse episódio fica totalmente na mão da exsa, ou em qualquer estúdio bom de CG para termos o revive do episódio 12, enquanto isso a parte que é competência da Millepensee ficou até ok, já que todo o episódio teve muitas cenas estáticas e alguns flashbacks dos episódios anteriores, então não tivemos tanta deformação da animação, já que os modelos em 3D são bem-feitos e quando necessitava do 2D era apenas em momentos pontuais.

Diane ao ataque.
Diane ao ataque.

Já o segmento humano foi interessante, pois finalmente tivemos um episódio de aventura no lado deles, depois do fraco episódio de praia ver um episódio focado em Worldbuilding com um pouco de aventura, apesar que foi mais que todos os dezesseis episódios anteriores e mesmo mostrando os mesmos erros presentes deles, entretanto é culpa da direção, foi interessante, tão cativante que gerou-me um desejo de colocar ele como a introdução deles na narrativa como um todo.

Até a voz do céu é uma Waifu.
Até a voz do céu é uma Waifu.

O fato que o conceito desse grupo serem os heróis vindos do outro mundo já é um estereótipo estabelecido em muitas histórias, então introduzi-los logo aí seria interessante pois ainda manteria o ponto da dualidade temporal narrativa, só que jogava fora a maioria dos episódios trocando por flashbacks, ainda mantendo o gosto do diretor, só que não teríamos os episódios tão mal produzidos como 3 e 14, no máximo alguns enquadramentos estranhos que são de praxe dele, ai ampliaria um pouco a aventura deles na caverna para coincidir com a narrativa da Madoka e até mesmo fazer algumas piadas narrativas como foi o buraco da caverna aberta pela mãe que acabou servindo como a saída deles de lá.

 A chefa mandou a real.
A chefa mandou a real.

Fora justamente tivemos o primeiro encontro da Madoka com eles, claro que foi apenas “as patas” dela encontrado nosso herói e esse encontro teve todo aquele ar ameaçador, ou nem tanto pois elas falaram foi quase entendível já que temos as informações ditas já nos foi dada e de novo se esse episódio foi a introdução deles, talvez o “mistério” desse encontro teria um significado maior que teve e o soco do guia seria mais significativo que revigorante.

 Que revigorante essa imagem.
Que revigorante essa imagem.

Basicamente era isso que eu tinha para falar desta tentativa do anime da miranha, aqui é Jonh Vini e o foi minha review desta série, estou à espera dos vossos Feedbacks do episódio e da review para melhorar minha escrita para vocês, não se afobem pois arrependimento mata, vamos discutir pacificamente, sem puxar palavras de baixo calão já que como podem ver eu não desferir nenhuma contra vocês é saudável porque enriquece a vida e até mais.

Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.