Mais detalhes sobre a operação anti-pirataria do Governo Japonês

90

Mais detalhes sobre a operação anti-pirataria do Governo Japonês

Depois do alvoroço de ontem provocado pela notícia da operação anti-pirataria contra sites de stream, o governo Japonês através do Ministério da Economia, Comércio e Indústria (METI) veio hoje a público revelar mais detalhes sobre o seu “Manga-Anime Guardians Project“, o primeiro projeto colaborativo anti-pirataria manga e anime. O governo japonês vem assim esclarecer o que noticiámos ontem, para que não existam interpretações diferentes.

O METI (Ministério da Economia, Comércio e Indústria) vai começar a monitorizar o upload e distribuição ilegal de conteúdos, no entanto esclarece que o alvo não são os 580 sites estrangeiros tal como foi afirmado ontem mas sim TODOS os sites de distribuição ilegal e o que na realidade vão monitorizar é a distribuição ilegal de 580 obras nesses sites (500 obras são manga e 80 anime). Podem ler aqui no site do Ministério Japonês da Economia, Comércio e Indústria o comunicado oficial.

Esta ação anti-pirataria vai ser levada a cabo pelo Manga-Anime Anti-Piracy Committee que para além de monitorizar a distribuição ilegal de conteúdos e ação legal contra os sites colocou online uma mensagem onde promove atividades anti-pirataria e onde explica a iniciativa. O MAGP (Manga-Anime Guardians Project) colocou online também uma curta onde 42 personagens anime dizem “Obrigado”. Podem ver a Curta em baixo.

Importante!

O Ministério Japonês da Economia, Comércio e Indústria (METI) e MAGP também colocaram online o website “Manga-Anime here” que podem visitar em http://manga-anime-here.com e que serve para os visitantes encontrarem alternativas legais para acompanhar as suas obras favoritas. Nas alternativas legais surgem nomes como Crunchyroll, Vizmanga, Funimation, Amazon, Hulu, etc.

Nota: Muito provavelmente os títulos presentes neste website são os que vão ser monitorizados pelo MAGP.

Nota 2: O Ministério Japonês da Economia, Comércio e Indústria (METI) e MAGP não revelaram oficialmente qualquer lista com websites “ilegais” pelo que as listas que já andam por ai a circular apenas servem para provocar confusão, se for oficialmente publicado algum tipo de lista publicamos noutro artigo.

Agora que temos a confirmação oficial o que acham desta iniciativa do governo Japonês.