SJW e #MeToo levam Sony a censurar os jogos

SJW e #MeToo levam Sony a censurar os jogos

No final de 2018 revelamos que a SONY estava a começar a censurar os jogos na sua plataforma para segundo o seu presidente “proteger as crianças”, e um artigo no Wall Street Journal vem agora confirmar que a SONY implementou restrições na maneira como as personagens são representadas sexualmente muito por causa do movimento #MeToo.

Segundo uma porta-voz da Sony, as diretrizes foram criadas “para que os criadores possam oferecer conteúdo equilibrado na plataforma” sendo que ela recusou a divulgar quando foram implementadas essas medidas.

O Wall Street Journal entrevistou múltiplos produtores nos EUA, Japão e Europa, e alguns deles mencionaram que essas novas regras poderiam sufocar a criatividade; eles pediram para não ser identificados no artigo devido aos contratos de sigilo com a Sony e por medo que futuros negócios com a Sony pudessem ser afetados por tal exposição.

A representante da Sony revelou que a companhia está preocupada que a sua reputação global possa ser prejudicada pelo conteúdo sexualmente explícito que é “vendido em alguns mercados”, como o Japão, que tem mais tolerância a conteúdo quase nu e a imagens de personagens fictícios aparentemente menores de idade.

Foi igualmente revelado pela representante da Sony que existem dois fatores que os motivaram a fazer algo a respeito dessa potencial preocupação: o movimento #MeToo nos EUA e o fato de sites como o Twitch poderem exibir streamers expondo esses jogos com conteúdo sexualmente explícito para um público mundial. Acrescentando ainda que a Sony está preocupada que possa tornar-se alvo de ação legal e social.