Capcom atinge um histórico recorde de vendas cumulativas na série Resident Evil

A Capcom recentemente anunciou que as vendas cumulativas da série Resident Evil ultrapassaram as 100 milhões de cópias em todo o mundo. É a primeira série da história da empresa a atingir esta impressionante meta.

“Em 1996, a Capcom estabeleceu o género de jogos survival horror com a estreia da série, Resident Evil. Esta apresentou novas formas de jogar, enquanto colocava o jogador usando uma variedade de armas e outros itens para escapar de situações aterrorizantes. Ao longo dos anos, a Capcom elevou a sua estratégia de uso múltiplo de conteúdo, para levar a série além dos jogos, expandindo a marca para adaptações de filmes de Hollywood e colaborações de parques temáticos. A série Resident Evil desde então tem crescido em propriedade dentro da Capcom, e encontra-se continuamente apoiada por uma base de fãs dedicada em todo o mundo, desde o primeiro título foi lançado há 24 anos, com mais de 80% das vendas unitárias vindas fora do Japão.

Nos últimos anos, a Capcom adotou uma estratégia de vendas digitais, expandindo os seus segmentos de clientes, e estendendo a vida dos jogos com estratégias de preços flexíveis em mais de 250 países e regiões diferentes. A série Resident Evil em particular, tornar-se a primeira série da Capcom a ultrapassar os 100 milhões de unidades vendidas; além de manter um cronograma consistente de lançamentos para os novos títulos, a Capcom utilizou tecnologia de topo para reimaginar sucessos amados pelos fãs, como Resident Evil 2 e Resident Evil 3, enquanto realizou promoções de preços para títulos anteriores do catálogo em conjunto com os novos lançamentos de títulos na série. No futuro, a Capcom pretende aumentar ainda mais este desenvolvimento, aproveitando o seu conhecimento acumulado para lançar jogos nas plataformas da próxima geração. Isto inclui o mais recente jogo da série, recentemente anunciado, Resident Evil Village.”

Vindo de vários mundos e projetos, juntou-se à redação do Otakupt, pronto para informar todos os leitores com a sua experiência nas várias áreas da cultura alternativa. Assistiu de perto ao nascimento dos videojogos em Portugal, até à sua atualidade. Devora tudo o que seja japonês (menos a gastronomia), mas é também é adepto de grandes histórias e personagens sejam essas produzidas em qualquer parte do globo terrestre.